Obesidade acarreta ser atacado por vírus com mais eficiência. Parabéns, fofinhos!

Ser gordo não é fácil, meu amigo. Além de ser ponto de referência (“tá vendo ali aquele gordo? É bem na esquina”) ainda tem sérios problemas de saúde. Mas calma, a Natureza, que deve ser rolhadepoçofóbica, ainda tem outras travessuras para te sacanear, minha cara chupetinha de baleia.

Uma pesquisa recém-publicada concluiu que obesidade, não só lhe arruma problemas de passar na roleta do ônibus, como ainda promove a infecção por meio de vírus influenza. Sim, Free Willy, você tem maior chance de contrair gripe. E vai tossir pra lá!

A drª Stacey Schultz-Cherry professora do Hospital de Pesquisa St. Jude Children e vice-diretora do Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde para Estudos sobre a Ecologia da Gripe em Animais e Aves. Não, ela não estuda se aquela vizinha de aspecto suspeito do 602 está bem de saúde. A não ser que ela esteja um pouquinho acima do peso.

De acordo com a pesquisa da drª Schultz-Cherry, o vírus da Influenza adora o pessoal cintura de ovo, mas gosta tanto que testes em animais demonstraram que o vírus da gripe (gripe mesmo, e não resfriadinho comum) pode se espalhar mais profundamente nos pulmões por períodos mais longos quando o objeto de estudo está com sobrepeso, obesidade e gordo pra caramba!

Schultz-Staffel, digo, Schultz-Cherry e seu pessoal descobriram que quando o vírus sem-vergonha passou de camundongo obeso para camundongo obeso, o filho da mãe do vírus passou por mudanças, e as variantes exibiram replicações virais aumentadas, resultando em virulência aumentada.

Em outras palavras: você tá obeso? Parabéns, sua gordura está fazendo o vírus se reproduzir de forma mais rápida, tomando todo o seu organismo, fazendo você ficar mais doente ainda! Não apenas isso, o vírus muda, se aprimora, já que seu código genético é bem simples e ele sofre mutações que podem acarretar em grandes mudanças, e nenhuma dessas mudanças lhe dará poderes x-men.

O aumento dessa diversidade genética do vírus sem vergonha da influenza em camundongos obesos correlacionou-se com a diminuição das respostas do interferon tipo I e o tratamento de camundongos obesos com interferon recombinante reduziu a diversidade viral, sugerindo que as respostas antivirais atrasadas exibidas na obesidade podem permitir o surgimento de uma população mais virulenta do vírus influenza .

Versão Too Long, Didn‘t Read: se você é gordo, você tem coisas piores para se preocupar, pois você estará cada vez mais ferrado! Está só na base do “Jesus Tá Chamando”, enquanto come uma feijoadona inteira sozinho e ainda fica com fome, jurando para o seu médico que você não sabe por que não está perdendo peso.

Obviamente, a pesquisa feita nos camundonguinhos precisam ser refeitas, mas em seres humanos. Mas só aí já dá uma pista do que realmente acontece, e se você disser “ain, eu sou gordo e estou bem de saúde”, não não está. Você apenas é preguiçoso e sabe que se for no médico vai ver que estará bem ferrado, mas aí é com você, irmãozinho!

A pesquisa foi publicada no periódico mBio.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s