Pesquisa estuda como velocidade de degelo do permafrost aumenta o efeito estufa

O processo intensificado de aquecimento global anda feliz e de vento em popa. As pessoas pensam nos problemas de emissão de CO2, em que só alguém bem estúpido pena que se pode zerar tal emissão (estou olhando pra você, Gregrê). Tão problemático quanto isso é o degelo do permafrost. Basicamente, ele tem ali aprisionado quantidades grandes de metano, CH4. O metano é um gás de efeito estufa mais poderoso que o CO2, embora eu considere que quando o metano vai subindo, ele acaba sendo detonado e virando gás carbônico, mesmo. Isso não é legal, né? Pois é. No Ártico tem muito permafrost, que em última análise, é solo congelado contendo metano. E sabe o que é pior? Este solo congelado está descongelando. Adivinhe o que vai acontecer.

Continuar lendo “Pesquisa estuda como velocidade de degelo do permafrost aumenta o efeito estufa”

Pesquisa estuda o fluxo de degelo da Groenlândia

Eu gosto de certas ironias, principalmente quando vemos que a Islândia (Iceland) tem muitas regiões com planícies e colinas verdes e a Groenlândia (Geenland) é um lugar cheio de gelo. Tá, ok. As mudanças climáticas tiveram algo a ver com isso, e futuramente farão tudo voltar ao que era. Ou não. Pelo menos, a Groenlândia está indo por um longo caminho de degelo, sendo de interesse de pesquisadores que estudam o fluxo de colapso de suas geleiras (as da Groenlândia, não dos pesquisadores e muito menos suas aí).

Continuar lendo “Pesquisa estuda o fluxo de degelo da Groenlândia”

Iceberg gigantesco imenso e apocalíptico do mal se desprende da Antártida

Diferente do que pensa gente culta e inteligente, com formação especifica, como Zezinho, o moleque de 13 anos que vê vídeo conspiracionista no YouTube e foi reprovado em Ciências (de novo), a elevação da temperatura global é um fato, que pode ser observado por qualquer entidade de pesquisas que não se baseie em vídeo de perfil falso no YouTube. Uma pena que registros via satélites e in loco fornecem bastante dados a respeito, a não ser que você seja tão especializado como o Aldo Rebelo.

Enquanto isso, pesquisadores acompanharam uma enorme fenda de gelo se desprender da Plataforma Larsen C, e saiu um iceberg que, apesar de grande, não acabaria com o fogo de YoMomma. O que ainda está preso lá, mas por um pequeno feixe de gelo, é do tamanho do país de Gales, para vocês terem uma ideia.

Continuar lendo “Iceberg gigantesco imenso e apocalíptico do mal se desprende da Antártida”

O caso do ciclone que destrói o gelo marinho do Ártico

No final de 2015 e início de 2016, um ciclone extremamente quente passa pelo Atlântico Norte, provocando degelo de boa parte das camadas mais finas de gelo marítimo. Os pesquisadores da NASA acompanham de perto com o Atmospheric Infrared Sounder (AIRS).

Lembraram do outro vídeo que publiquei mostrando o time lapse do degelo do Ártico? Só boas notícias, né? Bem, realmente tem boas notícias. Agora, passarei a publicar alguns vídeos da NASA, com a legenda traduzida para PT-BR. Espero que gostem. Se não gostarem, compartilhem o canal enquanto me xingam para os seus contatos.

Continuar lendo “O caso do ciclone que destrói o gelo marinho do Ártico”

Time Lapse do gelo no Oceano Ártico

Eu me lembro do Molion e Felício, dois “cientistas” que defendem que Aquecimento Global não existe. Deles, o meu preferido é o Ricardo Felício, que disse que não existe camada de ozônio, o que prova que um país que não desenvolve tecnologia aeroespacial está fadado a ser visto como piada em outras partes do mundo, pois estará sabendo menos ainda que o João Neve.

A nova animação da NASA mostra o movimento do gelo do Oceano Ártico, com a grande massa de água congelada diminuindo, mediante os efeitos do aquecimento das águas e da atmosfera.

Continuar lendo “Time Lapse do gelo no Oceano Ártico”

Para onde vai a água do degelo da Groenlândia?

Qualquer um que seja a) saiba minimamente ciência; b) capaz de ver fotos de satélites sabe que a geleira da Antártida está reduzindo, diferente do Molion e do Felício (que disse que camada de ozônio não existe), duas criaturinhas que negam o óbvio, cujas “pesquisas” se baseiam apenas em ad verecundiam ao invés de dados trazidos por institutos de pesquisas.

Ao longo dos anos, o gelo glacial está indo por água abaixo, a ponto da Groenlândia estar a cada dia com mais áreas degeladas. Os efeitos a longo prazo são muitos e a elevação dos oceanos é a menor das preocupações e isso o que isso vai acarretar.

Continuar lendo “Para onde vai a água do degelo da Groenlândia?”