Linguagem inclusiva – inclusiva de verdade ou “Por que usar @ e X no final das palavras é idiotice”

Olá amiguinhos e amiguinhas! Quanto tempo!

Então, vocês devem lembrar que muito tempo atrás numa galáxia muito distante eu escrevi alguns textos sobre fala e escrita. Hoje eu queria retomar esse tema pra explicar o que é linguagem inclusiva e porque enfiar x/@/e em tudo NÃO é a solução.

Antes de tudo, vamos lembrar de uns fatos básicos que eu venho ressaltando nessa série de textos:

Continuar lendo “Linguagem inclusiva – inclusiva de verdade ou “Por que usar @ e X no final das palavras é idiotice””

Em Balneário Camburiú, tem cego que não se enxerga

Olga Souza tem 57 de inutilidade. Como professora devia se tocar de certas coisas, mas não. Essa senhora – professora ainda por cima! – é completamente sem-noção. Saiu do seu Rio Grande do Sul e resolveu se achar mais que todo mundo insistindo em algo chamado “diversão pessoal”, pois é uma hedonista egocêntrica, para quem só existe ela e mais nada. Quando muito, essa senhora, que só pensa em si mesma, levou seu cachorro para a praia em Balneário Camburiú, que nada mais é que uma praia mixuruca, mas isso é detalhe. O problema é que esta senhora não sabe que é proibido levar cães às praias, mas se achou acima de todo mundo e não atendeu ao pedido de outros banhistas. Uma pouca vergonha!

Continuar lendo “Em Balneário Camburiú, tem cego que não se enxerga”

Como se enxerga com olhos biônicos?

Eu sou um homem velho. Me lembro do seriado (na minha época, eram chamados assim, e não “série”) do Homem de 6 milhões de dólares (que a dinheiro de hoje vale mais em moeda brasileira do que na época que foi lançado). De acordo com o seriado, ele enxergava que nem a gente. Já, no século XXIV, a tecnologia parece que ficou pior, posto que o tenente-comandante  Geordi La Forge usava o VISOR e enxergava uma algaravia de cores, que ele conseguia interpretar muito bem.

Mas e no alvorecer do ano de 2016, o que temos para mostrar? Como os nossos atuais olhos biônicos “enxergam”?

Continuar lendo “Como se enxerga com olhos biônicos?”

Milagre: Mães cegas conseguem “ver” seus filhos ainda não nascidos

Oh, quem foi o responsável por este milagre?

1) Pastor Jesuíno Bacamarte, da igrejinha "Jesus é Nóis!", em Nova Iguaçu.
2) Um monte de monges budistas orando.
3) O pessoal formado em Filosofia e Sociologia.

Ah, desculpe. Foi a Ciência mesmo. Que bosta, né? Que merda poder dar às mães a capacidade de "ver" os seus filhos que ainda não nasceram, quando essas mães são cegas e jamais poderiam ver um monitor de um aparelho de ultrassonografia.

Continuar lendo “Milagre: Mães cegas conseguem “ver” seus filhos ainda não nascidos”

Pesquisadores estudam luva que ensina Braile

Louis Braille podia ser mais um cego no século XIX, dependente de outras pessoas. Tendo perdido a visão aos 3 anos de idade, Braile podia ser um desses mimizentos que reclamam da vida, sem nem poder ter acesso à leitura e/ou escrita. Anda assim, ele ingressou no Instituto de Cegos de Paris e, aos dezoito anos, tornou-se professor de lá. Ele se inspirou na técnica de usar "pontos e buracos" inventado por um oficial para ler mensagens durante a noite em lugares onde seria perigoso acender a luz, Braille melhorou o sistema, de forma que cegos pudessem escrever textos e ler livros. Em 1829, ele publicou seu trabalho e, assim, foi criado o Sistema Braille.

Milhões de cegos hoje usam este sistema para ler e escrever, mas sempre podemos melhorar o aprendizado desta técnica. Esta é a meta de pesquisadores em Computação: como fazer o corpo aprender sem estar plenamente consciente deste aprendizado?

Continuar lendo “Pesquisadores estudam luva que ensina Braile”

Pesquisadores melhoram a vida de cegos com o uso de smartphones

Uma das coisas mais maneiras que eu vi (e isso faz tempo) foi uma impressora matricial modificada para imprimir em Braille, juntamente com o DOSVOX, desenvolvido pelo pessoal do Núcleo de Computação Eletrônica da UFRJ. Perto do SIRI do iPhone 4S, isso pode soar um grande "Meh!", mas pensem no que se conseguiu com isso? Se tais pesquisas chegam à população, é outra história (enquanto esperamos o governo acabar com o maldito de um mosquito que transmite o vírus da dengue). Agora, outras pesquisas trazem capacidade de cegos interagirem mais e melhor com o mundo.

Enquanto cientistas usam tablets para ajudar na leitura em Braille, outros pesquisadores criam teclados virtuais que pode ser usado em qualquer smartphone, seja de plataforma iOS ou Android.

Continuar lendo “Pesquisadores melhoram a vida de cegos com o uso de smartphones”

Morre em São Paulo Dorina Nowill

dorina-nowill.jpgTenho para mim que algumas pessoas deveriam ser imortais. Não apenas por serem membros da Academia Brasileira de Letras, pois tal imortalidade é vã e inútil. Quando certas pessoas melhoram efetivamente a vida de centenas ou mesmo milhares de pessoas, tal pessoa deveria ser agraciada com a honra de ser imortal, pois sabemos que ela continuará seu excelente trabalho e continuará melhorando o mundo. Entretanto, é um sonho tolo, pois tal justiça só ocorreria se o mundo fosse bem planejado por alguma entidade que eu nem chamaria de poderosa, mas pelo menos com certo grau de amor.

A professora Dorina de Gouvêa Nowill é uma das pessoas que merecia a dádiva da imortalidade, mas não vivemos num mundo lindo e perfeito, onde os justos são recompensados e os maus ganham rios de dinheiro, constroem templos, roubam a população e ainda são venerados como filho daquela entidade mágica que pouco ou nada faria pelas pessoas, caso existisse. Dorina Nowill faleceu em São Paulo, de causas naturais, ontem, 29 de agosto, aos 91 anos de uma vida de realizações.

Continuar lendo “Morre em São Paulo Dorina Nowill”

Pesquisadores paranaenses desenvolvem novo sistema para tradução de textos em braile

Setenta reais e mais uns trocados. Esse é o custo final de um inovador aparelho que poderá revolucionar a educação para deficientes visuais no Brasil. Trata-se de um leitor de braile, capaz de traduzir sinais táteis da linguagem em alto-relevo para a escrita convencional. O protótipo foi desenvolvido na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no Paraná, e ganhou o 3º Prêmio Werner Von Siemens de Inovação Tecnológica. O grande mérito do projeto, segundo seus pesquisadores, é associar facilidade de uso, simplicidade e baixo custo. Continuar lendo “Pesquisadores paranaenses desenvolvem novo sistema para tradução de textos em braile”

Site pornô para cegos faz sucesso nos EUA

Você achou que tinha visto de tudo? Tem gente que nem precisa ver. Qualquer um com mais de 12 anos (tudo bem, às vezes menos, devido a uma “maturidade precoce”) sabe que sexo é uma das coisas mais rentáveis e que desperta interesse geral (inclusive de interesseiros).

Um site dirigido a cegos que oferece descrições em áudio de páginas pornôs na internet está virando um fenômeno cult nos Estados Unidos. Não, você não está doido e eu não fumei, injetei, bebi nem comi com farinha nada que me causasse alucinações.

Chamado Porn for the Blind (Pornô para cegos, em tradução literal), o site disponibiliza clipes sonoros que trazem descrições, gravadas por voluntários, de cenas de sexo disponíveis na internet. Somente neste mês de abril o site já recebeu mais de 150 mil visitas. Antes de cada gravação, o locutor informa o endereço do site está descrevendo para que os cegos possam acessar a página e então inicia a descrição das cenas de forma clara e direta com detalhes do cenário, cores, personagens e ambiente para que o usuário possa “imaginar” o que está se passando no vídeo. Continuar lendo “Site pornô para cegos faz sucesso nos EUA”