Termorregulação de mamíferos marinhos impede que morram congelados

Baleias, golfinhos, focas e outros mamíferos marinhos podem gerar o próprio calor e manter uma temperatura corporal estável, apesar das condições ambientais variáveis. Assim como as pessoas, eles são homeotérmicos endotérmicos – ou seja, são animais “de sangue quente”. Mas esses mamíferos são especialistas em termorregulação: suportam temperaturas na água, que chegam a –2 ºC e temperaturas do ar de –40 ºC.

Ann Pabst, zoóloga marinha da Universidade da Carolina do Norte, em Wilmington, explica como os mamíferos marinhos conseguem sobreviver ao frio extremo. As águas oceânicas polares podem chegar a –2 ºC negativos. Mesmo em regiões temperadas ou tropicais, a água do mar pode atingir –1 ºC em grandes profundidades.

Vocês podem perguntar como a água a –2 ºC não se transforma em gelo. A razão: a água do mar contém sal, que congela a uma temperatura um pouco menor que a água doce, que congela a 0 ºC. Isso acontece, na verdade, porque os íons Na+ e o Cl do sal interferem com a capacidade que as moléculas da água têm de se juntarem para formar cristais de gelo. Isso chama-se efeito crioscópico e é uma das Propriedades Coligativas. Você pode tentar fazer isso em casa, e até mesmo com açúcar funciona, já que não é uma questão de reações químicas e sim um um efeito físico.

Algumas espécies de pinípedes – que incluem morsas, focas e leões marinhos – e algumas baleias, golfinhos e botos vivem perfeitamente bem nessas condições. Alguns exemplos específicos são as baleias-jubarte, baleias azuis – os maiores animais do planeta – as orcas, as focas de Weddel e os elefantes marinhos.

A pele desses animais está repleta de células nervosas termossensíveis, como a pele de qualquer outro mamífero. Eles certamente percebem as mudanças na temperatura, pois respondem a estímulos de temperatura. Mas ainda não se sabe como eles relacionam as variações de temperatura com as suas sensações, isto é, se sentem frio ou desconforto.

As baleias e outros mamíferos marinhos mantêm uma temperatura corporal interna parecida com a nossa – de mais ou menos 37 ºC. Para mantê-la sob condições extremas, elas têm dois tipos de resposta: a comportamental e a fisiológica. Uma resposta comportamental típica é a migração. No inverno, as baleias-francas grávidas migram das águas do Canadá e da Nova Inglaterra para as costas da Geórgia e da Flórida para darem à luz seus filhotes.

A forma fisiológica para minimizar a perda de calor é manter uma relação corporal área/volume relativamente baixa: uma pequena quantidade de pele – através da qual o calor é trocado com o ambiente – e um grande volume de tecido corporal, que gera calor. Animais maiores tendem a ter relações área/volume menores, e a maioria dos mamíferos marinhos é bem grande. Entre os menores estão as lontras, que têm um tamanho comparável ao de um gato doméstico grande.

Os mamíferos marinhos dispõem também de outros excelentes isolantes térmicos, o pêlo e a gordura. A lontra marinha tem o pêlo mais denso entre todos os mamíferos conhecidos: 130 mil fios por centímetro quadrado. Essa é aproximadamente a quantidade de fios de cabelo em toda a cabeça de uma pessoa. O isolamento térmico do pêlo é mais eficiente quando o pelo está seco, porque o ar preso nele, é um bom isolante. Os pêlos da lontra são tão densos que conseguem aprisionar uma camada de ar logo acima da pele, mesmo quando o animal está nadando.

Água, ao contrário, é melhor condutor de calor do que o ar, mesmo não sendo tão bom condutor de calor* em comparação com outros materiais (como metais, rochas etc.). Animais que passam a maior parte do tempo na água dependem de uma camada de tecido formado por gordura, colágeno e elastina, que fornece, entre outras coisas, isolamento térmico e reservas energéticas. A quantidade de tecido gorduroso varia de um animal para outro. Os botos de Newborn são os mais gordinhos: 43% de toda a sua massa corporal é pura banha.

Animais desnutridos ou doentes podem ter dificuldades em manter um estoque de gordura saudável, tanto em e quantidade – que pode ser media pelo teor de gordura – quanto em qualidade, e por isso, podem morrer se expostos a temperaturas muito baixas. Se forem deslocados dos seus habitats naturais, também podem sucumbir a temperaturas muito altas ou muito baixas. No entanto, não é provável que isso ocorra com animais selvagens saudáveis.

* No texto da Scientific American é dito errôneamente que a água é um eficiente condutor de calor. Não é. Coloquem um recipiente de água para esquentar e coloque a mão dentro. Com a outra mão, segure a extremidade de uma peça de metal, aquecendo a outra extremidade. Veja qual aquece primeiro (não façam isso crianças, ver os adultos idiotas se queimarem é mais divertido).


Fonte: Scientific American Brasil
(com devidos ajustes conceituais, porque eu sou responsável)

5 comentários em “Termorregulação de mamíferos marinhos impede que morram congelados

  1. A partir do quarto parágrafo o texto foi invadido por uma horda descontrolada de pontos de interrogação.

    André, eu posso fazer um freela de revisor dos textos do cet por apenas metade do que os caras cobram do Edi Macedo.

    1. Estou resolvendo isso. O banco de dados tem alguns probleminhas com caracteres ASCII. Assim, eu às vezes esqueço que tenho que entrar com os códigos manualmente, como acontece qdo coloco trechos em grego ou hebraico (sim, é um saco!).

  2. BASTANTE INTERESSANTE O ARTIGO,,, PARTICIPO A POUCO TEMPO DO CETICISMO.NET MAS CONFESSO QUE JÁ FAZ PARTE DE MEUS FAVORITOS PARA LEITURA, NÃO SOU FORMADO, PORÉM LEITURAS INTERESSANTES AUMENTAM MINHA CRIATIVIDADE, APESAR DE GOSTAR DOS DEBATES ENTRE EVANGÉLICOS VS ATEUS ETC…… ANDRÉ UMA PERGUNTA O QUE É A PESSOA DE PADRE KEVEDO? QUE LINHA ELE SEGUE? ELE PODE SER CHAMADO DE PADRE? E O QUE VC ACHA DELE?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s