Pesquisa estuda o fluxo de degelo da Groenlândia

Eu gosto de certas ironias, principalmente quando vemos que a Islândia (Iceland) tem muitas regiões com planícies e colinas verdes e a Groenlândia (Geenland) é um lugar cheio de gelo. Tá, ok. As mudanças climáticas tiveram algo a ver com isso, e futuramente farão tudo voltar ao que era. Ou não. Pelo menos, a Groenlândia está indo por um longo caminho de degelo, sendo de interesse de pesquisadores que estudam o fluxo de colapso de suas geleiras (as da Groenlândia, não dos pesquisadores e muito menos suas aí).

O dr. Tim Dixon é professor de Geologia e Geofísica, especializado em perigos naturais e causados pelo homem do Departamento de Geologia da Universidade do Sul da Flórida.

Dixon e seus colaboradores descobriram um processo que pode controlar o colapso das geleiras. Sabe quando você desliga sua geladeira para degelar o congelador e fica observando o crack crack crack de gelo que cai do teto do congelador e se espatifa? Se não sabe, sorte sua. Você é do mundo do frost free. Mas acredite, ainda assim isso acontece, mas de forma que você não veja.

No caso do degelo das imensas geleiras, por mais caótico que possa parecer, as leis da Física e da Química se mantém. Sendo assim, seria possível em tese criar um modelo que descrevesse o colapso desse gelo todo quando se soltasse da geleira principal, caindo no mar e virando Gutemberg Rosenberg iceberg. Qual a importância disso? Uma dica:

A equipe de Dixon estuda os modelos de degelo da Groenlândia por meio de radares desde 2016, monitorarando formações conhecidas como “mélange” pró-glacial, uma combinação de gelo marinho e icebergs na frente da geleira. A seguir, um pequeno vídeo explicando as dinâmicas das mélanges, da Universidade Emory.

Com os dados da melange em frente ao Glaciar Jakobshavn, estudaram os pontos e encontraram uma grossa cunha de mélange pressionada contra o glaciar no final da primavera e início do verão. Durante esse período, nenhum iceberg se reproduziu. Assim que a cunha afinou e derreteu no meio do verão, o colapso começou de supetão, desabando quase que imediatamente.

Este tipo de estudo é importante para quem tem mais de dois neurônios e não aqueles imbecis que acha que só porque está nevando num lugar não faz calor em outro. A dinâmica das geleiras têm uma influência no equilíbrio climático do planeta, e o equilíbrio climático do planeta influencia na manutenção das geleiras e seu fluxo de degelo. Tudo é uma coisa só e interligada, mas não se preocupe. Mãe Gaia não vai fazer nada contra você por ter queimado uns pneus.

Você mesmo que está se ferrando com isso.

A pesquisa foi publicada no periódico Nature Communications

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s