Finalmente saiu um periódico mostrando que Homeopatia funciona. O problema é que foram testar

Pesquisa procura diferenciar expressões de dor e orgasmo
A vida escondida na escuridão tóxica do rio Tinto

Finalmente a Homeopatia conseguiu: um artigo publicado num periódico com revisão de pares! Alguns pesquisadores alegaram ter provado a eficácia da água com açúcar homeopatia por meio de um tratamento homeopático pode aliviar a dor em ratos (pois é. Aquele efeitinho placebo gostoso que já conhecemos). Os homeopatonautas tiveram chilique dizendo “OLHA LÁ! OLHA LÁ! SABÍAMOS QUE FUNCIONAVA”. Só que o que tanto queriam será o maior problema dos homeopatildos: a revisão de outros cientistas.

O dr. Chandragouda Patil é farmacêutico. Vocês sabem… aquela profissão que precisa ser chefiada por um químico num laboratório para garantir que não dê merda. O dr. Patil trabalha no Instituto de Pesquisa e Educação Farmacêutica RC Patel, em Dhule, Índia. Ele e seus colaboradores publicaram um artigo na Scientific Reports que, a priori, demonstraria que remedinho homeopático atenua os efeitos das citocinas pro-inflamatórias. Tudo muito legal, passou pela revisão de pares. O problema é que as publicações não são definitivas. Outros cientistas irão lê-las e apontar incongruências na hora de reproduzir os testes.

E foi aí que a bosta bateu no ventilador.

Um monte de homeopatonautas (você leu primeiro aqui) só faltou sair pelados, com a cueca na cabeça, clamando que mais uma vez há provas que homeopatia funciona, cientistas de verdade foram examinar o artigo e começaram a apontar as incongruências. Um deles foi o dr. Michelangelo Cordenonsi, pesquisador do Departamento de Medicina Nuclear da Universidade de Padova. Os autores do artigo homeopático meio que “homeopataram” o artigo, só colocando parte dele, e eles mesmos reconheceram que, de fato, havia uns erros e coisa e tal. Patil jogou um migué alegando que os resultados são preliminares e ainda não podem ser aplicados às pessoas, e que ele espera que as descobertas da equipe encorajem outros pesquisadores a conduzir estudos clínicos e blábláblá.

A editoria da Scientific Reports recebeu uma saraivada de mensagens apontando as cagadas que tinha no paper e montou uma comissão para revisar tudo.

O estudo de Patil e sua galerinha do barulho empregaram o extrato altamente diluído de Toxicodendron pubescens, uma planta comumente conhecida como carvalho venenoso do Atlântico, é tão eficaz quanto a gabapentina na redução da inflamação e da dor nas células (de ratos).

O problema é que o dr. Enrico Bucci, da Universidade Temple, arregaçou as mangas antes de arregaçar com a pesquisa. Usou o software de sua empresa para detectar duas imagens idênticas que supostamente descrevem diferentes experimentos em uma das figuras do artigo e aí começou a dar ruim.

Bucci também encontrou inconsistências na maneira como as doses do produto homeopático dado aos ratos foram relatadas. No corpo do texto, ele aponta, os autores escrevem que eles trataram os animais com Toxicodendron pubescens em uma dosagem 10–30 (pense em 1 dividido pelo número 1 seguido de 30 zeros), mas os dados em uma das figuras mostram os efeitos das diluições até 10–8. Essas discrepâncias, assim como as duplicações de imagens, também foram sinalizadas por outras pessoas no PubPeer, uma plataforma para discutir artigos acadêmicos, uma espécie de Facebook de cientistas.

Mas calma. Calma que piora! Bucci examinou outra imagem do artigo de Patil e identificou o que parece ser os mesmos dados para dois experimentos diferentes. Ele publicou sua análise on-line em 26 de setembro e enviou um relatório detalhado aos editores da Scientific Reports em 3 de outubro, o qual você pode ler AQUI.

Agora, a água nada homeopática está batendo na bunda e Patil vem com um monte de história da carochinha que as amostragens eram pequenas, mas estava tudo certo etc. Agora, os problemas apontados por Bucci não tiveram nenhuma resposta além de “olha… tá tudo bem. Tá tudo certo, ok? Juro pela minha mãezinha”.

Há uma ideia imbecil que só porque um cientista fala uma coisa, que todo mundo aceita bovinamente. Isso pode acontecer em DCE e aquelas publicações-lixo que aceitam qualquer merda. Ciência de verdade se faz com questionamento e replicabilidade, e se apenas uma observação e exame acurados começa a apontar incongruências, fica a dúvida

Incompetência ou mau-caratismo? No caso da Homeopatia, já sabemos bem o que é.

Pesquisa procura diferenciar expressões de dor e orgasmo
A vida escondida na escuridão tóxica do rio Tinto

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!