Estado Laico FTW: Em Ilhéus está em vigor a “Lei do Pai Nosso”

Sinceramente, eu até nem acho ruim o Tiririca. Mesmo porque, ele não fará nada que faça alguma diferença no final das contas. Ninguém se importa com ele e se ele votar contra ou a favor do Governo não dará em nada. O pior são as bancadas religiosas, o que faz tooooooooooootal sentido num Estado Laico (aviso: a última frase foi sarcasmo). Por algum motivo que escapa a minha compreensão, as pessoas simplesmente não prestam devida atenção do anda acontecendo por aí e muitas sequer sabem em quem votaram para vereador. Daí, os toscos eleitos deitam e rolam. Foi o caso do ilustre sua excelência, vereador de Ilhéus Alzimário Belmonte (PP) ter criado a "importantíssima" lei que obriga (sim, você leu certo: o-bri-ga) que antes das aulas haja uma sessão onde os alunos terão que rezar o Pai Nosso.

O @Cardoso compartilhou a notícia do Gospel +, uma espécie de Meia Hora do Planeta Bíblia. Nele ficamos sabendo que Sua Esselêmsia, vereador Belmonte, no uso de suas atribuições e respeitando a Constituição Federal, teve a brilhante ideia asinina de criar uma lei onde obriga que haja orações religiosas em colégios públicos. Se o distinto vereador tivesse LIDO a Constituição, ele veria que isso é terminantemente proibido. O pior é que a lei passou, graças à ralé que infesta as casas legislativas sob a alcunha de "bancada evangélica". O motivo para tal disparate? "Construí essa lei para que nós possamos educar nossos jovens a cultura da oração. É o processo educativo da oração, da pessoa saber que a oração é uma forma de chegar até Deus, de proteção espiritual, de educação mesmo".

O fato do aluno querer chegar orar fazendo Ommm Shanti-Ommmmmmmm não passou pela cabeça tacanha e irresponsável dele. O pior de tudo? Ninguém reclama, ninguém questiona a constitucionalidade, a OAB está pouco se importando e muito provavelmente o talzinho será reeleito este ano. Chega a vexatório as palavras dele, onde afirma que "Não quer dizer que é obrigatório. Vivemos em um estado laico de direito. Se a pessoa quiser orar, ora. Se não quiser fica calada, pede licença, sai da sala na hora da oração". Levantar a voz dizendo que colégio não é lugar pra ficar rezando, já que em igrejas não se ensina nada é proibido. O Grande Irmão não gosta e você que cale a boca ou saia. Diz que não há sanção prevista, mas como toda boa Ovelhinha do Senhor, ele se contradiz, já que a lei reza que ficará a cargo da Secretaria de Educação a fiscalização. Para que fiscalizar algo se não haverá sanção alguma? Isso lhe convenceu? Garanto que convenceu os retardados que votaram nele, pois é um homem de Deus e está nos trazendo para o caminho do Senhor, amém!

Imagino agora os ateus-de-fim-de-semana correndo para fazer petições online, na absurda, estúpida, burra e totalmente idiota ideia que isso tenha algum peso legal. Contatar o Ministério Público não passa pela cabeça de ninguém, já que colocar tag no Twitter é mais fácil e ficar de mimimi por aí. A culpa não é do vereador que editou esta lei. A culpa é do povo que aceita qualquer besteira que votem e promulguem. A culpa é de quem votou nele e de quem não exige a saída. A culpa é de todos nós.

Próxima lei a ser editada: quem não for cristão praticante não poderá frequentar colégio. Ou você duvida que isso possa vir a acontecer?

23 comentários em “Estado Laico FTW: Em Ilhéus está em vigor a “Lei do Pai Nosso”

  1. Agora uma pergunta simples…. Para aonde vai o direito ao Estado laico num cenário político recortado pelas religiões????

  2. Em relação a fiscalização da Secretaria de Educação ou OAB… faço o mesmo questionamento que o Cap Nascimento fez… “- Cê, tá de sacanagem 02 ??” Desde quando uma dessas duas entidades fez algo relevante? Eu, particularmente, desconheço!!

  3. “Próxima lei a ser editada: quem não for cristão praticante não poderá frequentar colégio. Ou você duvida que isso possa vir a acontecer?”
    Na prática, é o que reza (oops!) essa leizinha anticonstitucional aprovada na terra da Gabriela.
    Cadê o MP de Ilhéus? Ainda se fazendo de morto?

  4. Tenho o desprazer de ter uma tia que obrigava seus alunos a rezarem durantes as aulas.

    Fazer o quê? Não se escohe parente.

    Tenho pena é dos alunos dela. Um deles está no 2º de contabilidade e não sabe calcular porcentagem se não tiver o % na calculadora.

      1. @André,
        Rezar não faz alguém ficar burro, mas aliado às aulas da minha tia sim.

        As aulas delas eram muito toscas. Em vez de alfabetizar (alfabetizar mesmo, de ensinar o alfabeto) ela dava aula de religião.

        Para se ter uma idéia ela mandava cantar Terezinha de Jesus todos os dias na sala de aula para se autohomenagear. :???:

        Obs: Ela dava aula para criança da 1ª a 4ª série de uma escola da zona rural onde a maioria dos pais eram analfabetos.

        1. As aulas delas eram muito toscas.

          Eu estudei em colégio de padres e tive um ensino excelente. Seu ponto é…?

          Em vez de alfabetizar (alfabetizar mesmo, de ensinar o alfabeto) ela dava aula de religião.

          Não foi a religião que a fez ser má professora.

          Obs: Ela dava aula para criança da 1ª a 4ª série de uma escola da zona rural onde a maioria dos pais eram analfabetos.

          Vou dar o tiro de misericórdia agora: como o referido aluno passou no vestibular? Eu sei a resposta. ;)

          1. @André, Meu ponto de vista é que você não conhece a minha tia.

            Vestibular? Nessa faculdade o vestibular é dividido em dois periodos. De manhã o pessoal faz prova normalmente e no período da tarde o pessoal fica enchendo a cara no bar e “esquece” de fazer o restante. E adivinhe…

  5. tanta coisa por ai pra ser “consertada” e o cara pensa numa lei dessas!!
    falta de ideias??acredito que não..isso é querer impor idéias cristãs idiotas(pleonasmo?)kkkk.
    ja existem partidos cristãos..
    pq ainda não fundaram partidos muculmanos,espíritas,mórmons, testemunhas,voodoo..e outros??
    viva a demoncracia! :mrgreen:

  6. Eu li essa “pérola” enquanto dava uma geral no Google Reader e pensei: Onde estavam os assessores jurídicos dessas pessoas? Ou será que o conhecimento deles é inexistente? Essa lei já nasce morta.

  7. Ontem, sei lá porque, alguns colegas de trabalho estavam discutindo este assunto. Alguns apoiando, outros achando desnecessário, alegando que existem assuntos mais importantes. Como sempre, quando há um debate envolvendo religião aqui no trabalho, fiz o possível para passar despercebida (na boa, tenho preguiça de debater com esse povo), mas, um deles me viu e perguntou minha opinião. Limitei a responder que não concordava, pois a lei era inconstitucional. O que ouvi como resposta? Duas coisas: “Ah, ateu sempre acha ruim quando obriga rezar” e “Mas a religião é fundamental para diminuir a violência” ¬¬

    1) O Pai Nosso, até onde minha santa ignorância conhece, é uma oração própria do cristianismo. O bendito vereador cria uma lei que obriga judeus, budistas, híndus, islãs, etc, a reza-la, e o único problema é ateu achando ruim por que foi “obrigado a rezar”? Francamente…

    2) É claro que ninguém foi capaz de provar a relação entre ausência de religião e violência.

    Bom que na entrevista o sr. Belmonte afirma que “[…]vivemos em um estado laico de direito. Se a pessoa quiser orar, ora. Se não quiser fica calada, pede licença, sai da sala na hora da oração.”. A lei não é obrigatória e não vai haver nenhuma sanção a quem não quiser orar o Pai Nosso, mas os incomodados que se retirem não é? Ah, não, eles podem se calar também.

    Até estou vendo alguns movimentos de reclamações sobre isso pela internet (não me refiro às bobagens de petições – que já devem estar rolando, claro – mas sim a uma notícia de um morador que pretende acionar a Justiça). Pode até ser que derrubem a lei, e pode até ser que o figura aí não seja re-eleito. Mas, é como o artigo aponta, o problema não é só ele, boa parte dos demais vereadores também não tem conhecimento algum da Constituição, já que a lei foi aprovada. E a maioria deles certamente será re-eleita. Em tempo: a secretária de educação de Ilhéus, Lidiany Campos, também apóia essa lei.

    (Ah, e, claro, ao final do “debate” aqui, eu escutei o famoso bordão “Estado laico não é estado ateu”.)

  8. Tou vendo a hora desse pessoal querer fazer fogueiras como nos anos “dourados” do Cristianismo e tornar isso legal…..

    Mas uma perguntinha, André:

    O Judiciário não pode fazer nenhum tipo de veto a leis que ferem a constituição vigente ?

    1. @Thiago,
      Até onde sei o judiciário não pode agir por conta própria. Alguém teria que entrar com ADIN, isso se fosse lei estadual ou federal. Lei municipal é no âmbito estadual.

  9. Isso é sério mesmo?

    Bom, tá que estado laico não é um estado ateu, como já falaram. alias, o Estado não deve ter preferencia de nada: Seja ela religiosa, sexual ou qq coisa, mas na prática nao eh assim..

    Lembro quando todo ano inventavam de dar aulas de religião. Eu alegava ser e saia da sala.. Pronto. era legal :P

    Agora é foda… O estado diz que todo mundo é igual perante a lei. E cria: Lei Maria da Penha .. (que é justa, mas se um homem apanha da mulher em casa não funciona) Cotas raciais, Leis religiosas..

    Usemos um nariz vermelho para comemorar nosso palhacismo nacional.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s