Testemunhas de Jeová correm mais risco de morte durante o parto que as demais pessoas

Um estudo publicado no British Journal of Obstetrics and Gynaecology (BJOG) verificou que as mulheres que são Testemunhas de Jeová enfrentam um aumento significativo do risco de morte durante o parto. O estudo constatou que as mulheres neste grupo possuem uma probabilidade seis vezes maior de morrer, e três vezes mais provável de contraírem complicações sérias, acima da média (em comparação com a população holandesa em geral). Isto inclui um aumento de 130 vezes no risco de morte por hemorragia obstétrica grave.

Os Testemunhas de Jeová são uma seita (e das mais chatas, diga-se de passagem) com mais de seis milhões de membros em todo o mundo. Por motivos religiosos, a maioria dos toscos Testemunhas de Jeová recusa transfusão de sangue ou de qualquer dos seus componentes primários (glóbulos vermelhos e glóbulos brancos, plaquetas e plasma, mesmo sem eles sequer saberem o que são eles), mesmo quando glóbulos vermelhos transfusão poderia salvar suas vidas. Resultado? Lá vão os médicos pra justiça a fim de garantir a sobrevivência da criatura que acha que G-zuis aparecerá no último instante para salvá-los, que nem nos filmes do Super-Homem.

Mais fácil acreditar que o Super-Homem existe…

No referido estudo, os pesquisadores examinaram todos os casos de mortalidade materna nos Países Baixos entre 1983 e 2006, e todos os casos de morbidade materna grave entre 2004 e 2006. Os autores relatam que os casos identificados de mortalidade materna em Testemunhas de Jeová durante este período, foram causados por uma grande hemerragia obstétrica. A decisão de recusa de transfusão de hemácias foi tido como um fator importante para o desenrolar dos acontecimentos que conduziram à morte dessas mulheres. Todos os casos de morbidade materna grave em Testemunhas de Jeová foram similarmente causado por grandes hemorragias obstétricas e ligados a uma recusa de transfusão de glóbulos vermelhos.

Uma pessoa malvada poderia sacudir a cabeça e dizer: Parabéns, idiotas. Darwin Awards na cabeça. Agindo assim, essas criaturas não teriam muitos filhos, morrendo em seguida e não passando adiante seus genes da imbecilidade. Acontece que ainda temos certa compaixão por estes tipos de idiotas, que parecem ficar contentíssimos em morrer de forma bárbara, como se estivéssemos na Idade Média. emos profissionais, tecnologia, alto percentual de cura, e mesmo assim estas bestas preferem agir como débeis mentais, seguindo um livro que não fala NADA sobre receber transfusão. E não me venham com as merdas da Hermenêutica. Quero a parte textual que traga algo assim:

Não receberás sangue, a fim que continues vivo. MORRA MALDITO!!!!!!!!! BUAAHAHAHAHAHAHA

Considerando que as Ovelhinhas do Senhor que testemunharam-algo-que-ninguém-sabe-o-que tenham deixado bem clara sua estúpida posição sobre serem contra transfusões de sangue ou de qualquer um dos seus principais componentes, os membros individuais podem ter diferentes posições sobre a aceitar o tratamento com outros produtos derivados do sangue, tais como fatores de coagulação ou receber de volta seu próprio sangue coletado e tratado. Estas escolhas individuais podem fazer uma grande diferença na administração de tratamento imediato em casos de grandes hemorragias. Os autores recomendam que tratamentos aceitáveis para cada paciente – juntamente com as alternativas disponíveis – sejam discutidos no início da gravidez.

O professor Jos van Roosmalen, supervisor da pesquisa, disse: “Na Holanda, em geral, a taxa de mortalidade materna devido à hemorragia obstétrica é extremamente reduzido (cerca de 0,67 a cada 100.000 nascimentos). Excelentes instalações e pronta transfusão de sangue contribuem fortemente para este baixo índice”.

O pesquisador ainda completa: “Testemunhas de Jeová, ao recusar transfusão de sangue, expõem-se a um risco grave durante o parto. Nosso estudo demonstrou uma taxa de mortalidade materna devido à hemorragia obstétrica de 68 por 100.000 crianças nascidas vivas, 130 vezes mais riscos do que a média.”

O professor Philip Steer, editor-chefe do BJOG, disse também que “as grandes hemorragias obstétricas são uma das principais causas de mortalidade materna. É importante para os médicos para discutir todos os riscos e as alternativas disponíveis com o paciente no início da gravidez, para garantir que ambos paciente e médico tem uma clara compreensão das opções, no caso de uma emergência.” Ele ainda complementa: “Qualquer hospital que tratar Testemunhas de Jeová deve ter um claro protocolo para a assistência obstétrica, assegurando a formação do pessoal na gestão de hemorragia obstétrica nesses pacientes.”

É lamentável ver pessoas preferirem correr riscos de morte, em nome de uma religião que, a priori deveria preservar a vida a qualquer custo, e não se preocupar com o que uma entidade inventada na Idade do Ferro tendo ataque de piti porque a Ciência venceu onde a religião falhou.


Fonte: BJOG

2 comentários em “Testemunhas de Jeová correm mais risco de morte durante o parto que as demais pessoas

  1. rsrs
    Gente, quanto anúncio de evangelicos aqui. Deus dá din din, eu tô pensando como ganhar dinheiro em nome de Deus tb. (rs)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s