Veneno de aranhas peçonhentas teve ancestral comum à insulina

Adoro a Austrália. Tudo lá tem uma espécie de toque de Sadim (o Midas ao contrário). Enquanto Midas transformava qualquer coisa que tocasse em ouro, o Sadim australiano transforma numa coisa monstruosamente venenosa com um só toque.

Pesquisadores australianos (que muito provavelmente são venenosos também) estuda as origens do veneno de certas espécies de aranhas e centopeias e descobrem derivação química da molécula da insulina. Isso mesmo, até um hormônio importantíssimo pode ficar de mau humor e lhe manda pra vala na Reversal Australiana, onde qualquer coisa mata VOCÊ!

O dr. Glenn King parece ser um cara legal e não fala mal de ninguém, não sendo chegado a espalhar venenos por aí. Ele trabalha no Departamento de Química e Biologia Estrutural, no Instituto de Biociência Molecular, da Universidade de Queensland, Austrália. Ele adura dar uns tapas em aranhas, mas só as venenosas e maledicente, como é o caso da aranha teia de funil.

Este ser das trevas (me refiro à aranha e não ao dr. King) é um dos bichos mais venenosos que existem e, claro, esta desgraça só podia ser australiana mesmo. As herdeiras de Ungoliant pertencem à subfamília Atracinae, possuindo três gêneros: Atrax, Hadronyche, e Illawarra. Agora desenha um pentagrama no chão e diga estes três nomes em voz alta, à meia-noite. Uma das espécies mais venenosa da aranha teia-de-funil-teia é a Atrax robustus. Mortal, e não é algo que você queira ter na sua corrente sanguínea, o que não faz muita diferença, pois em cerca de uma hora você vai bater um papinho com Laracna, no Inferno das Aranhas. Eu te falei para não matar aquela pernuda com seu chinelo, mas você me escutou?

Aqui, esta "belezinha" em ação:

Aqui, uma matéria do Animal Planet.

Veneno de aranha teia-de-funil contém um milkshake de neurotoxinas tão potentes que paralisam instantaneamente a presa, majoritariamente insetos, mas você não está livre, filho. O ingrediente principal deste "milkshake" de veneno é uma substância que deriva do hormônio insulina. Sim, esse mesmo. O que controla a sua taxa de açúcar no sangue

Quando King retornou a pesquisar esta aranha e variedades de centopeias (daquelas beeeeeeeeeeem venenosonas também), botou sua equipe para estudar as semelhanças estruturais com outros compostos e qual não foi a surpresa de ver que tanto o veneno de uma quanto o veneno de outra eram bem parecidas, estabelecendo uma convergência evolutiva na síntese do veneno. Talvez o mais interessante é saber que esses venenos  guardam semelhanças com a insulina, já que ambos os compostos vieram de uma substância comum, uma espécie de registro fóssil químico. Claro, para um químico isso não é tão incomum,em que basta mudar um radical funcional de  lugar que o composto fica extremamente venenoso, e muitas substâncias só precisam de um radical funcional a mais, a menos ou fora do lugar para dar uma substância totalmente nova.

A pesquisa foi publicada no periódico Structure.

Isso pode parecer alguma ideia de jerico para produzir venenos mais venenosamente venenosos, mas acompanhando os traços químicos de como ele apareceu, cientistas poderão criar novos medicamentos e antídotos contra estas pragas.

2 comentários em “Veneno de aranhas peçonhentas teve ancestral comum à insulina

  1. Obrigado por acabar com o meu dia com esses vídeos, vou ter que comprar um lança chamas para poder dormir agora.

  2. Evolução nos complexos, perfeitos e imutáveis processos químicos dos organismos vivos? isso só pode ser obra do cão

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s