Grandes Nomes da CIência

Biografias de cientistas conhecidos ou não tão conhecidos assim. Curiosidades e fatos sobre suas pesquisas, inclusive gente anônima que fez ciência e não recebeu os devidos créditos. Mais »

Livro dos Porquês

A sabedoria e o conhecimento. Isso é Poder! Abra sua mente, aprenda mais sobre questões básicas (e complexas) e tire suas dúvidas, de forma mais didática possível, sem ser aquelas aulas chatas de colégio. Mais »

Grandes Mentiras Religiosas

O mundo não é tão bizarro quanto fazem parecer. Mentiras e enganações para ludibriar as pessoas, lindamente desmontados, de forma a trazer à luz a desonestidade para tentar lhe fazer parar de pensar e simplesmente aceitar o que querem que você pense. Mais »

Caderno dos Professores

Para quem quer ensinar e muitas vezes se pergunta como abordar um tema. Como deixar a aula interessante, como levar conhecimento aos seus alunos por meios que pedagogos lhe odiarão, mas serão amados pelos estudantes. Mais »

 

Análise das fontes externas que mencionam Jesus

OUTROS AUTORES

É muito difícil, para não dizer impossível, defender que há relatos paralelos da vida de Jesus. O que temos são extrapolações, fraudes e apenas rituais de fé. Mencionar Philo Judaeus, ou Filo o Judeu , Justo Tiberíades, Plínio, o Jovem, Luciano de Samosata entre outros não adianta. Eles não escreveram sobre Jesus. Escreveram sobre a existência de cristãos. Novamente, pouco prova, já que Caio Júlio César venerava os deuses romanos. Se Júlio César venerava Ceres, Juno, Júpiter etc, estes deuses são reais?

Apelam então para o texto de Suetônio, em que menciona Chrestus. Só que "Chrestus" é nome próprio. "Cristo" é título, como Justino Mártir ("mártir" não era sobrenome dele). Numa obra referindo-se ao reinado do imperador romano Cláudio (Vita Claudii, XXV), Suetônio afirma que este “expulsou de Roma os judeus, que, sob o impulso de Chrestus (Chrestus e não Cristo. Uma coisa é uma coisa. outra coisa é…), se haviam tornado causa frequente de tumultos”.

Só que Jesus nunca pisou os pés em Roma, segundo o relato evangélico.

O silêncio histórico continua.

A história em que Abgar V, rei de Edessa, escrevera uma carta para Jesus, convidando-o a ir até lá, com recusa do Nazareno não merece crédito. Muito dificilmente Jesus sabia ler e escrever. A lenda ainda diz que ao declinar a oferta, Jesus fez uma impressão de seu rosto num pedaço de tecido. Qual é o fundamento para isso? Nenhum, como sempre. Assim são as lendas. Eusébio bem que tentou passar o mito que Jesus escrevera para o rei Abgar, mas ninguém levou muito a sério, pois não há relatos paralelos.

Como sabemos que Júlio César, Platão, Sócrates e Alexandre da Macedônia existiram? Porque temos evidências, temos provas, temos documentos de diversos autores, onde um não contradiz o outro. Não sabemos se REALMENTE Júlio César cruzou o Rubicão. Nem se sabe ONDE é este rio Rubicão, mas isso não é importante. Temos estátuas, documentos, cartas etc. para provar que HOUVE um general chamado Caio Júlio César, que deu um Golpe de Estado e se aliou ao Egito. Temos provas egípcias que ele existiu, assim como temos provas romanas que a rainha Cleópatra teve relações amorosas com ele e Marco Antônio.

Eu sei que Alexandre da Macedônia conquistou todo o Mundo Antigo. Há fontes egípcias, persas, babilônias e até hindus. Eu não sei se um falcão o guiou e a seus homens até o Egito, mas isso não implica que suas táticas militares eram obra de fantasia. Fídias pode não ter esculpido cada uma das estátuas que ele projetara, assim como Bernini jamais o fizera. Eles desenhavam, seus auxiliares executavam a tarefa. Mas as estátuas estão lá, estão assinadas e há diversos relatos que comprovam a autoria daquelas maravilhas.

Mas quando eu tenho um texto que fala de eclipses que não são provados e ninguém viu em nenhuma outra parte do mundo, quando uma obra fala que sábios de todas as partes do mundo vêm falar com um jovem rabino e este maravilha a todos com sua cultura e inteligência, mas nenhuma única linha é escrita sobre estes encontros maravilhosos, o que podemos fazer senão duvidar disso? Josh McDowell diz em seu livro que as evidências exigem um veredicto. Qual o veredicto a ser dado mediante o exame das “evidências” apresentadas, senão FARSA? Pura e simples farsa.

Mas assim não teremos apologética, não teremos a defesa insana de algo por pura fé, querendo arduamente convencer as pessoas que fatos sem nenhuma comprovação são verdadeiros e que quem duvidar é que prove o contrário, mostrando a ética e seriedade de um debate em que você pode demonstrar seguidamente o porque daquelas alegações não terem sentido, mas mesmo assim o apologeta se recusará a aceitar e repassará aos quatro ventos a mesma ladainha falsa que, em sua visão, prova que sua fé é bem diferente de alguém que reza pro Sol ou coloca oferendas para entidades mágicas da floresta.

O exame das provas foi feito. As incongruências, descartadas. Os relatos absurdos, jogados na lixeira. As testemunhas tiveram a sua chance, mas só aquelas que eventualmente existiram e não as peças de fantasia montadas num grande show de ilusionismo. Sim, o veredicto foi dado, queiram ou não. Aceitem ou reclamem o quanto quiser, mas a verdade está aí, bem à sua frente. A decisão é sua de aceitá-la ou criar uma verdade própria e repassá-la num sem-número de sites ou debates em fóruns.

A promotoria encerra.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

  • Bocejo. Vai lá ler Um Judeu Marginal (já tá no 3º Volume. tem muito pra vc ler) e depois volta aqui, sim.

    Mas antes, leia a Bíblia. Principalmente Mateus cap. 5, que diz que você não pode me xingar, mas tentar ser meu amigo e oferecer a outra face cada vez que lhe ofenderem. Ah, sim, no cap. 6 diz que quem reza em igrejas é hipócrita. 😉

    Crentinho retardadinho

  • Edrua Los

    Poderia pelo menos responder a essa questão?

    Pryderi respondeu:

    Luciano de Samosata falar que existem cristãos significa tanto que Jesus existiu como Comic Con prova que o Super-Homem existe.