Aparecimento da vida pode ter ocorrido logo após Big Bang

Quando começou a vida no Universo? 1 "ano" (usando nosso padrão de contagem de tempo) depois do Big Bang? 100 anos? 25000 anos? Ou há pouco menos de 4 bilhões de anos? Não se sabe ao certo. Não sabemos nem se somos os únicos seres vivos em todo o universo. Não sabemos se fomos os primeiros ou se seremos os últimos.

A chave para o surgimento e manutenção da vida é a chamada Zona Habitável, e de acordo com uma pesquisa, ela já poderia ter existido nos primórdios do Universo.

A Zona Habitável, ou Goldilock Zone, é a área mais propícia a ter vida. É uma área nem muito quente, onde a água estaria sob a forma de vapor, nem muito fria, em que a água viraria gelo. A Goldilock Zone (nome dado por causa da historinha da Cachinhos Dourados) está num estado temperado, com planetas possuindo temperaturas mais amenas.


Zona Habitável do sistema Gliese

O dr. Avi Loeb é astrofísico e professor de Ciência do Instituto de Teoria da Computação e do Departamento de Astronomia da Universidade Harvard. Ele publicou um trabalho – cujo PDF você poderá obter AQUI – em que discute a probabilidade de ter havido vida pouco depois do Big Bang.

Para Loeb, quando o universo ainda tinha ridículos 15 milhões de anos (um bebê, ainda), a radiação cósmica de fundo tinha uma temperatura de um dia de verão comum aqui na Terra. Se havia algum planeta rochoso (como a Terra, Vênus e Marte), a radiação cósmica de fundo poderia tê-lo mantido aquecido, sem estar, necessariamente, na zona habitável em torno de sua estrela-mãe. Ou seja, mesmo que a estrela fosse pequena e (relativamente) fria, a radiação cósmica de fundo iria aquecer o planeta.

Mas como?

A radiação cósmica de fundo também emite ondas eletromagnéticas na faixa das micro-ondas. As mesmas micro-ondas do seu forno de micro-ondas, já que se seu forno de micro-ondas não usasse micro-ondas para cozinhar com micro-ondas, muito dificilmente seu forno de micro-ondas seria chamado de forno de micro-ondas.

Da mesma maneira, a radiação cósmica de fundo iria fornecer energia às moléculas dielétricas das substâncias (como água, por exemplo), fazendo-as se agitar e gerando calor. De maneira mais simples: uma batata no forno de micro-ondas e um planeta sob ação da intensa radiação cósmica de fundo no alvorecer do Universo é a mesma coisa.

Claro, a partir daí vem outra pergunta: Havia planetas rochosos nessa época?

Através de reações de fusão nuclear, os núcleos de hidrogênio se fundem formando hélio. Este hélio se fundirá com hidrogênio e consigo mesmo dando outros elementos, como, lítio, carbono etc. Mas é preciso muita energia e calor para gerar ferro, por exemplo.

Demoraria muito tempo, de acordo com o modelo cosmológico padrão, para produzir elementos mais pesados. Entretanto, Loeb argumenta que algumas "ilhas" de matéria mais densa pode ter existido no início do Universo, e ali os materiais pesados foram produzidos..

Caçando a nossa Via Láctea por planetas orbitando em torno de estrelas com quase nenhum elementos pesados ??. Tais estrelas seriam os análogos próximos dos primeiros planetas do universo nascente.

Loeb até desafia o chamado "Princípio Antrópico", que estabelece condições mínimas para que o ser humano tivesse aparecido. O problema é a certeza que se os humanos fossem pro saco hoje, a probabilidade de aparecer outro bando de toscos como nós é meio que remota.

De início, a teoria de Loeb faz um certo sentido. porque 10 bilhões de anos para começar a vida? Por que não ter começado antes, já que poderia ter havido condições para isso:? Eu acho que é muito "poderia". Várias coisas poderiam ter acontecido, mas não implica que realmente aconteceram.

É um pensamento desesperançoso achar que estamos sozinhos no Universo, que não há ninguém mais velho e sábio. De repente houve e eles fizeram ais besteiras que nós e logo mandaram seu mundo pro Inferno. Não queremos estar sozinhos, o universo é muito grande. Somos como uma simples criança numa imensa cidade vazia, esperando ue algum adulto venha nos buscar. Pode ser que iremos perecer sem ver mais ninguém, pois para que haja um adulto, é preciso que ele tenha sido criança um dia.  Talvez tenha existido e o último adulto morreu antes ou pouco depois da humanidade ter nascido. Sim, é triste.

Mas sempre que leio um tema sobre isso, me vem à mente as palavras de Carl Sagan: Alguma civilização no Universo deve ter sido a primeira. Por que não a nossa?

10 comentários em “Aparecimento da vida pode ter ocorrido logo após Big Bang

      1. @André,

        Eu achei estranho quando ele falou isso aqui: “O pesquisador não insinua que as ideias darwinianas estejam erradas, “[a]o contrário, estou apenas dizendo que, da perspectiva da física, pode-se chamar a evolução darwiniana de um caso especial de um fenômeno mais geral”.

        E isso: “Tudo isto significa que, sob determinadas condições, a matéria adquire rigorosamente o principal atributo associado à vida. “Comece com um grupo aleatório de átomos e, se projetar luz sobre ele por tempo o bastante, não deve ser tão surpreendente que se obtenha uma planta”, diz England.”

  1. Esse artigo pode nos levar a um exercício de raciocínio interessante . Como o próprio sr André disse, talvez alguma civilização tenha feito mais besteiras (ou alguma que ainda não fizemos ). Ou simplesmente foram vítimas do acaso. Quantas podem ter surgido e sumido ? Talvez nenhuma. Isso nos retorna ao fato de que com tudo que sabemos, temos, conquistamos, no final das contas ainda somos aquele pálido ponto azul. Obrigado, professor.

  2. Acredito que as condições de vida surgiram quando já existiam as estrelas de segunda geração,pois os planetas rochosos como o nosso,somente apareceram após explosões de Supernovas(das estrelas de primeira geração),fornecendo o material necessário para a formação desses planetas.Essa história que “ilhas” de matéria podem ter existido,logo após o Big Bang é muito “achismo”.Mas essa é somente a minha modesta opinião.

  3. Suponhamos que tudo que exista hoje, inclusive a vida, tenha surgido de maneira aleatória e de forma espontânea. E pelo acaso, sem qualquer direcionamento, e às cegas, tenha evoluído até chegar nas espécies atuais. Qual a probabilidade de acontecer exatamente essas mesmas “coincidências” em outro planeta na zona habitável, levando em consideração os princípios antrópicos forte e fraco?

    1. Surgir vida? Muito grande. Manter-se vivendo muito tempo? Difícil dizer. Chegar a produzir as MESMAS espécies que aqui? Praticamente impossível.

    2. @SAULO NOGUEIRA, Sempre que leio sobre o surgimento da vida vem a questão das condições serem propicias. Certo, as condições forma propicias para chegarmos onde chegamos, mas porque somente essas condições podem gerar vida? Outras condições não poderiam? Se poderiam, então temos que supor que existe uma probilidade maior de existir vida em outro lugar do que achamos no momento!

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s