Rio de Janeiro: o estado da moral, bons costumes e valores espirituais. FACEPALM!

O problema no Planeta Bíblia é que seus Uruk-Hai não descansam. Eles sentem a necessidade mega patológica de meter goela abaixo a religião deles. Mas, convenhamos, de tanto insistirem, conseguem, ainda mais num Estado Laico como o nosso que tem bancada religiosa.

O querido governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, sancionou um projeto-de-lei que visa a instituição de um "Programa de resgate de valores morais, sociais, éticos e espirituais". Show, né?

O projeto de pseudo-lei é de autoria da Myrian Rios, cuja única coisa de notável que se pode dizer dela é ter sido casada com Roberto Carlos. Depois de ter tomado um pé na bunda ao som de "Jesus Cristo, meu pézão está aqui", Myrian meio que surtou e só tem ideias imbecis. Deve ser por causa das bochechinhas dela, que a deixou com a cara do Quico, mas ela não quer ouvir comentários da gentalha.

De acordo com o jornal O Globo:

A deputada dá uma dica na justificativa do projeto: “infelizmente, a sociedade de uma maneira geral vem cada dia mais se desvencilhando dos valores morais, sociais, éticos e espirituais (…) Sem esse tipo de valor, tudo é permitido, se perde o conceito do bom e ruim, do certo e errado. Perde-se o critério do que se pode e deve fazer ou o que não se pode”. Para disseminar o que é certo e errado, a nova lei determina que o governo do estado deve fazer convênios e parcerias “articuladas e significativas” com prefeituras e sociedade civil.

Projeto para melhorar salário de professores, reequipar hospitais, remédios nas farmácias de postos de saúde, segurança pública que preste e pente fino em dePUTAdo corrupto não faz, né, dona Myrian? Mas não, vamos fazer todo mundo ser ético com livrinho dizendo que senhores podem meter a porrada nos escravos à vontade e emprestar dinheiro com juros e apedrejar adúlteros e homossexuais. Ops, esqueci. A senhoras associou pedófilos e homossexuais, e acha que ideias do séc. VI A.E.C. ainda são válidos, como namorar para perpetuar a espécie. Amor, laços fraternais, companheirismo? Não, perpetuar a espécie.

O que me espanta não é pessoas como Myrian Rios existir. Idiotas existem em todos os lugares do mundo. O que me imporessiona é o bando de lunáticos que acha que ela está certa e merece estar numa assembleia legislativa redigindo leis anacrônicas.

Deixem alguém como ela numa assembleia constituinte e já podem imaginar a merda que vai dar.

2 comentários em “Rio de Janeiro: o estado da moral, bons costumes e valores espirituais. FACEPALM!

  1. Se eles acham o ensino religioso tão importante, como explicam que a maioria esmagadora dos cristãos não terem lido o livro sagrado onde reside a ”palavra de deus” inteiro? A maoria dos cristão mesmo os mais velhos nunca leu a bíblia inteira, quer dizer, será que em 20 anos não se deveria ter ao menos a metade da sagrada palavra de deus lída, mas não, eles mesmos tem preguiça de ler a bíblia, quer dizer se a educação é religiosa é tãããão importante eles não deveriam ter lido a porra da bíblia até os 30 anos?
    Obs. Nunca li a bíblia completamente e não tenho a intenção de ler.

  2. Igreja não forma valor nenhum. Se formasse, não haveria tanto religioso (católico, evangélico, etc…) roubando, adulterando, mentindo, se vingando de quem lhes fez mal e etc, etc, etc… (olha, a lista é grande e todos nós sabemos para onde esta lista direciona).
    Educação, moral, bons costumes, valores sociais, solidariedade, compaixão, altruísmo: isto tudo e mais um pouco se aprende em CASA. Os pais são os responsáveis por ensinar estes conceitos aos seus filhos.
    Muitos pais relapsos delegam esta missão para a família, para a igreja deles, para a escola que seus filhos frequentam e qualquer outra instituição que eles achem que possa fazer o trabalho deles.
    Olha, realmente, na vida moderna onde ambos os pais trabalham, é exigido um esforço extra para completar esta educação dos filhos, mas casou porque quis e teve filho porque quis, agora cuida e educa cidadão.
    Se instituições como a escola, que têm a nobre missão de ensinar e instruir seu filho não têm a missão de educar, quanto mais a igreja, nenhuma delas, católica, evangélica, pentecostal, blábláblá (todo dia algum espertinho inventa uma igreja nova para se enriquecer).
    Na católica, o religioso nem lê bíblica, lê panfleto de missa, simplesmente porque a mensagem desta igreja já se distanciou tanto do que está escrito no guiazinho deles que não é mais interessante que seus fiéis saibam o que está escrito lá. E se não usam o livrinho biba na missa, a preguiça é tanta dos católicos que eles passam a vida inteira sem nem sequer ler um capítulo inteiro. Bando de hipócritas.
    E os evangélidddddos então. Estes são mais astutos. Usam a biba no culto. Grande coisa. Sempre que termina uma leitura, vai um pastor (normalmente está roubando do dinheiro da igreja) e faz sua bela interpretação do que foi lido avidamente pelos fiéis. Eles chamam isso de pregação. Na verdade, neste momento eles aproveitam para fazer sua lobotomia nos pobres coitados que estão lá. Direcionam seu discurso idiota para concluir induzindo o rebanho (que palavra perfeita para definir as pessoas que estão lá, prontas para serem abatidas no matadouro imoral do pastor, como ovelhinhas mesmo, no sentido pejorativo da palavra) a fazer exatamente o que eles querem. Para quem não sabe, existem várias técnicas de indução de discurso. Vários políticos e pastores usam isso a seu favor.
    E na evangélica ainda é pior porque eles criaram uma tal de escola bíblica dominical, que acontece antes do culto começar, onde eles enfiam as crianças e os novos convertidos para uma lavagem cerebral intensiva. Afinal, quanto mais rápido a criança ou o adulto parar de pensar por si mesmo e não ousar questionar as ditas VERDADES da biba ou as ordens do pastor, mais rápido o pastor vai conseguir aumentar a renda da igreja (sua renda).
    Certa vez me hospedei em um hotel-fazenda na região de Teresópolis onde também ocorria leilão de gado. Em conversa informal com o gerente do hotel, ele me confidenciou uma coisa que eu, sinceramente, já sabia: que seus maiores clientes no leilão de gado eram políticos e, adivinhem, pastores de igrejas evangélicas, sendo estes a imensa maioria. Ele me explicou que era uma excelente forma de os pastores muito cristãos lavarem o dinheiro sujo que roubavam dos fiéis de suas igrejas. QUE NOVIDADE.
    Bem, pois é, voltando ao tema, quem tem que educar e ensinar valores morais e sociais são os pais e a família e se a pessoa não aprender, as cadeias estão aí para isso. O nosso belíssimo e eficiente sistema prisional, mas aí é outra história.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s