Homem doa um rim para o primo e o custo quase levou o outro rim

Bonzinho só se fode. Você já leu isso. Ou, de forma mais educada, toda boa ação será castigada. É o que Elliot Malin, morador de Nevada, EUA, tomou pela cara por causa de uma boa ação. Ele recebeu um e-mail da tia dizendo que seu primo, Scott Kline, de 28 anos, estava em estado gravíssimo por causa de uma insuficiência renal. Ele precisava de um rim e rápido.

Mas aqui entra em cena o melhor do horror do sistema de saúde americano.

Assim que recebeu o e-mail, pelos idos de fevereiro do ano passado (2021, vocês sabem), Elliot ficou compadecido com a situação do primo e clicou imediatamente para se cadastrar como possível doador. Elliot sabia que a cirurgia poderia dar muito ruim, e a recuperação seria uma bosta. Ainda assim, ele queria ajudar o primo. Em junho, Elliot teve a confirmação final de que era compatível. Ficou fácil agora, certo? Errado! Elliot e Scott caíram numa malha burocrática que faria inveja ao Kafka. Eram médicos, conselheiros financeiros, nefrologistas, laboratórios e, o pior de todos os pesadelos: as companhias de seguros e planos de saúde.

Resolvido essas pendengas, foram para outras etapas: mais exames médicos, montanhas de papelada e pré-autorizações para procedimentos, com uma equipe multidisciplinar de profissionais do hospital Baylor Scott & White All Saints Medical Center, que se reuniu para auxiliar os dois pacientes durante o processo. Agora, sim, o procedimento. A promessa é que nenhum dos dois teria que lidar com nenhuma conta ou ser responsável por um centavo do custo estimado de US$ 160.000 da cirurgia. A equipe havia recebido a pré-autorização do plano de seguro de Scott Kline (a NorthStar), que pegaria todos os custos médicos de Elliot. Tudo resolvido agora, certo? Sim, pro hospital, que meteu uma conta de mais de treze mil dólares para pagar. Mas hein? Pois é.

E olhem que poderia ser pior. Olhem de novo o valor da cirurgia. a cirurgia.

Pelo certo, quando uma pessoa viva doa um órgão, não deveria arcar com os custos que cobririam os cuidados relacionados a uma cirurgia de transplante. O seguro do recebedor cobre todos esses custos. Isso foi pensado para encorajar as pessoas a doarem órgãos.

Pelo certo seria assim, mas planos de saúde no Brasil já fazem o que querem, mesmo nós tendo a ANS e a ANSS. Nos EUA não tem isso, problema teu, irmão, te vira aí, taqui a conta!

No caso dos EUA, a maioria dos pacientes sem plano de saúde (o que já é muito problemático até para uma consulta normal) que apresentam problemas de insuficiência renal em estágio terminal poderia – a princípio, no mundo mágico – o Medicare pagando a conta. Curiosamente, o setor contábil do hospital se esqueceu deste detalhe e lhe mandou os boletos, vindo até uma ameacinha básica tipo “ou paga, ou então…”.

Enquanto Scott estava passando por uma difícil convalescência, Elliot lidava com esse pesadelo administrativo. Ele foi assessorado por Deidra Simano, presidente da Associação de Coordenadores Financeiros de Transplantes, e sua equipe. O problema? Algum idiota não repassou os valores para a seguradora Northstar, que depois de ter sido contactada várias vezes acionou o Departamento de Contenção de Danos pagou o hospital e fez pronunciamento com um pedido de desculpas em dezembro de 2021.

Foi cagada da contabilidade do hospital ou da Northstar? Bem, o hospital não quis falar com ninguém, só mandando aquela nota genérica na base “estamos felizes que tudo se resolveu, não nos procure, procuramos vocês, falow valew”.

O SUS é uma merda. Eu mesmo escrevi aqui. Como projeto, é excelente e por sinal é o melhor do mundo. O que estraga o SUS é ser no Brasil e o grande problema é ter brasileiros envolvidos, mas nem de longe é esta insânia que acontece nos EUA. Eu não sou do tipo VIVA O SUS, porque reconheço muitas mazelas, mas ainda respiro aliviado (ali onde?) que os planos de saúde daqui, apesar de serem bem filhos da puta, estão muito aquém em filhadaputice que os americanos.


Fonte: ProPublica

9 comentários em “Homem doa um rim para o primo e o custo quase levou o outro rim

  1. Minha cirurgia pra retirada de um cálculo impactado no ureter foi feito pelo convênio e eu só precisei esperar a autorização do plano, que não levou quinze dias. Cirurgia eletiva, fiquei internada só no dia da cirurgia, entrei de manhã e saí à noite. Zero custo além do que eu pago mensalmente. Minha mãe pega todo mês na farmácia de alto custo do SUS um remédio que custa 400 reais na farmácia. Tem mês que atrasa, tem mês que não tem, mas já é infinitamente melhor que na gringa. Por lá eu e ela estaríamos falidas eu provavelmente morta, ela travada na cama.

  2. sugestão trocar o nome do site para credulismopolítico.net, estatismo.net. planejamentocentral.net, coletivismo.net ou alguma outra coisa mais condizente com o conteúdo para evitar manipular e confundir os incautos.

  3. Não toleramos abusos e violências para com a maior dádiva do ser humano: a liberdade de pensar e expor ideias, mesmo que sejam contra o status quo. ahãn, sim, percebo, é muita liberdade de pensar e expor ideias ficar censurando comentários

    1. Meu filho. Vai dar meia hora de cu, pq está escrito que todo comentário passa por moderação.

      Permissão para comentar revogada. Cria um blog pra v e não enche a merda do saco

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s