Grandes Nomes da CIência

Biografias de cientistas conhecidos ou não tão conhecidos assim. Curiosidades e fatos sobre suas pesquisas, inclusive gente anônima que fez ciência e não recebeu os devidos créditos. Mais »

Livro dos Porquês

A sabedoria e o conhecimento. Isso é Poder! Abra sua mente, aprenda mais sobre questões básicas (e complexas) e tire suas dúvidas, de forma mais didática possível, sem ser aquelas aulas chatas de colégio. Mais »

Grandes Mentiras Religiosas

O mundo não é tão bizarro quanto fazem parecer. Mentiras e enganações para ludibriar as pessoas, lindamente desmontados, de forma a trazer à luz a desonestidade para tentar lhe fazer parar de pensar e simplesmente aceitar o que querem que você pense. Mais »

Caderno dos Professores

Para quem quer ensinar e muitas vezes se pergunta como abordar um tema. Como deixar a aula interessante, como levar conhecimento aos seus alunos por meios que pedagogos lhe odiarão, mas serão amados pelos estudantes. Mais »

 

Análise das fontes externas que mencionam Jesus

FLÉGON ou FLÉGÃO (PHLEGON)

Flégon de Trales nasceu… em Trales, que ficava no que hoje é a Turquia. Não se sabe direito quando ele nasceu, mas com certeza foi no século II da Era Comum. Sua principal obra é Olimpíadas, um compêndio histórico em dezesseis volumes, tratando da história dos Jogos Olímpicos desde sua origem até o ano de 137 E.C.. Que mais que se sabe dele? Nada muito mais que isso.

Segundo relatos de segunda mão, Flégon teria escrito sobre um eclipse ocorrido na Palestina do século I. Sabem quem relatou isso? Júlio Africano e, de modo terciário, Eusébio de Cesareia. Isso é interessante para você? pois mais interessante é saber como Júlio Africano narrou isso:

Na verdade, que assim seja. Deixe a ideia de que isso aconteceu aproveitar e levar para longe da multidão, e deixe o prodígio cósmico ser contado como um eclipse do Sol de acordo com sua aparência. Relatos de Flégon que no tempo de Tibério César — durante a lua cheia — um eclipse total do Sol aconteceu, desde a hora sexta até a nona. Claramente este é o nosso eclipse! O que é comum sobre um terremoto, um eclipse, rochas dilaceradas, um aumento dos mortos, e tal movimento enorme cósmica? No mínimo, durante um longo período, nenhum destes eventos é lembrado. Mas era uma escuridão enviada por Deus.

Júlio Africano está descaradamente de sacanagem! O texto é claro em demonstrar as intenções do autor: não é um relato histórico e sim uma apologia cristã! E mal feita, diga-se de passagem. No relato de Thallus, o eclipse "parece ilógico". No relato de Flégon é genuíno e uma obra divina. Curiosamente, ele confessa que ninguém se lembra de noites densas em pleno dia, terremotos e mortos ressuscitando. Não há uma única evidência documental, arqueológica ou histórica que tenha paralelo com isso. Não, nadinha. Temos Eusébio citando Júlio Africano, que cita Flégon e Thallus, mas Júlio se contradiz. Qual a probabilidade do relato ser verdadeiro? Alta se tivermos relatos independentes, mas não há nenhum. Gaius Plinius Secundus – também chamado de Plínio, o Velho – escreveu Naturalis Historia, onde descreve muito da história natural de sua época (ele viveu entre 29 e 79 E.C.) , mas não escreveu uma linha sobre aquele eclipse mágico.

Nas palavras de Eusébio:

Jesus Cristo sofreu a sua paixão no ano 18 de Tibério [32 E.C.]. Também nessa época, em outro compêndio grego encontramos um evento registrado com estas palavras: "o Sol foi eclipsado, Bitínia foi atingida por um terremoto, e na cidade de Nicéia, muitos prédios caíram." Todas estas coisas aconteceram para ocorrer durante a Paixão do Senhor. Na verdade, Flégon escreveu mais sobre esses eventos em seu livro 13 [das Olimpíadas], dizendo isto: "Agora, no quarto ano da Olimpíada 202 [32 E.C.], um grande eclipse do sol ocorreu em a hora sexta [meio-dia], que superou todos os outros antes dele, transformando o dia em trevas tal da noite que as estrelas podiam ser vistas no céu, e a terra se moveu na Bitínia, derrubando muitos edifícios na cidade de Nicéia. "

Alguém tem aí algum relato paralelo? Não, não temos. Temos alguma evidência geológica ou arqueológica? Não, não temos. Por que dar credibilidade a isso? Por que corrobora com a Bíblia? Isso pode soar honesto aos apologistas cristãos, mas em nenhum tribunal seria aceito. Se bem que com suborno consegue-se qualquer coisa hoje em dia…

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

  • Bocejo. Vai lá ler Um Judeu Marginal (já tá no 3º Volume. tem muito pra vc ler) e depois volta aqui, sim.

    Mas antes, leia a Bíblia. Principalmente Mateus cap. 5, que diz que você não pode me xingar, mas tentar ser meu amigo e oferecer a outra face cada vez que lhe ofenderem. Ah, sim, no cap. 6 diz que quem reza em igrejas é hipócrita. 😉

    Crentinho retardadinho

  • Edrua Los

    Poderia pelo menos responder a essa questão?

    Pryderi respondeu:

    Luciano de Samosata falar que existem cristãos significa tanto que Jesus existiu como Comic Con prova que o Super-Homem existe.