Submarino-robô filma erupção vulcânica no fundo do mar

Jasão é um herói grego que, com a ajuda dos tripulantes do navio Argos – os Argonautas – envolve-se em muitas aventuras em busca do velocino de ouro.

Não foi à toa que batizaram o nome de um submarino não-tripulado, cuja missão é explorar o fundo do mar. Um vídeo filmado por Jason no fundo do Oceano Pacífico mostra a mais profunda erupção de um vulcão submarino já registrada. As imagens mostram incríveis quantidades de lava explodindo ao entrarem em contato com a água do mar, ocorrido no vulcão submarino de West Mata, a uma profundidade de cerca 1.200 m, localizado cerca de 200 quilômetros ao sudoeste do arquipélago de Samoa.

Jason desceu 1.100 metros para conseguir filmar um vídeo de alta definição. O submarino ainda encontrou micróbios e uma espécie de camarão vivendo nas águas quentes e ácidas em torno do vulcão. Abaixo, vocês podem ver o vídeo gravado e cedido pela Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera, o NOAA, e a National Science Foundation (NSF).

“É um ambiente extraordinário”, disse Joseph Resing, um oceanógrafo químico da Universidade de Washington e do Joint Institute for the Study of the Atmosphere and Ocean em Seattle, nos Estados Unidos.

Vemos a lava, que nada mais é que rocha em estado de fusão (cerca de 1.400 ºC) produzindo dióxido de enxofre (SO2) deixando a água ao redor com pH bem ácido; mesmo assim, a Seleção Natural promoveu espécies que estavam adaptadas àquelas condições extremas. Obviamente, há quem prefira crer que isso é uma ação divina de um Deus que não tinha muito o que fazer e resolveu colocar micróbios e camarões naquele local, só para mostrar que ele é poderosão. Abaixo, podemos ver camarões andando tranquilamente perto da erupção.

A verdade, é que a bioquímica desses seres se sustentam exatamente mediante aquelas condições. Se por algum acontecimento imprevisto, aquele nicho ecológico mudar, os seres vivos dali perecerão, por não estarem adaptados a outro tipo de ambiente.

O vulcão submarino de West Mata fica localizado bem perto do fosso de Tonga-Kermadec, com 10 mil metros de profundidade. O local é onde a placa tectônica do Pacífico – que inclui a maior parte do solo central deste oceano – entra por baixo da placa tectônica australiana. Trata-se de um local chave para a reciclagem de rochas de volta para o centro da Terra e é onde o material derretido pode forçar seu caminho de volta à superfície.

A possível existência da erupção foi identificada pela primeira vez em novembro de 2008 através de amostras de água coletadas no oceano, que continham níveis anormais de hidrogênio e detritos vulcânicos. Mas os cientistas só tiveram a noção real da descoberta quando o submarino Jason foi enviado para investigar West Mata.

A câmera de alta definição do submarino capturou bolhas de lava derretida a um metro de distância estourando na água do mar e filmou o vulcão ejetando lava para o mar. Acredita-se que tenha sido a primeira vez que se observou de tão perto um vulcão expelindo lava no fundo do oceano.


Fonte: NOAA

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s