Cientistas acham vestígios de meteorito que caiu em Tunguska

Em 30 de junho de 1908, Tunguska conheceu o medo. Uma explosão ensurdecedora, seguida de uma onda de energia varreu o local, fazendo ocm que a noite se tornasse dia, onde até mesmo em Londres era possível ler um jornal se nenhuma luz artificial. O acontecimento era um mistério e o que hoje conhecemos pelo nome de Evento de Tunguska despertou a curiosidade do mineralogista Leonid Alekseyevich Kulik, que liderou a primeira expedição de pesquisa em 1927, a fim de entender o que havia acontecido naqueles recantos de deus-me-livre.

Kulik não achou nenhum meteorito, mas a Ciência não dorme, ela não se contenta. E isso parece recompensar a persistência de muitos pesquisadores, pois, ao que parece, foram encontradas as primeiras evidências de um meteorito que resolveu dar um "Olá" para os filhos de Lênin, antes de Lênin ser cool.

Svantevit, o Deus da Guerra, parece que anda com as cuecas pelo avesso. Como ele anda meio emputecido com o povo russo, mandou Svarog, o Deus do Fogo, sentar o dedo naquela porra, e este não mandou o BOPE e sim um pedregulhão para a região de Chelyabinsk em 15 de fevereiro deste ano. Como Jesus estava ocupado ajudando a Valdireide a conseguir um dinheirinho no jogo-do-bicho, ele não pôde dar atenção ao caos e destruição que tomou lugar às ruas.

O ocorrido em Chelyabinsk é muito parecido com o Evento de Tunguska, com a diferença é que em Tunguska não houve danos (salvo para as árvores carbonizadas e destroçadas), já que aquele lugar desolado é no meio do nada.

Ao segundo dia de maio ainda deste ano, pesquisadores anunciaram a existência de possíveis fragmentos da explosão de Tunguska, descobertos há 25 anos. O anúncio foi feito Andrei Zlobin da Academia de Ciências da Rússia, através do press release MIT Technology Review 

Zlobin também liderou uma expedição à Sibéria para o estudo local da explosão de Tunguska, em 1988, e, durante a mesma, ele e sua equipe descobriram os fragmentos de rocha, juntamente com cerca de 100 outras pedras interessantes, enquanto explorava o leito do rio Khushmo. Curiosamente, Zlobin retornou a Moscou sem divulgar as suas descobertas, deixando para revelâ-las esta semana. por quê? Ninguém ainda sabe ao certo. Fraude? Também não se sabe, mas o poder máximo que sustenta a galáxia, o Método Científico, colocará a descoberta de Zoblin a vários testes e todo mundo irá querer um pedaço destas análises, acompanhando de perto.

Ainda não foram realizadas análises químicas detalhadas das rochas, mas já devem estar trabalhando nisso. O trabalho científico é lento e mesmo uma descoberta feita hoje pode demorar décadas para ser compreendida.

A pesquisa foi publicada arXiv.org e se ela deixa claro uma coisa é:> de perfeitinho e ordenado, seu Universo não tem nada, e que Svantevit tenha pena de nossas pobres almas.

Um comentário em “Cientistas acham vestígios de meteorito que caiu em Tunguska

  1. No artigo em .PDF a coleção de seixos é bem estranha mesmo, talvez sejam ou não os quartzos derretidos. Não consegui me empolgar pelo fato dele ter esperado 25 anos para tal anuncio, mesmo havendo a defesa de que a política da URSS (na época era assim, assim chamarei) pode ter influenciado. Mas bem, vamos esperar.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s