Bebê dinossauro resgatado por cientistas, mas tarde demais

A criancinha estava serelepe. Ela estava confiante que seria grande e forte como papai. Mas o destino não dá bola para esses desejos infantis, e a fatalidade chegou! Não era um bebê humano, mas sim um dinossaurinho feliz, que como eu amava besouros e pedras que rolavam. O que poderia ter dado fim à sua pobre vida?

O dr. Philip J. Currie é um misto de investigador, mexeriqueiro e curioso. Ele é cientista e trabalha no Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta, no Canadá. Dando um rolé pelo Canadá, ele e sua equipe encontram os restos mortais de um dinossauro bebê com, na época, 3 anos de idade. Um fofuxo que foi pra vala da extinção. Choremos.


Buááá, tão novinho! Eu quero ir juntoooooo!

O esqueleto fossilizado pertence à espécie Chasmosaurus belli, um "primo" do Triceratops, já que ambos pertencem à família Ceratopsidae, que viveram lá pelo ao período Cretáceo, mas também estavam dando o ar de suas graças no fim do Jurássico. Grande, bonitinho até, mas herbívoro. Ele foi encontrado nos arredores de Alberta e os cientistas estão estudando o que passou o rodo no moleque. Como não é um beagle, a maioria das pessoas não dá a menor bola.

Os restos estão bem preservados e a suspeita é que o bichinho tenha se afogado, já que não apresentava lacerações, mordidas ou cosas semelhantes. O lugar onde ele estava facilitou muito a conservação, onde a pele do bicho ficou grudada nos sedimentos e quase todos os seus tecidos sofreram permineralização, preservando-o por 70 milhões de anos, e foi essa data que deram ao fóssil.

Alguma coisa mexe com nossa psicologia evolutiva e nos sentimos desconfortáveis ao ver um filhote de animal morrer tão prematuramente. Animais como estes demoram cerca de 20 anos para chegar na idade adulta e reservamos um pouco de simpatia por isso, além do fato de… bem, é um dinossauro e toda criança adora dinossauros, e muitos adultos também adoramos.

Mas isso é Ciência e temos que ver as coisas objetivamente. Analisando a morfologia do bicho, aprendemos muito sobre animais herbívoros de uma maneira geral, bem como sobre outras espécies que viveram outrora.

Olhar um animal assim nos deveria fazer parar e refletir, pois dia chegará que algum arqueólogo e paleontólogo escavarão os locais por onde passamos e o máximo que sobrará será as nossas ossadas e aquele monte de tosqueira que guardamos. Acho melhor eu dar fim em algumas coisas.


Fonte: io9

4 comentários em “Bebê dinossauro resgatado por cientistas, mas tarde demais

  1. Isso me fez lembrar uma pregação que eu assisti certa vez, que o pastor falou citando versículos da bíblia que antes do homem ser expulso do paraíso todos os animais eram herbívoros :shock: usahsuahsuahusashua Só lembrei dos dinos… É cada uma…

  2. Eu, quando leio um artigo sobre animais que viveram num passado tão distante, fico cismando com meus botões, que paisagens e cores, cheiros e sons, essa criatura percebeu com seus sentidos, sei que não podemos mensurar a inteligência de seres assim (nem tanto de alguns humanos eheheh) mas fico imaginando as expectativas dele, dos pais, e do grupo ao qual ele pertencia. Bacana o artigo! :shock: ;-)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s