Analisando séries e filmes de super-heróis XIV

Os filmes e/ou séries que eu ainda espero que sejam produzidos

Há um plantel imenso de heróis e super-heróis – tanto de quadrinhos quanto de desenhos animados – a serem explorados em produções cinematográficas. Olhando para trás, eu tenho uma listinha de personagens e histórias que poderiam ser adaptadas pela Disvel e War-DC para live actions e/ou séries. Alguns excelentes arcos a Disvel já queimou de forma tosca e muito certamente não tocará de novo. Ainda assim, vamos citar alguns filmes que eu gostaria de ver no cinema. Não, não está em nenhuma ordem específica. Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis XIV”

Analisando séries e filmes de super-heróis XIII

Batman vs Superman e a Martha Ex-Machina

Ficou a convenção que Batman x Superman: A Origem da Justiça é um filme ruim. Novamente, o problema é mais complexo do que simplesmente “o filme é ruim”. Um dos pontos foi o ABEÇURDO o “Save Martha”. Como assim, aquilo foi posto ali? Como assim o Bátema congelou? Antes, porém, vamos falar da cagada que a Warner fez. Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis XIII”

Analisando séries e filmes de super-heróis V

Vilões, o grande problema da Marvel (mas nem deveria ser)

Eu escrevi “Marvel”, no subtítulo, mas deveria ter escrito “Disney”, mesmo. Todos se referenciam à Marvel Studios, mas ela é de propriedade da The Walt Disney Company agora e isso porque a Marvel sempre esteve na pindaíba e faliu umas trocentas vezes. Nos anos 1950, a então Atlas Comics estava passando por maus bocados. Nos anos 1970, começou a haver uma contração do mercado de quadrinhos, mas ainda assim a Marvel conseguia se manter, apesar de seus títulos. Os personagens eram famosos, e o são ainda hoje. Mas curiosamente, isso não refletia nas vendas. Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis V”

Analisando séries e filmes de super-heróis IV

Gosta de filmes de super-heróis? Agradeça ao Tim Burton e seu Batman

Batman é um dos personagens mais icônicos, famosos e queridos da DC. Ele é tão importante que, sem ele, não teríamos os filmes da Marvel (seja da Disney, Fox, Sony ou Universal). E isso se deu ao fato do filme Batman, de 1989. Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis IV”

Racistas miseráveis pressionam para apagar conquista de mulher negra

Anteontem eu postei sobre o quebra-quebra geral, em que um bando de idiotas – que os russos chamariam de nekulturnyi – resolveram destruir monumentos históricos para apagar o passado. O tipo de coisa que o pior dos racistas daria graças a Deus, de forma que ninguém se lembraria mais das merdas que ele fez. Eu até sugeri alguns monumentos, por sinal. Hoje, chega a notícia que a HBO Max removeu do seu catálogo o filme “E o Vento Levou…”, por motivos que ele tem negros escravos e isso é errado, pois parece que negros são estereotipados como escravos num filme que se passa na Guerra de Secessão.

Continuar lendo “Racistas miseráveis pressionam para apagar conquista de mulher negra”

Escolhida nova diretoria da ANCINE, pela glória do Senhor Jesus!

Finalmente o pessoal que andou surtando pelo fato de as pessoas irem no cinema e pagarem pelos filmes que querem realmente ver está feliz. De tanto reclamarem que os cinemas colocarem várias salas passando Vingadores (todas elas lotadérrimas), Bolça-Presidente resolveu que ia dar um fim nisso, taokey? Agora, o pessoal que foi chique no Oscar, com boné do MST vai poder dizer “CHUPA, USA!”

Bolça-Presida já bateu o martelo e nomeou o pastor Edilásio Barra e a diretora do Festival Internacional de Cinema Cristão, Veronica Brendler, para a diretoria da ANCINE. Agora, sim! Vamos mostrar aos estadunidenses que aqui tem cinema. RÁ! E aí, pessoal da Canhota? Estão felizes?

Comendo pipoca vendo o retardamento mental na telona, esta é a sua SEXTA INSANA!
Continuar lendo “Escolhida nova diretoria da ANCINE, pela glória do Senhor Jesus!”

Mitos científicos no cinema

Ok, você acha que eu vou falar sobre sons no Espaço ou como o Super-Homem jamais poderia levantar um prédio sem se enterrar no chão. Você acha que eu falarei sobre viagem no tempo etc, mas não. Vou usar outros exemplos. Não, Gavisti não significa desejo por vacas, carbono 14 não analisa metal alienígena e biólogos não são retardados de meter o mãozão em qualquer bicho esquisito que apareça na frente dele.

Sabemos, claro que cinema é apenas entretenimento, e se você quer alguma mensagem, procure os Correios, como diria Samuel Golwin (dos estúdios Metro Goldwin Meyer), mas de vez em quando é divertido apontar isso e se tem muita gente que fala o mais do mesmo, por que eu não posso apontar algumas bobagens também?

Continuar lendo “Mitos científicos no cinema”

O fenômeno da Superlua explicado pela óptica

O fenômeno da Superlua ocorre quando o nosso satélite se situa a não mais de 10% do seu ponto mais próximo da Terra no percurso da sua órbita (o perigeu). Isso faz com que ela tenha um tamanho aparente no céu entre 10-14% do que costuma aparentar. Algumas pessoas tentam ver diferença, mas quando levamos em conta as dimensões aparentes, é querer muito ver algo imenso.

Mas como as fotos mostram a Lua tão imensa? Como eu vejo a Lua no horizonte parecer maior do que quando a olho no céu?

Continuar lendo “O fenômeno da Superlua explicado pela óptica”

Vó, ó o vilão malvado aqui, ó!

Nada pior que gente chata. Ah, sim, tem as pessoas sem senso de ridículo, Não, péra. Tem os ofendidos profissionais, os militantes e gente com preguiça de dar cabo daquela pia imunda em casa. O que arrumaram dessa vez? Simples, estão reclamando de tudo. Desde propaganda de hamburgueria até o outdoor da Fox promovendo X-Men Apocalipse.

Se o objetivo é ter um mundo chato, gerido por retardados, estamos no caminho certo de ter o mundo inteiro como um gigantesco Brasil.

Continuar lendo “Vó, ó o vilão malvado aqui, ó!”

E se as grandes obras literárias fossem feitas hoje?

Eu vivo dizendo que o mundo está chato. As pessoas querem tudo pra ontem. Crianças que têm tudo a hora e a tempo não se contentam com o que recebem, sempre querendo mais, reclamando muito, desdenhando etc. Nunca estão satisfeitas. Nada está bom o suficiente. Me lembro da experiência que era ir no cinema e, durante os traillers, sabermos que ia ter um filme do Stallone ou qualquer outro ator que admirávamos. Não precisávamos saber sobre o que seria o filme. Aguardávamos ansiosos. Se perdíamos, ficávamos aguardando pacientemente uns 3 anos até sair pela primeira vez na TV.

Hoje, não serve, nada está bom, vai demorar muito. Mal sai um teaser, em que NADA do filme é revelado e já dizem que será ruim. Eu fico imaginando se essa gente fosse viva no tempo das grandes obras literárias, o que aconteceria…

Continuar lendo “E se as grandes obras literárias fossem feitas hoje?”