Equipe de Fórmula 1 patrocina mão biônica a fã de 14 anos

Li hoje uma postagem do Meio Bit que me fez me auto-xingar a mim mesmo (sic) muito. Nem precisei do Twitter. Era a história de dois garotos nos idos de 1957 que corajosamente (ou inocentemente, o que não faz diferença) escreveram ao National Institutes of Health (Instituto Nacional de Saúde), solicitando uma verba altíssima (10 dólares da época) para a construção de um… foguete. Ernest Allen, chefe do Departamento de Verbas de Pesquisa, apresentou a carta em uma reunião e os cientistas lá resolveram fazer uma vaquinha e mandaram os 10 merréis pros garotos. Eles ficaram felizes e conseguiram construir o foguete. Leiam o texto do Cardoso ou quebro as suas pernas.

Leram? Ótimo. Alguns de vocês devem estar pensando que isso é coisa de antigamente, e que hoje bilionários não gastam rios de dinheiro em entidades filantrópicas. Entretanto, um menino de 14 anos e fã de Fórmula 1 (coisa que eu não vejo a menor graça) resolveu pedir uma mão biônica ao chefe de equipe da Mercedes e…

Ele ganhou!

Matthew James tem 14 anos e não serve para ser um bom cristão. Se fosse, ele teria se conformado com uma decisão divina. O caso é que ele nasceu sem a mão esquerda e ele achou que tinha o direito a ser feliz tendo as duas mãos. Ele não teve humildade de acatar uma decisão do Todo poderoso e queria porque queria, o ingrato, de ter uma mão biônica, já que o que ele tinha era daqueles do tipo "garra".

Os pais estavam economizando para comprar um modelo da Touch Bionics, uma empresa serva de Satã, pois querem que as pessoas usem coisas inventadas por cientistas ao invés de convencê-las a ir numa igreja evangélica e ficar implorando pra jesus. Glória, Aleluia!

O único problema é que a mão biônica custa cerca de 30 mil libras esterlinas, o que dá 78.243 reais (cotação de hoje). O Serviço de Saúde britânico não cobre isso (não, engraçadinhos, o SUS também não pagaria). A vida foi ingrata com Matthew, pois se ele tivesse nascido no Brasil teria bolsa-família, vale-gás e outras benesses do governo (não entraria numa universidade pois ele não poderia ser cotista).

A escola de Matthew recebeu a visita de Ross Brawn, chefe da equipe da Mercedes. Assim, o menino teve a cara de pau de importunar um homem importante e ocupado, pedindo algo que para a Mercedes seria troco de pinga. Em uma carta, Matthew pediu a Brawn que sua equipe patrocinasse sua nova prótese.

É vergonhoso o que a equipe fez! Muita vergonha mesmo… para o Brasil!

Enquanto a escória política do Brasil corta verbas de centros de Ciência e Tecnologia, Secreotários de Cultura despejam cientistas e o MEC defende livros que induzem as crianças a escreverem errado (apesar de alguns políticos com massa cinzenta serem contra), o pessoal da equipe esportiva da Mercedes chamou o jovem fã de Fórmula 1 para uma visita à fábrica da Mercedes (o que seria o equivalente a me dar de presente uma visita completa ao LHC), enquanto um membro da equipe entrava em contato com a empresa responsável pela prótese.

Enquanto isso, a única coisa que é certa de encontrar nas bibliotecas do Rio de Janeiro são Bíblias. Aleluia, irmãos!

A bem da verdade, não existe almoço grátis. Nem mesmo em restaurante de 1 real. As duas organizações concordaram em compartilhar entre si as tecnologias usadas nos carros e na mão biônica. Como parte do acordo, a Mercedes ajudou a pagar a mão e o treinamento de Matthew para usá-la. Isso é revoltante! Como ousa a Mercedes fazer isso, ao invés de atuar nos saberes desenvolvidos por Matthew, enquanto chamavam um padre anglicano para lhe ensinar sobre as vicissitudes da vida? Como ousa a Mercedes mostrar que o Brasil age de forma diferente? Daqui a pouco, o povo brasileiro pode tomar vergonha na cara e solicitar coisa semelhante ao Eike Batista ou, Deus nos livre!, à própria presidente. Importante mesmo é o morro do Alemão ter internet grátis. Não é à toa que o Lula defende uma fiscalização por parte da imprensa, pois notícias assim podem acabar com a ordem promovida pelo Estado brasileiro.

Matthew já está com sua mão nova. Ela tem cinco motores individuais em cada dedo, e por isso cada um deles pode se mover individualmente. De acordo com o próprio Ross Brawn foi emocionante, e só alguém bem idiota acha que as pessoas não devem querer apetrechos assim, pois são coisas de burgueses.

O mundo não ficou melhor ou pior porque um menino tem a chance de se sentir normal, pois pode fazer coisas normais (ou quase) que outras pessoas com as duas mãos fazem. Isso para o mundo de Matthew fez toda a diferença. Só isso é o bastante, porque mesmo que algum débil mental diga que os quase 80 mil reais dariam muito de comer aos bebezinhos da África, não faz diferença, pois o mundo continuaria o que é.

A coragem de Matthew, junto com a coragem dos dois meninos construtores de foguetes, merece uma recompensa. Os homens que fizeram o sonho destes 3 garotos se tornar real merece uma recompensa. E não existe recompensa maior do que saber que você, por uma única vez na vida, pôde fazer a diferença.

Agora, com licença. Tenho que me matar por não ter tido a menor inspiração em colocar um artigo sobre os dois "cientistas de foguete".


Fonte: BBC Brasil

15 comentários em “Equipe de Fórmula 1 patrocina mão biônica a fã de 14 anos

  1. Aqui no Brasil a prótese certamente ganharia um adesivo não descolável com a marca da empresa que a pagou. Em São Paulo, o Kassab não permitiria o uso da prótese com o merchandising pois seria contra a Lei cidade limpa.

    _____
    42

    1. @t e lawrence, Eu arrisco dizer que, na situação de não ter uma das mãos, aceitaria o adesivo de bom grado na prótese.

      Mas entendo o seu raciocínio(acho), se é pra doar, doe direito…

  2. Enquanto isso, aqui no Brasil, eu vejo tweets assim:

    “Empresa X doa um saco de arroz para carentes. POR FAVOR DIVULGUE”

  3. Sobre uma prótese assim, sempre pensei quando teriamos a tecnologia que chegaria próxima daquela da protese do Luke Skywalker. Só falta sentir o tato agora.

  4. Saber que o mundo tem bons exemplo não é de aquecer o seu duro e gelado coração ateu Andre? lol

    Sério agora, os 2 construtores de foguete merecem um artigo como nomes da ciência…

    1. Saber que o mundo tem bons exemplo não é de aquecer o seu duro e gelado coração ateu Andre?

      Acho que bateu em porta errada. Eu nunca disse que era ateu e nem que tinha coração.

  5. Se eu entendi direito o que esta escrito no pdf do NIH (google para “The Rocket Boys of NIH”), o jovem cientista Bruce Cook não sobreviveu ate os dias de hoje, mas inspirou seu amigo Terence a fazer a diferença para outras pessoas…

    Vou ali me matar e não volto…

  6. No Brasil o garoto PODERIA ganhar a mão-biônica na Porta da Esperança, mas o programa não existe mais. Grande coragem desse garoto e também grande atitude do Ross Brawn. A imagem da Formula 1 melhorou um pouco para mim.

    Agora lerei o texto dos garotos do foguete antes que o André quebre as minhas pernas…

  7. “Não é à toa que o Lula defende uma fiscalização por parte da imprensa…”

    Ironia, a gente vê por aqui!!!!

  8. E a recompensa assim vem de quem menos se espera, neste caso de Ross Brawn, apenas um chede de equipe da F1. Vai pedir pros Silas Malafaias da vida pra ver se tem milagre…

  9. Lembrei da minha infância quando eu brincava de laboratório com meus primos e fazia experiências com plantas e etc. Minha madrinha soube e me deu um mini laboratório, desses que se vende em papelarias. Hoje em dia eu sou químico e trabalho em um laboratório. Um bom exemplo de curiosidade que foi recompensada. Abraço.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s