Humanos mandaram megafauna da Austrália pra vala. De novo

Ainda há debates sobre quem passou o rodo nas criaturas gigantes da Austrália, a chamada “megafauna”. E tipo ovo. Na semana que ovo faz bem, foi culpa da mudança climática. Na semana que ovo faz mal, então, é culpa dos seres humanos. E como estamos na semana que ovo faz mal, saiu mais um trabalho dizendo que, sim, foram os seres humanos que sentaram o dedo na megafauna australiana. As conclusões vieram através de estudo de cocô pré-histórico.

Tem horas que vida de cientista é uma merda. (você sabia que eu ia fazer esse trocadilho)

O dr. Gifford Miller, professor do Departamento de Ciências Geológicas da Universidade do Colorado, também conhecida como CU Boulder, é um dos autores de um trabalho que andou dando uma checada em cocô de mais de 45 mil anos. Somado com informações de um núcleo de sedimentos obtidos numa perfuração no solo do Oceano Índico, na região sudoeste da Austrália, o grupo de pesquisadores analisou diferentes camadas geológicas que aprisionaram para a posteridade solo (duh!), rochas (duh!²), materiais diversos como poeira, pólen, cinzas e esporos de um fungo chamado Sporormiella, que, por sinal, vivia tranquilamente naquele cocô de mamíferos herbívoros.

Pois é, nem todo mundo é Indiana Jones e sai correndo atrás de nazistas por aí.

Os sedimentos minerais forneciam registros de mais de 150 mil anos, ou seja, antes de seres humanos sequer terem existido enquanto seres humanos.

Já a quantidade dos esporos de fungos deu um belo panorama das espécies vivas de então. Sim, cocô também é história! Só que esses registros mostram que a megafauna durou apenas alguns milhares de anos, adivinhem o que foi o diferencial. Sim, humanos. Humanos só não é o maior órgão sexual, porque temos a pata do elefante, que onde pisa… bem, deixa pra lá.

Mais de 85% dos mamíferos, aves e répteis da Austrália, que pesavam mais de 100 quilos, foram extintos pouco depois da chegada dos primeiros seres humanos no local. O próprio dr. Miller já tinha evidenciado que os refugiados humanos que aportaram por aquelas bandas se alimentavam de ovos de pássaros. Agora, essas evidências mostram que sim, humanos adoram ferrar com o lugar onde chegam, como qualquer espécie invasora costuma fazer ao chegar num lugar sem ter predadores. Isso nem é exclusivo de seres humanos. Aves, peixes e até moluscos que não pertencem a um determinado ambiente zoam o ecossistema local ao dar as caras por lá.

Ficou interessado na pesquisa? Aproveita e leia o artigo publicado na Nature Communications. Anda rápido antes que o ovo passe a fazer bem e quem exterminou a megafauna passou a ser alguma invasão alienígena.

Se bem que humanos chegando lá seria exatamente isso, mas disperso-me. Vai lá ler o artigo, vai. Aproveita que tá de graça!

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s