Placebo ajuda a acabar com o estresse mesmo em pessoas que sabiam estar tomando placebo

Todo mundo conhece placebos, embora nem tanto quais os mecanismos por trás deles. O que se sabe é que ele funciona, inclusive em animais e em idiotas que acham que fosfoetanolamina cura câncer e cloroquina cura coronga em quem não tem coronga. Placebo funciona até quando você sabe que é placebo, e isso ficou evidenciado quando pesquisadores estudaram a redução de marcadores cerebrais de estresse emocional por meio de placebos. Sim, a pessoa reduz o estresse emocional com placebos, mesmo sabendo que estão tomando placebos.

A mente é algo bem bizarro

O dr. Darwin Guevarra é pesquisador ligado ao Departamento de Psicologia na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Michigan. A página institucional dele traz incríveis e relevantes informações sobre o pesquisador, sua linha de pesquisa e quais os seus interesses abordados.

Tecnicamente, os placebos podem ser administrados sem o conhecimento do paciente ou com o conhecimento. No caso dos testes, Guevarra e seu pessoal testaram como seria a ação dos placebos com reações emocionais em pacientes que tenham consciência que estavam tomando um remédio que não era remédio nenhum.

Seria como mandar alguém tomar um comprimido de açúcar, ver um videozinho sobre o poder dos placebos e encarar a vida com o estresse reduzido. Tipo, é como dizer “ó, é placebo, mas funciona”. Não precisa inventar ações mágicas que não existem, como no caso da fosfoetanolamina pro câncer e cloroquina pra coronga. A diferença é que você SABE que é efeito placebo e está dentro da sua cabeça, diferente desses “juro pela postagem do WhatsApp” que circulam por aí.

O teste foi o seguinte: mostraram a dois grupos separados de pessoas uma série de imagens emocionais em dois experimentos. Os membros do grupo do placebo não receptor leram sobre os efeitos do placebo e então os pesquisadores pediram que inalassem um spray nasal de solução salina. Os pesquisadores disseram aos participantes que o spray nasal não continha ingredientes ativos, mas ajudaria a reduzir seus sentimentos negativos se eles acreditassem que sim. Os membros do grupo de controle de comparação também inalaram o mesmo spray de solução salina, mas foram informados de que o spray melhorava a clareza das leituras fisiológicas que os pesquisadores estavam registrando.

O primeiro experimento descobriu que as pessoas que sabiam que os placebos eram placebos tiveram redução no estresse emocional, conforme relatado pelos próprios participantes; e ao se analisar o cérebro dos voluntários, verificou-se que houve redução na atividade elétrica cerebral, refletindo o quanto a pessoa sente angústia em relação aos eventos emocionais, e a redução da atividade cerebral emocional ocorreu em apenas alguns segundos.

A pesquisa, com textinho integral disponível (de nada) foi publicada no periódico Nature Communications.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s