Pesquisa estuda como bactérias regulam seu crescimento

Pesquisadores estudam o ferro no interior das estrelas e como ele interage com a energia
Prestação de contas 2014-15

Bactérias são criaturas muito legais. Ficam lá, não falam mal de ninguém, só comem, crescem e lhe causam infecções. Além de ser uma sem-vergonha que domina o mundo, as queridas bactérias felizes regulam sua taxa de crescimento individual, isto é, todas as bactérias têm o mesmo tamanho. Como? Por quê? É o que uma nova pesquisa procura entender.

O dr. Suckjoon Jun tem seu próprio laboratório na Universidade de Washington. Por sorte, ele é melhor cientista do que webdesigner, já que o site é uma lástima. Seu trabalho mostrou que, diferente do que se acreditava, as populações de bactérias não crescem exponencialmente, dividindo-se apenas quando tivessem o dobro de tamanho.

Jun preferiu abordar o problema de outra forma, analisando as populações de células em crescimento numa plaquinha de Petri, percebendo que, no grupo analisado, cada célula cresceu em volume e massa da mesma forma. Ao conseguirem um volume constante, as bactérias mantém este tamanho daí por diante, e não crescendo, crescendo e crescendo, depois dividindo-se ao meio. Elas se dividem primeiro, crescem depois, mantém o tamanho, dividem-se, crescem e assim por diante.

Mas isso é apenas uma bactéria ridícula. Para que precisamos saber isso?

Calma, dona Denise. Pesquisadores precisam saber desses mecanismos para entender o mecanismo bioquímico que controla o crescimento, o que é muito importante para cientistas desenvolverem medicamentos antibacterianos, o que você amará de paixão quando seu médico lhe disser que é uma virose, digo, uma infecção bacteriana.

Daí, entendemos até porque nossas próprias células são do tamanho que são, e não apenas uma célula epitelial do tamanho da minha mão ou como neurônios crescem e se reproduzem, ajudando a entender melhor as doenças degenerativas. Mas, claro, ninguém precisa saber dessas besteiras, quando temos um tabuleiro de xadrez à nossa frente, não é mesmo?

A pesquisa foi publicada no periódico Current Biology.

Pesquisadores estudam o ferro no interior das estrelas e como ele interage com a energia
Prestação de contas 2014-15

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!