Psicólogo afirma ter demonstrado a ocorrência de premonições

Dizia Carl Sagan que afirmações extraordinárias requerem evidências extraordinárias. Isso é, ao que parece, algo que um psicólogo da Universidade de Cornell tenta estabelecer ao afirmar que possui provas demonstráveis que, sim, é possível que algumas pessoas apresentem poderes de Mãe Dinah. Isso seria uma prova que há mais coisas entre o Céu e  a Terra do que julga a vã filosofia dos toscos filósofos que não fazem nada na vida do que pensar besteira? Ou será que isso é coisa de pseudocientista (eu já falei que Psicologia é pseudociência, né?) que tenta arduamente criar evidências que não existem? Joguem suas moedas para cima e apostem em qual dos dois estão certos. A moeda do Cet.net sempre cai de lado, posto que algo só é verdadeiro por comprovação independente. E aqui começa a roda da Ciência.

Tudo começa com a pesquisa do dr. Daryl J. Bem, psicólogo social e professor emérito da Universidade de Cornell, a mesma onde Carl Sagan trabalhou. Ao que parece, este tio Bem nunca se preocupou se grandes poderes trariam grandes responsabilidades, e é um fascinado por pesquisas sobre pre-cognição., isto é, poderes de prever o futuro. Sendo assim, ele vem trabalhando nisso há muitos anos e recentemente publicou um artigo científico (vamos parar de falar "paper", sim? É anglicismo retardado. Eu me limpo com higienic paper. Que tal?) no periódico Journal of Personality and Social Psychology (baixe o PDF aqui), onde ele "prova" que pode-se demonstrar a ocorrência de fenômenos para anormais paranormais.

Como eu sei que 99% dos que estiverem lendo este artigo NÃO BAIXARÃO O PDF (sou Pré-cog. Tom Cruise está ferrado na minha mão), vou adiantar um resumo do resumo (abstract my ass) do artigo:

O termo denota processos anômalos de transferência de energia e/ou de informação, que não são explicados por mecanismos físicos ou biológicos conhecidos. Duas variantes de psi são a precognição (conhecimento cognitivo consciente) e premonição (apreensão afetiva) de um evento futuro que não poderiam ser previstos por nenhum processo conhecido inferencial. Precognição e premonição são eles próprios casos particulares de um fenômeno mais geral: a influência anômala retroativa de algum evento futuro sobre as respostas atuais de um indivíduo, se essas respostas são conscientes ou inconscientes, cognitivos ou afetivos.

Em outras palavras, tio Bem afirma que através de experimentos notou que alguns de seus voluntários apresentavam conhecimento simultâneo de algum evento, mesmo sem presenciá-lo, enquanto outro previam o evento antes do mesmo ocorrer. Isso é interessante na mesma medida que tomamos atitudes hoje que acarretarão num futuro de pequeno,médio e longo prazos. Se Einstein estava certo, isso pouco fará diferença, pois mesmo que você saiba hoje o que acontecerá amanhã, suas atitudes não alterarão o que está pré-determinado. Mas o teste não foi tão abrangente assim. Pelo contrário, foi bem simplista, até.

O Psychology Today expõe com detalhes sobre os métodos de tio Bem. Basicamente, todos os ensaios se focam na recursividade do tempo, isto é, que o fluxo temporal fica invertido para a pessoa que tem as "premonições". Infelizmente, tio Bem não fez nenhuma menção se seus voluntários viam gente morta. Em um dos testes, as cobaias de Bem (não necessariamente "do bem")tinham que perceber se uma foto possuía uma informação positiva ou negativa. Por exemplo, se visse um gatinho era positivo, mas se vissem vermes, seria negativo. Aqui temos um problema, posto que vermes em carne podre não precisam ser considerados negativos, pois fazem parte de um ciclo biológico. Aliás, eu sempre me pergunto porque todo mundo acha que ursos são fofinhos e delicados que nem os chamados Teddy Bear, sendo que ursos são animais extremamente selvagens e arrancariam sua cabeça fora com uma patada só. Um dragão de Komodo, com aquela baba extremamente venenosa, com seus filhotes é uma informação positiva ou negativa?

Outros pesquisadores tentaram reproduzir os testes de tio Bem e o resultado foi… nulo! Jeff Galak da Universidade Carnegie Mellon e Leif D. Nelson da Universidade da Califórnia publicaram um artigo (sem revisão por pares ainda), onde relatam detalhes de seus experimentos e os resultados obtidos. Enquanto isso, o The New York Times ouviu outros pesquisadores e parece que boa parte deles não ficou nada satisfeito com a pesquisa.

Segundo o dr. Ray Hyman, professor emérito de psicologia da Universidade do Oregon, toda a pesquisa "é loucura, loucura pura. Eu não posso acreditar que uma importante revista está permitindo que este trabalho seja publicado". Hyman é um ferrenho crítico sobre fenômenos extrassensoriais. Ele ainda recarregou a .12 e disparou: "Eu acho que é apenas um embaraço para o campo inteiro."

O editor da revista, Charles Judd, um psicólogo da Universidade do Colorado, disse que o documento passou por processo de revisão da revista regular e eu não duvido quanto a isso. A questão da revisão por pares não é pros examinadores aprovarem ou desaprovarem os resultados de sua pesquisa. Tal revisão (ou peer review) é feita para assegurar que você não trapaceou ou inventou dados que não existem, e mesmo assim fraudes podem ser detectadas. Erros na pesquisa podem ocorrer, pois cientistas também cometem erros. Para tanto outros cientistas replicarão os testes e verificarão os resultados. Quando você alega determinada pesquisa e não publica, você é, no mínimo, um safado que não quer que vejam o salafrário que você é, pois fatalmente seria desmascarado. A ciência se autocorrigindo é a melhor coisa que tem.

Não digo que tio Bem seja um safado por fraudar sua pesquisa,mas os dados coletados não são conclusivos. Ter a impressão qual carta sairá ou onde estará uma imagem erótica é por demais otimista para afirmar que fenômenos extrassensoriais existem. Agora, pelo amor de Hades, tio Bem. Fazer menção à fenômenos Quânticos é um pouco demais, não?

Enquanto vocês tentam adivinhar os números da próxima Mega Sena, acompanhem um debate no fórum James Randi a respeito do caso.

19 comentários em “Psicólogo afirma ter demonstrado a ocorrência de premonições

  1. Mesmo não sendo da área de formação da pesquisa citada e não entendendo quase nada da pseudo ciência chamada psicologia, fiquei com a impressão de que essa pesquisa do Dr. Bem ta meio furada, hein?

  2. Dei uma lida nos links, e na tentativa de se replicar um dos experimentos (que deu resultado nulo, ou seja, falhou em replicar os resultados do Bem).

    O problema da pesquisa é que ela está furada em alguns pontos. Por ex: como o dr Bem normalizou os dados no experimento 8 (que envolvia digitar as palavras lembradas)? Por exemplo, se o cara digitou CTT ou CAR, “deduziu-se” que ele queria dizer CAT? Além disso, parece que não houve grupos de controle, e há muita controvérsia na interpretação dos dados.

    Uma coisa que me parece comum nesses estudos (bem, dos poucos que li sobre), é que o pessoal fica brigando por pontos decimais de diferença de resultados.

    Um teste interessante seria que fossem feitos 3 grupos: dois com pessoas aleatórias e bem heterogêneas e um grupo com pessoas que tenham fama de terem poderes paranormais.

    Um dos grupos normais seria de controle, para o qual não se faria a segunda parte dos testes reversos, o outro grupo e o de “mágicos” fariam o teste completo.

    Aí seria interessante ver as diferenças. Pelo que se alega, os “paranormais” teriam que sair em vantagem, de preferência, larga.

  3. Isso me lembrou de dois livros que não li mas ouvi falar em um documentário babaca sobre “poder da mente”, How Not to Test Mediums e How Not To Review Mediumship Research(essa réplica tem online) criticando os testes conduzidos por um velho lá (Gary Schwartz) (não gosto de gente velha que vive na mentalidade de séculos atrás com ar nostálgico) com um tal de John Edward (picareta profissional).

    O Dr. Salsicha (referência cinematográfica) testou a mediunidade desse John Edward da maneira mais estúpida possível, o cara fez leitura fria na cara dura durante os testes e o velho concluiu “óóóhhhh, funciona! é um milagre!”. Enquanto todos céticos desciam o cacete no velhote, os videntes e seus comparsas espalhavam a todo mundo o “resultado positivo confirmado pela ciência”.

    A história se repete… :roll:

  4. “A moeda do Cet.net sempre cai de lado, posto que algo só é verdadeiro por comprovação independente.”

    Então comprove a lógica e a matemática!
    Eu também não acredito nesta besteira de premonição, mas existem coisas verdadeiras que é impossível obter uma comprovação pelo método cientifico.
    Alguém ousaria dizer racionalmente que a lógica e a matemática é falsa? Se é verdadeira, tente comprovar.
    Nestes casos você vai chegar sempre em um argumento circular.

      1. @André, Entendeu agora? você acabau de usar a matemática para provar a matemática! sabemos que ela não está errada mas quando tentamos encontrar uma prova independente, verificamos que estamos preso a um argumento circular. Tentar provar que a lógica é confiavel, fica ainda mais evidente o que estou falando. Tente!

          1. @André,
            1. Apenas pode ser verdadeiro aquilo que é comprovado pelo Método Científico.
            2. A lógica não pode não pode ser comprovado pelo Método Científico.
            3. A lógica não é verdadeira.
            Ora, eu não posso e ninguém em plena saúde mental (incluindo você), pode aceitar a conclusão deste argumento. Sendo assim, para manter a posição de que a conclusão está errada, obrigatoriamente temos que encontrar algum erro nas premissas 1 ou 2.
            Sendo que o método cientifico utiliza a lógica para analisar as premissas, ao usar o método cientifico para provar a lógica, incorremos em um argumento circular. Chegamos na conclusão de que a lógica não pode ser provado pelo Método Cientifico e a premissa “2” é verdadeira, agora resta que a premissa “1” que já foi negada pela premissa “2”, não pode ser verdadeira.
            Ou aceite isto, ou aceite a conclusão do argumento acima. Agora, o que te parece mais racional? Um retardado aceitaria a conclusão.

          2. 1. Apenas pode ser verdadeiro aquilo que é comprovado pelo Método Científico.
            2. A lógica não pode não pode ser comprovado pelo Método Científico.
            3. A lógica não é verdadeira.

            Vc acabou de usar raciocínio lógico, ANIMAL. :mrgreen:

            Adoro quando os idiotas se auto-refutam. :)

            Ora, eu não posso e ninguém em plena saúde mental (incluindo você), pode aceitar a conclusão deste argumento. Sendo assim, para manter a posição de que a conclusão está errada, obrigatoriamente temos que encontrar algum erro nas premissas 1 ou 2.

            Ela estaria errada SE Lógica fosse Ciência. Mas não é. Lógica é um encadeamento de ideias, ou vc não tem um aquário em casa?

            Sendo que o método cientifico utiliza a lógica para analisar as premissas, ao usar o método cientifico para provar a lógica, incorremos em um argumento circular.

            Não, IDIOTA, pq o Método Científico não trabalha com raciconcínio apenas, trabalha com experimentação. Lógica não é Ciência Experimental, logo não é ciência kuhniana. Vai estudar e pare de falar merda.

            Chegamos na conclusão de que a lógica não pode ser provado pelo Método Cientifico e a premissa “2? é verdadeira, agora resta que a premissa “1? que já foi negada pela premissa “2?, não pode ser verdadeira.

            Muitas coisas não podem ser provadas pelo método científico, mas não deixam de ser reais. Entenda: Matemática é a REPRESENTAÇÃO da realidade e não “A” realidade.

            Ou aceite isto, ou aceite a conclusão do argumento acima. Agora, o que te parece mais racional? Um retardado aceitaria a conclusão.

            Realmente, um retardado aceitaria qq conclusão, por mais imbecil, estúpida e idiota que fosse. Taí o único ponto que nós concordamos.

  5. Achei o título da matéria uma piada-pronta. Cada vez mais vejo o quão pseudociência é a psicologia :/ o pior é que meu trabalho envolve esse setor.

  6. “Vc acabou de usar raciocínio lógico, ANIMAL.
    Adoro quando os idiotas se auto-refutam”

    É claro que usei a lógica, mas não estou tentando provar que ela é verdadeira e sim que o metodo cientifico não é absoluto. Você não ententeu ainda?

    “Não, IDIOTA, pq o Método Científico não trabalha com raciconcínio apenas, trabalha com experimentação. Lógica não é Ciência Experimental, logo não é ciência kuhniana. Vai estudar e pare de falar merda.”

    Como a ciencia chega a conclusão depois de observar os experimentos?
    Cuidado! pois você vai acabar negando toda ciência, pois a lógica está em sua base.

    “Muitas coisas não podem ser provadas pelo método científico, mas não deixam de ser reais. Entenda: Matemática é a REPRESENTAÇÃO da realidade e não “A” realidade.”

    Ufa! Agora você entendeu!

    1. É claro que usei a lógica, mas não estou tentando provar que ela é verdadeira e sim que o metodo cientifico não é absoluto. Você não ententeu ainda?

      Ele nunca foi absoluto, IDIOTA, nem nunca teve tal intenção. Quem diz isso são as religiões e não a Ciência.

      Como a ciencia chega a conclusão depois de observar os experimentos?

      Através do endcadeamento e análise. Lógica não é uma ciência per se, é apenas uma ferramenta. É o mesmo que dizer que um martelo é o ato de construir um móvel. Vc USA o martelo, mas o martelo NÃO É carpintaria.

      Ufa! Agora você entendeu!

      Isso eu sempre disse, ora. Vc pediu pra mostrar que a Matemática não era falha, não é. Os palitinhos NÃO SÃO matemática. 2 + 2 representa a operação de vc juntar os palitinhos. Mas a princesa metida a entelequituau aí não entendeu.

      Tolo sou eu de trocar mensagem com gente sem um mínimo de preparo.

  7. @lash

    você me deixou em dúvida agora, por acaso se você cometer uma idiotisse tremenda (o que você postou não tem absolutamente nada a ver com isto) posso te chamar de idiota ? Se sim, você é um idiota completo por escrever essas baboseiras e ainda treplicar em cima. Senão, você é burro.

    quando que posso provar que o cara esta falando idiotisses e por conseguinte é um idiota ?

    fiquei em duvida agora.

  8. Sou do segundo ano do ensino médio e outro dia minha escola resolve chamar uma “psicrologa” pra dar uma palestra de biologia do sono.Até que o negócio estava interessante, ela falou sobre os hormônios liberados durante o sono, oa aspectos biologicos, etc…Quando do nada ela começa a citar Froid e Jung e eu penso – Fodeo, vai começar a falar merda pseudocientifica.Dito e feito, a ” psicrologa” começa a falar que todos os sonhos tem sentido e podem ser interpretados por um “especialista” (outro dia sonhei com um cachorro falante que tinha um olho na bunda, aposto que é um desejo sexual reprimido pelo inconsciente).Ela também cita que existem evidências de premonições nos sonhos, mas “infelizmente” o tempo da palestra era muito curto e não deu tempo de ela mostrar as evidências.Ainda bem que a minha sala vai ter o prazer de ter mais uma palestra com ela.Depois eu compartilho as “evidências” com vocês do ceticismo.net (pra sua diversão é claro).

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s