Cães trapaceiros fazem carinha fofa quando querem algo de você

Polícia austríaca prende terrorista disfarçado de bonequinho
NASA pesquisa como dar um jeito na radiação marciana antes de levar astronautas pra lá

Vocês pensam que cães são criaturinhas legais enquanto gatos são um bando de FDP. Eu já escrevi sobre gatos usando o ronronar para manipular humanos. Daí o pessoal dos cães ficou radiante pois, né?, Rex sempre está alegrão ou, então, com carinha tristinha, querendo um abraço.

SURPRESAAAAAA!!! Cães são tão manipuladores quanto gatos, produzindo mais movimentos faciais quando algum humano mané está prestando atenção a eles. Toma, seus humanos idiotas!

A drª Juliane Kaminski é pesquisadora do Departamento de Psicologia da Universidade de Portsmouth. Ela não se deixa enganar por aqueles manipuladores peludos, nem cai naquela conversa fiada que as expressões faciais dos animais ocorrem de maneira involuntária. Pelo contrário, os pequenos traiçoeiros sabem muito bem o que estão fazendo e usam isso a favor deles. Pulhas!

Desde o levantar as sobrancelhas, fazendo com que seus olhos parecem maiores – até erguer as orelhas e parecer “estar sorrindo”, cães perceberam que isso dá uma resposta positiva: carinho, aconchego, um teto e comida, principalmente se a comida era só para você, mas acaba dividindo com o latidor.

Eles sabem quando estão sendo ignorados ou tem alguma guloseima perto. Daí, 3 bilhões de anos de evolução biológica entram em ação, desde o tempo que os cães ainda nem eram propriamente cães. A pesquisa de Kaminski engrossa a gama de trabalhos que estudam a interação dos homens com cães. Kaminski e seu pessoal instalaram uma CCTV para gravar os movimentos faciais de 24 cachorros durante uma série de experimentos. Neles, um humano interagia com um cão. Às vezes fingindo que ele não estava ali, em outras olhando diretamente para o animal, dentre algumas variações.

Os resultados revelam que os cães fazem mais caras e bocas quando humanos estavam próximos e de frente, do que quando esses humanos se afastavam. Com humanos olhando para os cães, estes eram mais propensos a mostrar suas línguas e a levantar as sobrancelhas; e isso é… eficiente.

Obviamente, a resposta está no princípio evolutivo e no bug cerebral chamado pareidolia associamos olhos grandes e cabeções aos nossos próprios filhotes. A língua para fora mostra-os como se eles fossem bebês e gera o efeito AAWWNNNNNN. As sobrancelhas mostram que é um rosto vivo e facilmente identificado. Mas tem um detalhe. Em presença de comida, cães não tinham essas mudanças faciais, exceto quando era o HUMANO que estava comendo. Ou seja, Rex sabe que não adianta fazer carinha triste para a sua ração. Só quando o humano está traçando uma pizza é que Rex chega junto para conseguir umas rebarbas.

Espertinho, né?

Obviamente, você quer saber mais, não é, mesmo? Então, que tal você dar uma checada na Scientific Reports, já que a pesquisa foi publicada lá e está abertinha lhe esperando?

Polícia austríaca prende terrorista disfarçado de bonequinho
NASA pesquisa como dar um jeito na radiação marciana antes de levar astronautas pra lá

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!