O Efeito Lúcifer ou o Experimento de Stanford

Em 1971, o dr. Phillip Zimbardo queria estudar como era o comportamento de prisioneiros e guardas dentro de um presídio. Ele idealizou um experimento simulando isso nos porões da Universidade de Stanford (daí o nome). Tudo ia bem e parecia estar tudo nos conformes, até que aconteceu uma das coisas mais aterradores em termos de comportamento humano. Tão aterrador que este experimento não só ficou conhecido como Experimento de Stanford, mas também de “Efeito Lúcifer”

Inscreva-se em nosso canal.

https://apis.google.com/js/platform.js
function onYtEvent(payload) {
if (payload.eventType == ‘subscribe’) {
// Add code to handle subscribe event.
} else if (payload.eventType == ‘unsubscribe’) {
// Add code to handle unsubscribe event.
}
if (window.console) { // for debugging only
window.console.log(‘YT event: ‘, payload);
}
}


Um comentário em “O Efeito Lúcifer ou o Experimento de Stanford

  1. Reconhecendo o “ofuscamento da razão” em virtude da influência da massa sobre o indivíduo, o código penal prevê: “Art. 65 – São circunstâncias que sempre atenuam a pena:
    III – ter o agente: (…)
    e) cometido o crime sob a influência de multidão em tumulto, se não o provocou”.
    Embora o sujeito não vá ser perdoado se cometer o crime em tais condições, a lei permite o abrandamento da pena para aquele que está sob o influxo de muitas pessoas reunidas

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s