Astronauta deixa todo mundo feliz ao enfiar o dedo no buraco

Eulogia a uma vítima de assassinato
Smartphone é nova arma de "altíssima" tecnologia para encontrar mosquitos da dengue

Há uma clássica história holandesa que fala de como o menino Peter se tornou um dos maiores heróis da Holanda. Ao ir visitar o amigo, Peter viu que havia um furo por onde começou a jorrar água. A Holanda (que não é um país propriamente dito) é uma região abaixo do nível do mar e o que mantém seu território seco são os diques. Peter sabia que tinha que fazer algo. Tampou o furo com o dedo e assim que viu passar alguém, gritou para pedir ajuda. A ajuda veio e Peter foi celebrado de acordo com a sua posição de herói (sim, está resumido).

Se ter toneladas de água prontos para ir lhe dar alô em casa não lhe parece uma opção muito legal, imagine se você estiver a mais de 300 km da Terra, rodeado por (quase) vácuo, fora aqueles micrometeoritos que podem fazer um buraco na sua nave e fazer seu dia pior ainda. Bem, foi o que aconteceu com a Estação Espacial Internacional.

Na quarta-feira, dia 29 último, os controladores de vôo da missão da Estação Espacial Internacional notaram uma queda na pressão. Se algo está errado é porque não está certo. Foram verificar o que era. Os astronautas descobriram um buraco de 2mm na seção russa (tinha que ser!). Esse buraco, muito provavelmente gerado por micrometeoritos, deixou a tripulação da ISS de cara com a Senhora Morte.


Dramática representação

Um buraquinho de 2 mm de diâmetro parece pouco (e até de é), mas ele seria suficiente para que a ISS ficasse sem ar. Os astronautas tinham que fazer algo, e coube ao astronauta Alexander Gerst, da Agência Espacial Européia (ESA), dar um jeito nisso. Ele fez que nem o Peter e meteu o dedo no buraco (da ISS. Ninguém ali estava em clima pra se divertir). Depois, meteu um silvertape lá (não saia de casa sem eles: dedos e o silvertape).

Mais tarde, os dois astronautas russos colocaram o selante em um pano e o prenderam na área, enquanto seus colegas tiravam fotos para os engenheiros no solo. Os controladores de vôo, enquanto isso, monitoraram a pressão da cabine enquanto trabalhavam para chegar a uma solução melhor a longo prazo.

O Controle da Missão fora de Moscou disse aos astronautas para deixar o selante secar durante a noite e que mais checagens de vazamentos seriam realizadas na sexta-feira. Os reparos improvisados ??parecem ter estabilizado a situação. Liberaram o oxigênio de reserva, existente para essas eventualidades, para que a pressão interna voltasse ao normal.

O Espaço é um lugar muito agressivo. Mais agressivo que as indiretas que sua sogra lança pra você no almoço de domingo. Quando micrometeoritos estão viajando a 320 mil quilômetros por hora, não importa o tamanho diminuto. Ele VAI estragar o seu dia de um jeito ou de outro. E convenhamos que blindagem não é a especialidade de algo que precisa ser levado a uma altura de 300 km da Terra.

Ainda bem que Gerst e seu dedo estavam abordo, fora uma presteza de atuar. Capaz da Manobra Gerst sair na próxima edição do manual de voo da NASA.


Fonte: The Telegraph

Eulogia a uma vítima de assassinato
Smartphone é nova arma de "altíssima" tecnologia para encontrar mosquitos da dengue

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!