Segundo pesquisa, a religião se extinguirá em 9 países desenvolvidos

26 de março e a Hora da Vergonha Alheia
Hebe diz sentir pena de ateus. Choradeira geral

Uma pesquisa publicada esta semana sugere que em 9 nações desenvolvidas há uma forte tendência de se abandonar as religiões.  Os países apontados como sendo palco de tais previsões seriam a Austrália, Áustria, Canadá, República Checa, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia e Suíça. De acordo com as análises dos dados colhidos pelos censos desde o século XIX, há uma grande tendência em que haja aumento no número de pessoas que afirmam não ter religião. Mas as coisas podem não ser tão simples quando as manchetes sensacionalistas de jornais fazem crer.

A pesquisa foi chefiada pelo dr. Richard Wiener, do Research Corporation for Science Advancement e publicada no boletim da American Physical Society. O título sugestivo, e errôneo, da BBC infere que nesses países não haverá traços de religião alguma, o que é uma clara besteira per se. Mas não é isso que vai acontecer. Logo, meus caros ateuzinhos de fim-de-semana, não fiquem felizes nem abanem o rabinho, pois tio André do Cet.net vai dar más notícias para vocês (se bem que vocês normalmente não lêem o que escrevo. Azar).

O que aconteceu foi que eles traçaram gráficos indicativos relacionando o tempo com o número de pessoas que afirmavam ter religião. Isso, por si só, gera vários erros. Primeiramente, há aquela pressãozinha social, onde o sujeito acaba dizendo que tem alguma religião para não passar por maníaco psicopata (todo religioso é bonzinho e honesto. Os manos encarcerados nas penitenciárias não me deixam mentir). Assim, não se tem certeza se realmente aquele número indica o que parece indicar. É como no Brasil, onde se perguntar a alguém qual é a sua religião, fatalmente a resposta da maioria será evangélica ou católica. O fato de mal saber ler e nunca ter folheado a Bíblia é irrelevante. O fato de nunca ter ido à uma missa ou ter comungado é irrelevante. Isso quando o cara não diz “cristão”, o que pode abrir para uma imensa gama de possibilidades e aqueles que dizem “espírita”, só por ler livros da Zíbia Gasparetto (um saco, por sinal).

Sendo assim, isso diz-nos que atualmente há mais pessoas que dizem não ter religião. Ponto.

“Segundamente”, o que isso significa? Muita coisa, mas não que a religião se extinguirá nesses países, senhor jornaleiro! Uma religião não se extingue assim. Só há um único caso onde a religião pode ser extinta, extinta, apagada, zerada, formatada geral: aniquilação da civilização respectiva. Mesmo em casos de dominação, sempre há alguma forma de mistura e diluição entre as religiões, o que aconteceu com os negros escravos no Brasil. No entanto, restou apenas indícios e documentos das religiões maia e inca. Se realmente houvesse uma extinção da religião nesses países, igrejas e templos seriam retirados e seus clérigos teriam que encontrar outra freguesia, mas, pelo contrário. Podemos citar o caso da Irlanda, onde a igreja presbiteriana Sundown Free conseguiu liminar na Justiça para garantir o direito de pregar contra a sodomia numa passeata onde faziam uso de passagens do Levítico onde é dito que homossexuais são abominações (Levítico 18:22). Vai, diz que a religião está sendo extinta lá. Caso não saiba, BBC, você mesma trouxe esta notícia.

Agora, eu queria saber outra coisa. Quando eles falam em “religião”, eles incluem estas maluquices da Nova Era, numerologia, videntes, astrologia e tosqueiras afins? Não, filhotes, a religião até pode ter um recuo no número de seguidores (no Brasil, o cara diz que segue,m mas não segue de pertinho, se me entendem), e mesmo assim nas religiões organizadas. E isso acontece porque naqueles países não tem a mixórdia de religiões que há em países de tamanho maior. Com maior população, variabilidade maior. Simples assim.

De resto, a pesquisa é, ao meu ver, inútil; e a notícia publicada, apenas para despertar atenção dos leitores. Só isso, nada mais.

26 de março e a Hora da Vergonha Alheia
Hebe diz sentir pena de ateus. Choradeira geral

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • “Austrália, Áustria, Canadá, República Checa, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia e Suíça.”

    Mais da metade da população da China e do Japão não segue religião nenhuma e ainda citam Áustria, Canadá, Irlanda e… Nova Zelândia? Pô! A minha cunhada morou seis meses lá. O povo vai para a igreja tanto quanto no Brasil, se não mais. Caso do Japão mesmo os budistas eles parecem só se lembrar da religião deles no Ano-Novo ou na morte de algum conhecido. Talvez o Joseph me dê uma explicação para isso. 😉

    Também duvidei dessa notícia. Impossível acabar com a religião. Talvez a religião “organizada” em si sim, principalmente a cristã. Aconteceria de modo natural, sem aquele monte de sangue de antigamente, mas o cristianismo em si existiria de maneira mais independente, sem necessidade de templos. Ou seja, a necessidade de um “conforto espiritual” ainda existiria de um jeito ou de outro.

    Ah, sim. Em quase todos os ditos blogs ateus essa notícia se espalhou. Estes “céticos” caem facinho no papo da imprensa golpista. Bem, a BBC me decepcionou desta vez. 🙁

    Joseph K respondeu:

    @Nihil,
    Uma das limitações da pesquisa é que ela só pode ser feita nos -poucos- países que tinham informações em série história sobre a religião, nos censos.

    A religiosidade no Japão é um treco engraçado, muito se dizem budistas e/ou xintoístas mas “não praticantes”, se é que existe esse treco, e têm orgulho da seculidade da sociedade.

    Um artigo interessante sobre isso e o budismo funerário que você citou pode ser lido no site da CNN (1).

    Pelo que entendi da pesquisa, ela traça um paralelo com a assimilação e desaparecimento das línguas, modelando as vantagens e desvantagens de se pertencer a determinado grupo e, com isso, “prevendo” que denominações organizadas sumam. É matematicamente interessante, vale pelo desenvolvimento de modelos, mas eu não apostaria nada nela.

    (1) http://religion.blogs.cnn.com/2011/03/14/how-japans-religions-confront-tragedy/

    Nihil respondeu:

    @Joseph K, E como se comporta um budista “praticante”? Já me falaram que é mais filosofia do que religião. 😐

    Ah, sim. Obrigado 😉

    Joseph K respondeu:

    @Nihil,
    E como se comporta um budista “praticante”?
    Não faço a menor idéia.
    Tive avôs que eram, também, budistas, e nunca vi nenhum deles indo ao tempo a menos que fosse um funeral ou casamento.
    Conheço alguns budistas “modernos” que têm aqueles pequenos templos em casa, me esqueci do nome, e fazem umas orações diárias neles, mas não sei se isso é regra.

    Nihil respondeu:

    @Joseph K, De fato, hoje o budismo é a menos religiosa das religioes 🙄 Perdoe-me a incoerência 😛 Algo me diz que pode durar até mais do que o cristianismo organizado 😯

    Fátima respondeu:

    @Joseph K, Eu já fui budista (não que isso signifique alguma coisa, já que também quase me batizei TJ – fiz até curso de como pregar de porta em porta; Batista, católica, seicho-no-ie e etc), e cansei de fazer o nam-myoho-rengue-kyo. Me convidaram para sair qdo comecei a fazer perguntas icômodas…enfim… Eles tem uns armariozinhos onde guardam o Gohonzon e fazem ofertas de arroz. É algo BEEM pessoal e só dão um desses por família. O mais insuportável é ter de rezar várias vezes ao dia e em casa, de joelhos na frente do armáriozinho

    Administrador André respondeu:

    Podia ser pior. vc podia rezar ajoelhada SOBRE o os grãos de arroz.

  • Jones 8-1-1

    Concordo que obviamente nunca se extinguirá, tal qual a prostituição, a jogatina ou qualquer outra atividade que faz parte do comportamento humano…

    MAS, acredito que a loooooongo prazo, por exemplo daqui uns 200 anos, a humanidade estará tão mais evoluída que as pessoas irão dar risadas das histórias contadas nas religiões…

    Será para mim mais ou menos como o que as pessoas pensam sobre a mitologia greco-romana…

    Não 100% das pessoas pensará assim, mas creio que pelo menos metade…

    Agora, no Brasil e países latinos e africanos isso irá demorar mais na minha visão…

  • gustavo dos anjos

    Um fenômeno interessante é o seguinte. Já ouvi muita pessoas afirmarem que não seguem qualquer religião. Mas continuam acreditando em Deus. Seja ele qual for. Provavelmente um deus pessoal que cada individuo cria em sua cabeça como uma colcha de retalhos, cheio de conceitos que convém apenas para aquele indivíduo em particular.

    Deixar de acreditar em deus parece um passo bem mais difícil de ser dado em comparação ao fato de deixar de seguir uma religião. Não sou religioso, mas acredito em deus. Vai entender.

    Assim, mesmo que algum país deixe de ser religioso, não quer dizer que sua população abandonou a idéia de um deus. Acho bem improvável isso. Parece que para alguns, religião e deus não tem relação necessária.

  • Mari.

    Essas notícias polêmicas ò_ó só me fazem sofrer do coração! Onde já se viu uma extinção aos irlandeses católicos? Isso não pode! E sinceramente, cada vez mais a BBC parece mais um portal brasileiro de notícias. O que houve lá? ._.

    Nihil respondeu:

    @Mari., Acho que a nossa incompetência é contagiosa… Daqui alguns anos se der outro tsunami no Pacífico periga eles noticiarem que ele não chegará ao Brasil como noticiou alguns portais.

    Será que isso não tem vacina? 🙁

  • Bom, também houve um aumento no número de pessoas que se declaram homossexuais nos últimos 100 anos. Segundo a lógica, em breve todos serão homossexuais. 😯

    Administrador André respondeu:

    Exatamente!

    Nihil respondeu:

    @Daniel Sugui, Lembro de ter visto gente falando que chegaremos à vida eterna graças ao aumento da expectativa de vida. Bem, para saber disso levará uma eternidade. 😛

  • Joaquim

    O que é um ateu-de-fim-semana?

    Estou boiando 😕

    Administrador André respondeu:

    Um babaca que leu hoje “Deus, um delírio” e ache que sabe tudo sobre as religiões. Já vi até dizerem que Maomé não existiu.

  • Rafael-PE

    quando lí a noticia(BBC Brasil)achei estranho tbm…uma pesquisa feita e um resultado mostrado que não tem nada haver!!
    me lembra uma situação falaciosa(não lembro qual)..
    vai entender os caras…

  • SandroCeara

    @ André,

    Pq Tuvalu não aparece na pesquisa?

    Administrador André respondeu:

    É uma tramoia do PSDB e a imprensa golpista.

    Nihil respondeu:

    @André, Aposto que lá a religião já se extinguiu. 😛

  • steve_br

    Tem dois episódios de South Park sobre isso, em que o Dawkins conseguiu exterminar a religião no mundo e o Eric Cartman se teletransportou pro futuro onde todo mundo era ateu, muito engraçado esses episódios.

  • steve_br

    Se você for pra Inglaterra já observa, estão fechando tudo as igrejas! Só fica a catedral de cada cidade. Maioria virando tudo ateu! Já conversei com gente da Suécia, eles me disseram que na família deles são tudo ateu! Pai, mãe, vo, vó, sogra, tio, nora, genro…
    Aliás não precisa ir muito longe, só olhar o Brasil, a igreja católica e suas missas são pra afastar muita gente de tamanho tédio que são, 90% é gente velha ou pobre, eu se me convidam pra batismo ou casamento, eu não aguento nem 15 minutos de ladainha.
    Agora tem a nova onda do ”Espiritismo” para não fazer com que as pessoas abandonem de vez a espiritualidade, que a Rede Glóbulo de Televisão tanto gosta de fazer propaganda, que na verdade o espiritismo é: ”vamos tirar as partes ruins da bíblia, diremos que o diabo não existe, diremos que ateu não vai ser punido se for uma boa pessoa, vamos recortar essas partes ruins da bíblia pra ficar mais lógico e atrair mais gente”, é a nova propaganda.

    Administrador André respondeu:

    Apesar da péssima redação, não está tudo “virando ateu” na Inglaterra e eu gostaria de alguma fonte isenta que atestasse este fechamento generalizado de igrejas. Não acredite no que as pessoas lhe dizem, apenas pq disseram.

  • Conheço um sujeito que vai esporadicamente em igrejas evangélicas, aceita todos os livros da bíblia protestante, a trindade, o céu e inferno e o arrebatamento, mas jura que não segue religião e sim Gizuis. É o clássico “Mais Gizuis menos religião” ❗ ❓

  • Icarus

    “Eu já fui budista (não que isso signifique alguma coisa, já que também quase me batizei TJ – fiz até curso de como pregar de porta em porta; Batista, católica, seicho-no-ie e etc), e cansei de fazer o nam-myoho-rengue-kyo.”

    Que guinada na vida hein Fátima? 😉

    É bom ler estas coisas, diminui o ódio que eu sinto de mim mesmo.

    As vezes, quando eu lembro as merdas que eu já fiz nesta vida, eu tenho vontade de me auto espancar hehehe

    Administrador André respondeu:

    Não se reprima. Pode começar quando quiser. 😉

  • Joseph K

    @Fátima
    Já fostes TJ ? 😯 Agora posso me sentir melhor, com meu passado religioso, hehe.
    Esse negócio de entoar o nam-myoho-rengue-kyo dá uma canseira danada, especialmente nos funerais, depois de uns 15 minutos disso o cara começa a se desesperar; no entanto os budistas sabem fazer uma cerimônia funerária -e um chá- decente, muito melhor que qualquer missinha católica.

    PS: wtf aconteceu com o layout do blog?

    Administrador André respondeu:

    Será que eu sou o único que sempre foi uma pessoa normal? (se bem que poderia ter me tornado um fiel seguidor da santa madre igreja católica apostólica romana).

  • O layout dos comentários voltou ao funcionamento normal. Estamos fazendo uns testes para modernização do site. Algum comportamento errático poderá ser notado. Qq coisa, avisem por e-mail.

  • Não sinto nenhuma falta do meu passado religioso… Fui católico até aos 18 anos, indo para igreja todo domingo e rezando todo santo dia antes do almoço. Bem… Hoje sou o que sou. Um mala. 😛

  • Ray Duarte

    não adianta muito acabar com o credo sem acabar com a moral religiosa que está em nós desde pequenos (no nosso caso principalmente a moral judaico-cristã que é uma das piores senão a pior), mas SERIA já uma grande coisa se livrar das muletas existênciais que limitam tanto nossas ações (tenho medo de ter fugido do assunto, nesse caso desde já eu peço perdão).

    “Quando nascemos fomos programados
    A receber o que vocês
    Nos empurraram com os enlatados
    Dos U.S.A., de nove as seis.”
    (renato russo/fê lemos)

  • (no nosso caso principalmente a moral judaico-cristã que é uma das piores senão a pior)

    Não existe moral judaico-cristã, filho. Leia o sermão da montanha.

    mas SERIA já uma grande coisa se livrar das muletas existênciais que limitam tanto nossas ações

    Como coisa que elas só dependam das religiões.

  • SAULO NOGUEIRA

    O que eu adimiro em você André, é a sua honestidade intelectual, não puxando sardinha pra ninguém (se bem que as vezes você puxa, mas ninguém é perfeito.Rsrsrsrsr.) O ateu esclarecido e o agnóstico, como você, pelo menos declaram abertamente a sua não-crença, ou a possível crença na existência em um ser “supra-natural”. Pior são os “religiosos ateus”: aqueles que dizem acreditar em Deus, mas vivem como se Ele realmente não existisse e, infelizmente grande parte das pessoas vivem assim.
    A pesquisa só nos comprova uma coisa: as pessoas estão apenas confessando (talvez por estarem se libertando de tabus) algo que eles sempre foram:negligentes com a religião e assumindo uma postura menos covarde: a de ser sem religião(que não sigifica que não acreditem em nenhum deus).O que muitas pessoas estão fazendo hoje, é um verdadeiro self-service interdenominacional, pegando um pouquinho de cada religião e criando uma própria, particular, com seu deus peculiar,de acordo com seus gostos e convicções, algo que pra mim é pior do que não acreditar em nenhum deus. Qual a diferença de uma pessoa se dizer “religioso não-praticante”, ou dizer que não tem religião. Nenhuma. Estão apenas assumindo uma realidade que já experimentam há muito tempo.
    A maior incongruência que existe é uma pessoa se dizer não-praticante de determinada religião. Imagine alguém dizer: Sou Cristão “não-praticante”. Como que é isso? Ser cristão, mas não seguir a Cristo, é contradizer todos os seus ensinamentos, ou resumindo, sem meias palavras: é jogar bosta no ventilador.

    Márcio respondeu:

    @SAULO NOGUEIRA,

    “Pior são os “religiosos ateus”: aqueles que dizem acreditar em Deus, mas vivem como se Ele realmente não existisse e, infelizmente grande parte das pessoas vivem assim.”

    Questão de opinião: pra mim, o pior são aqueles que querem empurrar suas convições goela dos outros abaixo.

    “O que muitas pessoas estão fazendo hoje, é um verdadeiro self-service interdenominacional, pegando um pouquinho de cada religião e criando uma própria, particular, com seu deus peculiar,de acordo com seus gostos e convicções, algo que pra mim é pior do que não acreditar em nenhum deus.”

    De novo uma questão de opinião: eu não vejo menor problema nisso, desde que não queira me vender seu Frankenstein mitológico. Aliás, alguns conhecidos meus exerceram, desta forma, um raciocínio filosófico mínimo que seja, libertando-se de dogmas (que, por definição, são inquestionáveis)… Se isso trouxe resultados bons ou ruins, não cabe a mim julgar. É questão de cunho pessoal.

    “Sou Cristão “não-praticante”. Como que é isso? Ser cristão, mas não seguir a Cristo, é contradizer todos os seus ensinamentos, ou resumindo, sem meias palavras: é jogar bosta no ventilador.”

    Na minha humilde opinião, dados os “maravilhosos” ensinamentos de Cristo, prefiro que seja assim. 😉

    Administrador André respondeu:

    Eu entendi o que o Saulo quis dizer. Se vc quer ser cristão, SEJA cristão e não fazer a salada que é a Universal, com “fogueira santa” e “sessão de descarrego”.

    Márcio respondeu:

    @André,
    O termo “cristão não-praticante” gera para mim uma confusão, pois não se aplica a essas seitas como a Universal, nas quais o fervor dos fieis é o fermento cultural.
    Então, desde que o indivíduo mantenha sua fé para si sem importunar os outros (imagino que muitos “cristãos não-praticantes” agem dessa forma) ele pode cultivar a mixórdia mental que lhe der na telha.

    Nihil respondeu:

    @Márcio, “eu não vejo menor problema nisso, desde que não queira me vender seu Frankenstein mitológico.”

    Eu conheço uns “cristãos budistas” aqui. 😯 Alguns mantém um imagem da Virgem Maria num templo budista. Bem… Vai entender. Olha que onde eu moro tem duas igrejas católicas.

    Joseph K respondeu:

    @Nihil,
    Acho engraçado, mas até que faz sentido, o budismo não tem, a princípio, nenhum problema com outras religiões, então se o cara quiser ser ubandista e budista, não tem problema; quanto ao xintoísmo, é mais fácil ainda, já que é politeísta por natureza.

    Renato Kistner respondeu:

    @SAULO NOGUEIRA,

    O que eu adimiro em você André, é a sua honestidade intelectual,

    É “algo como um caminhão vindo de frente”.

    Márcio respondeu:

    na banguela?
    :mrgreen:

    Administrador André respondeu:

    Mais respeito! Eu gastei uma grana preta com tratamento pra clarear os dentes da minha mulher, ô!

    Renato Kistner respondeu:

    Eu sempre achei que “mxuinguel” era uma mulher…

    Márcio respondeu:

    Imagem: vale mais que mil palavras… 🙂

    Fátima respondeu:

    @Renato Kistner, Sempre penso em boliches e strike, qdo vejo comentários do homem radioativo. O engraçado é que tenho um funcionário que é cristão e lê esse site, só não comenta pq MORRE de medo. Eu acho graça, mas fico até com dó dele. Uma coisa é fazer os comentários não postados para mim, que não pego pesado, dado o ambiente, outra é bater na porta do cet.net, ele seria massacrado e nunca se recuperaria.

    Renato Kistner respondeu:

    @Fátima, Eu sei que que o homem já vai pegar no meu pé, devido ao desvio de assunto, mas não posso deixar de comentar a semelhança do André com um Juiz de Direito. Tem advogado que caga de medo (desculpe o termo) de falar com o magistrado, com pq acha que vai levar uma patada. E, dependendo da asneira, pode ser que leve mesmo… Com o André é mesma coisa.

    O fato é que o MEDO nos priva de muitas situações, boas ou ruins. Cabe ao individuo julgar, em cada caso, quando ele deve ou não calar a boca. Falar muito é ruim, pouco também.

    Administrador André respondeu:

    Eu sou da linha “quem não deve, não teme”.

    Joseph K respondeu:

    @SAULO NOGUEIRA,
    O que muitas pessoas estão fazendo hoje, é um verdadeiro self-service interdenominacional, pegando um pouquinho de cada religião e criando uma própria, particular, com seu deus peculiar,de acordo com seus gostos e convicções, algo que pra mim é pior do que não acreditar em nenhum deus.
    Da maneira como vejo, Saulo, isso é inevitável.
    Quanto mais longe da ortodoxia, mas provável que se flexibilizem os ritos, as crenças e os dogmas – E o cristianismo no Brasil está a anos luz da ortodoxia, além do que o sincretismo já é quase uma tradição, por aqui.
    Os judeus, assim como os cristãos ortodoxos não tem tantas denominações quanto outras formas de cristianismo, especialmente os que já tem origem em uma Reforma.

    (…)algo que pra mim é pior do que não acreditar em nenhum deus.
    Posição interessante, mas o próprio cristianismo tem origem na deturpação de uma fé, a fé judaica e, como pode se deduzir, é coerente com o que você disse: acaba mesmo chegando a um “deus diferente”.