Chimpanzés formam bandos para matar vizinhos e expandir seu território

macaco-mau.jpgVocê talvez seja daqueles que acham que a Natureza é linda, ética e primorosa, como nos desenhos do Walt Disney. Para sua tristeza, devo informar que não é bem assim e nem que o ser humano é o único FDP do mundo natural. Há criaturas tão ruins, sacanas e perversas como ele, senão pior.

Que chimpanzés (carinhosamente chamados de “chimps”) formam uma classe de macacos.. como direi, espíritos-de-porco, já é bem sabido. Agora, sabe-se também que nossa tendência ao territorialismo e à guerra não é exclusiva de nos, Homo sapiens, mas os próprios chimps são lutam e assassinam outros de sua espécie, visando expansão de seu território.

Pesquisadores relataram que os simpáticos macacos do Parque Nacional de Kibale, em Uganda, não são tolos e não atuam de qualquer jeito. Eles praticamente organizaram uma versão Chimp da Máfia, pois eles atuam em gangues e passam o cerol em seus desafetos. Os chimpanzés-sith mataram simplesmente 21 de seus vizinhos, entre 1999 e 2008.

De acordo com o dr. John Mitani, antropólogo da Universidade de Michigan, apenas nos punhos e os pés foram usados na peleja, o que é interessante, já que macacos são capazes de produzir ferramentas e até usam armas para caçar cupins. Ainda assim, chimpanzés partem logo pra resolver as coisas no braço, cobrindo o adversário de porrada. A Natureza não é linda? Ainda segundo o dr. Mitani, a vítima morre, provavelmente, de lesões internas e durante a contenta, são imobilizadas, sem a menor chance de fugir de seus algozes. A morte e iminente, e de uma forma brutal.

Segundo a pesquisa, publicada no periódico Current Biology, os ataques ocorreram principalmente quando grupos menores de chimpanzés foram “patrulhar” (aka, bisbilhotar) o território das comunidades vizinhas. Com isso, juntaram-se em bandos e partiram para a selvageria. Com isso, os chimpanzés aumentaram seu território em 22%, o que não é pouca coisa nem para seres humanos, quanto mais para os lindos macaquinhos. Os animais desfrutam assim de maior acesso aos alimentos e, possivelmente, a mais fêmeas, que é tudo o que se baseia em tudo isso: sobrevivência e reprodução. Ninguém nunca falou que o mundo é legalzinho e agora um bando de toscos virá gritando aqui que a Evolução prega a destruição e extermínio dos povos e blábláblá. Mas se o mundo foi projetado por um Desenhista Inteligente, quero meu dinheiro de volta, dada a estúpida incompetência com a qual tudo foi feito!

Vemos, portanto, que nossos ancestrais já eram afeitos à guerra e ao expansionismo territorial, além de arregimentar o maior número de beldades possível. Afinal, quanto mais beldades, maiores chances de ter descendentes e estes gerarem outros descendentes etc.

É bizarro sabermos o quanto a Natureza é violenta em si mesma, e não estou falando inter-espécies, mas dentro de uma mesma espécie, onde o simples fator “Você tem mais que eu. PASSA PRA CÁ!” é decisivo na linha do tempo de desenvolvimento.

Agora, quando você for a um zoológico, veja que aquele lindo macaquinho que lhe parece sorrir (poucos instantes antes de ele jogar bosta na sua cara), na verdade é um maníaco psicopata. E se você der mole, ele mandará alguém lhe fazer uma proposta que não poderá ser recusada…


Fonte: National Geographic

10 comentários em “Chimpanzés formam bandos para matar vizinhos e expandir seu território

  1. Que vergonha hein chimpanzés! Mais velhos dando esse exemplo! :mrgreen: Isso mostra de onde vem a nossa crueldade

  2. Eu curso História na UFOP e várias vezes entrei em discussão com meus professores exatamente por eles dizerem que o ser humano não age por instinto, principalmente com os professores de antropologia e sociologia. E o pior é ver que os cursos de humanas estão cheios de acadêmicos que pensam assim, e que quem está se formando agora pensa assim também. São poucos que como eu sabem que o ser humano é um animal, que age por instinto, que não está separado do universo animal e que História não é ciência. E pensar que esses são os futuros intelectuais do país.

    1. @marie, Sim, isso é verdade. Já ouvi de um professor de história a seguinte frase toscolina “Numa sociedade secularizada, o discurso saí do plano das justificativas morais religiosas e filosóficas e passa a ser o das ciências naturais (biologia, física e química) para justificar antigas crenças e preconceitos” Ou seja, o imbecil, acéfalo, idiota, cretino, burro, papagaio de pirata, está aqui dizendo (na verdade, só copiando e colando o que “intelectuais” pós modernos dizem) que as ciências naturais não lidam com o mundo objetivo (e nem tentam…que falta faz uma boa leitura de Popper!!), que apenas “criam discursos de verdade” (e o fato de eu mexer nesse pc, construído seguindo-se as descobertas das física e química modernas, mostra que isso é balela pura de intelectual burro) com o intuito de reviver velhos preconceitos.
      Mas marie, essa historinha de “tábula rasa” tem um motivo, e você pode descobri-lo clicando aqui http://bulevoador.haaan.com/2011/02/19/darwin-e-a-politica/
      “Recentemente, ele [o genial Noam Chomsky] rechaçou a crença da esquerda de que se poderia conseguir a construção de tal sociedade igualitária moldando-se a mente das pessoas, ensinando-as desde cedo os valores da igualdade entre todos — uma visão que, ao negar a existência de componentes inatos da mente humana, a qual supostamente nasceria como “folhas em branco”, como tábulas rasas lockianas, já justificou, em um passado não muito longínquo, as mais deploráveis ações, dentre as quais a política do horror perpetrada por Mao Tsé-Tung, quando buscou concretizar seu desejo manifesto de “escrever” nas mentes “em branco” das crianças chinesas “os mais belos poemas”.”

  3. Ufa, então o totalitarismo e a violência involuntária é natural sendo, portanto, moralmente correta. Ufa. Finalmente vou poder ficar de consciência leve quanto matar velhinhas indefesas de pancada e estrupiar (a palavra é outra, mas não sei se o wordpress bloqueia) mulheres e cachorros na rua… Aiai, como é bom simplesmente agir segundo minha natureza instintiva moral… :-)

    Brincadeiras à parte, interessante o estudo e a observação sobre o comportamentos dos chimpanzés. Talvez isso ajude a mostrar que o comportamento natural está além de ideias de bom ou mau. Mas em minha opinião isto ainda não reflete em nada o fato de podermos refletir e decidir, a partir de tal reflexão, o que pode ser o bem ou o mal de acordo com o que nos é necessário. Sem determinação (mas influência) de crenças ou de instintos primitivos.

    Mas me parece pelos textos que ele vem postado ultimamente que o autor busca em cada exemplo de “antinaturalismo”, tomando “natural” como “bom”, “saudável”, “pacífico” a prova absoluta que todo comportamento deste tipo aplicado ao ser humano não é moralmente errado ou tem uma justificativa natural, frequentemente contida nos genes.

    [IMHO] A “amoralidade” da natureza talvez seja aquilo que hoje nos permita – ou não – decidir o que consideramos correto e errado. Sei lá, que graça teria se a bondade estivesse em nossos genes, pré-determinado, ou em algum ente divino que simplesmente decretou que assim seria? Pena que a maioria simplesmente não lança mão desta liberdade toda e acaba agindo segundo este comportamento “natural” como este descrito no texto…

    Nunca mais rio pro chimpanzé no zoológico. Vai que ele esteja planejando me matar?

    1. então o totalitarismo e a violência involuntária é natural sendo, portanto, moralmente correta.

      “Moralismo” é um conceito humano e não da Natureza. Um leão te devoraria inteirinho e, sim, chimpanzés lhe matariam se pudessem. Qualquer animal o faria, mas muitos animais têm relação de amizade entre si, como golfinhos (eles até fazem sexo por prazer, como bonobos, que são macacos completamente diferentes dos chimpanzés no comportamento).

    2. @leandrosansilva, “Ufa, então o totalitarismo e a violência involuntária é natural sendo, portanto, moralmente correta. Ufa. Finalmente vou poder ficar de consciência leve quanto matar velhinhas indefesas de pancada e estrupiar”

      FALÁCIA NATURALISTA… O cara usa dela e nem sabe que está fazendo isso hauahuahuha

      Falácia naturalista é achar que algo, por ser natural, é bom e desejável.

      Engraçado que acadêmicos de humanas usam essa falácia a torto e a direito para defenderem suas “hipóteses” da tábula rasa (já muito bem refutada pelo genial Steven Pinker), mas não importam-se em usar de falácia culturalista, ou seja, dizer que algo, por ser cultural, é bom (em seu contexto) e deve ser respeitado.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s