Cérebro feminino é mais propenso a se assustar com filmes de terror

Grandes Nomes da Ciência: Aidan Dwyer
Como o cérebro guarda informações por curto espaço de tempo

Não há nada melhor que filmes de terror. Ainda mais quando você vê outra pessoa berrar de medo e quase subir pelas paredes de pânico, a ponto de passar a noite em claro. Isso, obviamente, se você não mora com essa pessoa, caso contrário você não dormiria também.

Mulheres são fortes, aguentam dores incríveis de todas as maneiras. Desde rituais de auto-mutilação, como fazer as sobrancelhas, até o parto (maldita ancestral faminta!), mulheres aguentam muito mais dores que homens; mas, em compensação, possuem a tendência de fugirem de seres demoníacos, como aquelas baratinhas que aparecem no ralo do banheiro para dar um "olá". Um estudo recente demonstrou que, em geral, mulheres se assustam mais do que homens quando assistem filmes de terror, porque nós, cabra-machos, somos mais menos propensos a antecipar as cenas assustadoras.

A drª Giulia Galli, do Instituto de Ciências Cognitivas da Universidade College de Londres, foi a principal autora de uma pesquisa que visa determinar o que acontece quando homens e mulheres assistem filmes de terror. De acordo com a pesquisadora, quando uma experiência negativa está prestes a ocorrer, as mulheres apresentam uma maior capacidade de resposta emocional que os homens.

Num experimento que envolveu 30 cobaias, digo, voluntários, os participantes tiveram sua atividade cerebral medida quando eram apresentados imagens positivas e negativas. Isso incluiu cenas campestres e de violência extrema, além de rostos risonhos e caretas macabras. Só não sei porque não mostraram a foto de uma compra num shopping e, em seguida, a fatura do cartão de crédito. Em seguida, as cobaias, digo, os voluntários foram submetidos a um teste de memória que mostrou que a expectativa de ver algo de ruim causou uma atividade cerebral mais intensa nas mulheres que nos homens.

Ao estudar as informações obtidas, chegou-se à conclusão que o problema era devido ao fato que o cérebro feminino antecipava cenas perturbadoras, o que já eleva o estado de tensão. A seguir, as imagens ficam ainda certo. Nos homens, a memória de curto prazo dura menos tempo do que em comparação às mulheres, tendo sua atividade cerebral desenvolvendo-se à medida que as cenas passam.

A pesquisa foi publicada no periódico Journal of Neuroscience, e é relevante no tocante ao tratamento de transtornos psiquiátricos, como ansiedade, em que há expectativa excessiva de ameaça futura e a memória é muitas vezes inclinada para experiências negativas.

Grandes Nomes da Ciência: Aidan Dwyer
Como o cérebro guarda informações por curto espaço de tempo

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας