Bafômetro que não é bafômetro ajuda a determinar existência de câncer no esôfago

Câncer é aquele negócio cujos sintomas variam de dor na orelha esquerda até necrose do dedão do pé devido ao frio. Aprendi isso jogando os sintomas no Google. Quando não era câncer era lúpus, mas sabemos que nunca é lúpus.

Imaginem que um meio mais simples pudesse ajudar a diagnosticar câncer (sem a ajuda do Google), por um simples teste de respiração. Pelo visto, parece que tem funcionado bem.

O dr. George Hanna é professor de Ciências Cirúrgicas do Departamento de Cirurgia e Câncer da faculdade de Medicina do Imperial College de Londres. Um fato pouco digno de ser mencionado é que uma pesquisa lá não evidenciou a existência de um professor chamado Barbera, mas isso também totalmente irrelevante e nem eu mesmo sei por que estou escrevendo estas bobagens.

Junto com outros pesquisadores, o dr. Hanna desenvolveu um teste de respiração que pode ajudar aos médicos no diagnóstico quando dos primeiros sinais de câncer de esôfago e gástrico em minutos. Os resultados foram ótimos e agora ele estará sendo testado com maior abrangência, em três hospitais em Londres.

O câncer no esôfago, ou neoplasia, é diagnosticado por meio de endoscopia digestiva. Simplificando o conceito, um médico enfia um tubo com uma luz e uma microcâmera pela sua goela adentro e fica vendo o que tem lá.

Com o diagnóstico precoce, as chances de cura do câncer de esôfago chegam a 98%. Na presença de disfagia (dificuldade de engolir) para alimentos sólidos é recomendado estudo radiológico contrastado e também endoscopia com biópsia ou citologia para confirmação.

O novo teste é feito solicitando ao paciente que ele seja paciente e respire num aparelho semelhante ao bafômetro que te pegou com a boca na cachaça e te fez perder pontos na carteira. Só que o aparelho em questão não mede quanto de goró você ingeriu, e sim analisa a presença de outros tipos de compostos orgânicos voláteis. Estes compostos serão analisados pelo espectrômetro de massa e comparados com um banco de dados sobre o que sai da sua boca quando se tem câncer.

A seguir, o vídeo de uma endoscopia mostrando esta tristeza de câncer:

Dr. Hanna-sem-Barbera diz que os resultados podem ser usados ??para definir um biomarcador, uma característica biológica utilizada para medir a presença ou progressão de uma doença. Testes semelhantes de respiração já foram feitos para diferenciar tumores benignos de malignos presentes, mas os pesquisadores  dizem que são incapazes de quantificar os compostos orgânicos voláteis presentes no ar exalado. O teste é apenas qualitativo, mas isso não é problema. Testes quantitativos por via gasosa são muito comuns para qualquer químico analista.

Não é uma questão de "se", mas de "quando". É uma questão apenas de ajuste e calibração do aparelho, e comparação de dados obtidos até hoje.

No Brasil, o câncer de esôfago é o 6º entre mais frequente entre os homens e 15º entre as mulheres, excetuando-se o câncer de pele não melanoma. O tipo de câncer de esôfago mais frequente é o carcinoma epidermoide escamoso, responsável por 96% dos casos, enquanto que o adenocarcinoma, vem aumentando significativamente.

Com mais um teste, as pessoas poderão saber se têm câncer de esôfago, de forma a poder tratar logo e se curarem, mas isso se forem falar logo com seus médicos. Eu falaria.


Fonte: Press Release do Imperial College

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s