Rato-toupeira-pelado sequestra e escraviza amiguinhos e você achando que natureza é boazinha

Você é daqueles que os seres humanos são criaturas fidaputas que escravizam seus semelhantes. Não vou nem falar das abelhas. Vamos falar do ratotoupeirapelado, um bicho mais feio que a miséria, horrível como a necessidade e ainda por cima um bicho bem desgracento, já que eles sequestram os bebês uns dos outros e os transformam em escravos. Continuar lendo “Rato-toupeira-pelado sequestra e escraviza amiguinhos e você achando que natureza é boazinha”

Grandes Nomes da Ciência: Maria Mitchell

Sons de passos. Um farfalhar de tecido. A senhora entra empertigada, com o torso bem moldado pelo espartilho, com uma blusa branca com babados descendo pela gola, abotoada de acordo comas normas de decoro e um vestido que assentava bem em sua cintura, como era costume de sua época. A audiência em silêncio, o movimento da cabeça faz ondular os cachos brancos que emolduram algo prodigioso. Não a beleza, que outrora tivera, mas o mais importante era o que tinha naquela cabeça.

Amigos, que cabeça essa senhora tem! Os olhos afiados, a fala calma e pausada, com a segurança de quem sabe o que está a falar. Por mais que a sociedade de sua época propusesse coisas absurdas como a incapacidade de mulheres terem em termos intelectuais frente aos homens, todos os homens em sua audiência, e algumas mulheres ficam em silêncio quando esta senhora começa a falar de planetas, órbitas, cometas e toda a sorte de corpos astronômicos.

Esta é a aula da senhora… correção, da doutora Maria Mitchell, a primeira astrônoma profissional dos EUA.

Continuar lendo “Grandes Nomes da Ciência: Maria Mitchell”

Sobre Publicações Científicas com Acesso Aberto

Eu já discuti isso num artigo, mas o pessoal tem predileção por vídeo também. Neste aqui eu falo como ter acesso ao conhecimento é complicado, e as editoras de periódicos científicos não facilitam. Cobram absurdas quantias de dinheiro só para ler um artigo; e isso quando não cobram do pesquisador também.

A União Europeia resolveu acabar com esta farra decidindo que até 2020 todas as publicações feitas por pesquisadores em institutos europeus terão que ser de acesso aberto. Qualquer um poderá ler sem pagar nada. As editoras, parece, não estão gostando muito. Tadinhas. Bem, sem delongas. Vamos ao vídeo?

Continuar lendo “Sobre Publicações Científicas com Acesso Aberto”

UE quer todos os artigos científicos com acesso aberto até 2020. Chora Elsevier!

Eu já falei sobre isso duas vezes, e não me repetirei. Cheque os artigos O paywall de artigos científicos deveria acabar  e A guerra contra o paywall dos artigos científicos continua. Lá eu deixo claro sobre a celeuma da abertura dos artigos científicos, nem que seja por vias um tanto questionáveis como o SciHub.

Afinal, a quem pertence o Conhecimento? A quem pertence os terabytes de dados produzidos, os terabytes de informações publicadas, compartilhadas, divulgadas e… presas a um sistema em que você tem que pagar para ler uma pesquisa, sendo que este dinheiro não vai para o pesquisador? Bem, a União Europeia bateu o martelo e disse que até 2020, todas as pesquisas feitas em instituições de lá terão que ser de acesso aberto.

Continuar lendo “UE quer todos os artigos científicos com acesso aberto até 2020. Chora Elsevier!”

Senado aprova projeto de escravatura de bolsistas

Qualquer um que tenha dependido de bolsa vinda do Governo sabe a caca que é. Primeiro, conseguir a famigerada bolsa não é fácil nem é distribuído como bala em dia de Cosme e Damião (pergunte aos seus pais). Agora, um projeto espertão foi aprovado no Senado, ontem (11/11), que obriga os pobres coitados que vivem de mendicância governamental (se você não sabe o porque de “mendicância” procure saber quanto é uma bolsa de doutorado, para ter dedicação exclusiva, ou seja, sem mais nenhum emprego) a trabalharem para escolas públicas.

Hummmm, retribuir o Estado com serviços pelas benesses que recebeu… parece ser uma boa e justa ideia. Seria, se não fosse completamente imbecil!

Continuar lendo “Senado aprova projeto de escravatura de bolsistas”

Eu sou uma abominação!

Por anos eu não entendi a minha condição. Eu olhava as pessoas ao meu redor e percebi que era diferente delas. Eu não via o mundo como elas. Elas não aceitavam como eu era. Eu não podia fazer muitas coisas que os outros meninos faziam, dado a um problema que eu tenho, que eu nasci. Descobri logo cedo quem e o que eu era. Isso me deprimia. Eu queria ser igual aos outros, mas não era. Eu queria ser reconhecido como um igual, mas eu não era igual. As outras crianças perceberam e riam de mim. Estava na minha cara, não tinha como negar. Meninos e meninas apontavam para mim e riam "Lá vem ele", gracejavam. Mil e um apelidos me colocaram. Fui agredido verbal e fisicamente. E isso porque eu era diferente.

No colégio, os professores olhavam para mim com expressão de desaprovação. Eu não era perfeitinho como os outros. Era deixado de lado. Como estudei num colégio católico, era visto como uma imperfeição, perante as leis de Deus. Deus, esse cara que sempre fez tudo certinho e perfeito. Deus esse que não cometia erros e se eu era diferente, eu era o errado. Eu era uma abominação.

Continuar lendo “Eu sou uma abominação!”

Professora americana “vende” alunos como escravos

Tenho uma triste notícia para vocês, amiguinhos: o mundo é uma merda e o cerumano é, foi e sempre será canalha. Escravidão é algo corrente em muitas sociedades ainda hoje. No passado, a bola da vez eram os negros, os quais eram escravizados por outros negros e vendidos aos brancos. Isso chegou até mesmo em acabar em guerra, nos Estados Unidos. Para dar um vislumbre maior sobre o processo de venda de escravos, uma professora de Norfolk, EUA, em uma aula sobre a Guerra de Secessão, usou os próprios alunos como exemplos. Ela separou as crianças brancas, negras e mestiças em grupos, fazendo com que as negras representassem os escravos e fossem "vendidas". Começou o bafafá e as pollyanas quase surtaram, pois isso fere os floquinhos de neve.

Continuar lendo “Professora americana “vende” alunos como escravos”

Livro aponta compaixão abolicionista como fonte da teoria da evolução por seleção natural

Por Marcelo Leite
Folha de São Paulo

Os 200 anos de nascimento de Charles Darwin forneceram ocasião para um frenesi editorial. Celebrou-se a efeméride sobre o único grande pensador do século 19 a atravessar o 20 incólume, ou bem adaptado, com dezenas de livros. Darwin foi exumado, de novo, para demonstrar o excelente estado de conservação do mito do cientista guiado apenas pelas luzes da razão e dos fatos.

Eis o homem cujo pensamento pôs a religião de joelhos. Aquele que expulsou os vendilhões de valores do templo do conhecimento objetivo. O profeta barbudo da teoria que tudo explicou e tudo explicará, muito além de Marx e Freud. Continuar lendo “Livro aponta compaixão abolicionista como fonte da teoria da evolução por seleção natural”

Bento XVI adverte contra liberdade absoluta

Não, você não leu errado. O Império do Mal dá mais uma amostra do que realmente deseja: Dominação Global, encerrando o mundo no caos e nas trevas, sob o domínio de Darth Benedictus XVI, o qual arriou um despacho celebrou a tradicional Missa Crismal, durante a qual abençoou os santos óleos e em cuja homilia advertiu contra a visão que o filósofo alemão Friedrich Nietzsche tinha da liberdade absoluta do homem, que, segundo ele, “leva à soberba destrutiva e à violência”.

Considerando que voc, meu caro leitor, deva ser um pérfido herege, explicamos: Missa Crismal inicia o que pode-se chamar de “tríduo pascal”, e celebra a Quinta-Feira Santa, dia em que se lembra a instituição do sacramento da ordem sacerdotal por Jesus Cristo durante a Última Ceia, segundo a mitologia cristã. Continuar lendo “Bento XVI adverte contra liberdade absoluta”