Besouros ajudam a evidenciar o que ocorre com o clima

Aquecimento global é que nem Evolução. Nenhum dos dois existe. Seu saldo no vermelho também não existe, é apenas um constructo social. Nada existe, estamos na Matrix. Infelizmente, o mundo natural não sabe disso, e continua sendo o que sempre foi, com os dados que estão sempre apresentando. Se não aceitam os dados, não será o planeta quem vai se importar.

Cientistas vêm registrando mudanças nos padrões climáticos e de temperaturas no Ártico há muito tempo, mas agora eles estão focando em fazer estas leituras diretamente a quem mais está interessado: a biodiversidade.

Continuar lendo “Besouros ajudam a evidenciar o que ocorre com o clima”

Mosquiteiros e inseticidas podem trazer mais problemas do que ajudar contra a malária

A Malária sempre foi um problema. Muitas ideias surgiram para combatê-la, como mosquiteiros tratados com inseticidas, vacinas, bactérias etc. Só em 2013, 600.000 pessoas em todo o mundo morreram. A maioria delas eram crianças africanas, mas como não eram cartunistas, ninguém dá a mínima.

Agora, pesquisadores examinam interações potenciais entre as medidas de controle e descobriu-se que, em alguns casos, a combinação de mosquiteiros e vacinas pioram o problema. E você achando aí que o pior que acontece na sua vida é não ter ar-condicionado de 100 mil BTU.

Continuar lendo “Mosquiteiros e inseticidas podem trazer mais problemas do que ajudar contra a malária”

Hector, o robô insetão

Dois minutos observando a Natureza e vemos que artrópodes são os verdadeiros escolhidos para dominar o mundo. Afinal, efetivamente é isso que eles fazem São milhares de espécies de besouros, zilhões de insetos, e todos eles pouco se lixando para a gente. Você pisa em um. So what? Ainda têm alguns trilhões para você dar cabo. Eles estavam aqui antes da Humanidade aparecer, estarão aqui depois que formos doce e gloriosamente pra vala evolutiva. Nada mais natural que, ao se pensar em robôs, utilize-se a forma e estrutura já mais do que testada por bilhões de anos.

O melhor exemplo disso é Hector, o robôzinho maneiro que pode parecer um brinquedo, mas visa algo muito maior, como entrar por qualquer canto, que nem aquelas porcarias de baratas.

Continuar lendo “Hector, o robô insetão”

Quando, onde e como os insetos dominaram o mundo?

Sua arrogância o faz pensar que o Homo sapiens é a espécie mais bem sucedida do planeta? Bem, sim e não. Mas dependemos muito de nossa tecnologia ou já teríamos indo pro saco. Enquanto espécie, somos bem ridículos. Já os artrópodes, enquanto filo, são muito mais bem sucedidos, adaptados, com uma armadura natural digna do Homem-de-Ferro, mas no máximo seria um herói de queratina (e não, gente. Homem-Formiga é ridículo. É o Aquaman da Marvel!)

Entre os artrópodes, a classe Insecta está aí, feliz da vida, desde milênios, ou melhor, milhões de anos! O número de espécies fica entre 800 mil e 1 milhão, o que dá cerca de 80% de TODAS as espécies viventes no planeta. Mas fica a pergunta: Quando e como os insetos chegaram a este espalhamento por sobre a face da Terra? É o que mais de 100 cientistas em todo o planeta procuram responder.

Continuar lendo “Quando, onde e como os insetos dominaram o mundo?”

Em briga de besouros, ganha quem sabe usar suas coisas

Desde que apareceram, artrópodes são os mais bem sucedidos animais da face da Terra. Seu exoesqueleto pode fazê-lo ser um tanque-de-guerra ou algo bem promissor para voar (ver Por que os besouros conseguem voar?). Com uma forte carapaça, pernas adequadas a qualquer tipo de terreno e capacidade de se organizar em sociedades, muitos artrópodes se mostram os verdadeiros senhores do mundo. E como todo senhor de suas terras, eles precisam lutar para sobreviver.

A Seleção Natural selecionou naturalmente (ugh!) aqueles indivíduos que ganharam de presente de seu DNA características que os ajudam a sobreviver, meio como seu cunhado ganhando um notebook. Só que não basta ter a ferramenta, é preciso saber uá-la ou acabará fazendo besteira. Meio como seu cunhado usando o notebook.

Continuar lendo “Em briga de besouros, ganha quem sabe usar suas coisas”

Mãe, me dá a barata pr’eu brincar?

Ontem, eu escrevi sobre inciativas voltadas para crianças se aproximarem mais da Ciência. Desde periódicos científicos escritos para crianças até robôs sugadores de cérebros fofinhos para se brincar. Mas nada, NADA, supera esta maravilha que eu vi (curiosamente, foi ontem também, mas não tenho tempo de ficar aqui escrevendo o dia todo). Trata-se do primeiro controle remoto de barata. Não, não é um robô barata ou carrinho com uma "capa’ de barata por cima. É uma barata, MESMO!

Quero isso de natal, já sabem!

Continuar lendo “Mãe, me dá a barata pr’eu brincar?”

Império das Formigas usa mercenários para dar cabo dos inimigos

Enquanto você está aí preocupado com a espionagem da NSA, se borrando de medo por causa do Skynet e se armando contra o Apocalipse Zumbi, saiba que estamos mais que ferrados. Nossas táticas bélicas estão sendo há muito usadas por elas, a criação de Satã, mensageiras do Senhor das Trevas, guerreiras de Lúcifer e criação sábia de um projetista inteligente que mantém a Natureza boa, pacífica e ética.

Infelizmente, esqueceram de contar isso para as formigas; e se nós estamos acostumados a usar mercenários e paramilitares, formigas colocam um óculos de casco de tartaruga, um cachecol e murmuram que elas já faziam isso antes de ser cool!

Continuar lendo “Império das Formigas usa mercenários para dar cabo dos inimigos”

Como bactérias de insetos atazanam a vida de fazendeiros

Estamos acostumados a pensar nos seres vivos de uma forma geral como animais e plantas. Quando muito, pensamos em vírus, bactérias e fungos, mas de uma maneira isolada, como se fôssemos entidades biológicas únicas, mas não é isso que acontece. Cada um de nós, seres vivos, é um verdadeiro viveiro abrigando toda sorte de "coisa".

Agora, pesquisadores vão descobrindo que não basta ser inseto para estragar o dia de um agricultor. Os besouros que atacam o milho, por exemplo, eles não são apenas insetos feios e fedorentos, daqueles que o próprio PETA não se importa de mandar pra vala. Só que não é apenas o inseto do mal que traz aborrecimento. O problema mesmo está nas suas entranhas, sob a forma de bactérias.

Continuar lendo “Como bactérias de insetos atazanam a vida de fazendeiros”

X-Baratas adquirem novas capacidades contra armadilhas? Calma lá, ô!

O problema das notícias é… bem, os jornalistas. Canso de dizer que jornalista escrevendo sobre Ciência é a mesma coisa que tartaruga tentando costurar. Eu tento acompanhar tudo que sai sobre Ciência, mas fica difícil, já que eu preciso pagar as contas. Então, chego no trabalho e logo o pessoal vem me mostrar um artigo do G1 (bem, podia ser pior… podia ter sido o do Terra). Não, gente, barata não evoluiu para deixar de gostar de açúcar.

Continuar lendo “X-Baratas adquirem novas capacidades contra armadilhas? Calma lá, ô!”

Encontrado o mais velho fóssil com cérebro

Fósseis são algo difícil de obter. Quanto mais velho, mais problemático de termos algo completo sobre um ser vivo que pisou por aqui há milhares de anos. Cacos são aproveitados para tirar o máximo de informação e mesmo assim muito se perde, mas o que se encontra é algo maravilhoso. Outra coisa difícil é encontrar vestígios de órgãos internos e muito, mas muito raro encontrar um cérebro, mas os pesquisadores conseguiram algo melhor: o mais antigo fóssil com cérebro já encontrado.

Continuar lendo “Encontrado o mais velho fóssil com cérebro”