O mesmo papo de sempre

Estou aqui me inteirando de algumas notícias. Não devia ter feito isso. Gostei da fase da alienação durante as férias. Olhar notícias não me trouxe nenhuma informação útil. Não me informou nada inutilmente. Não vi nada de diferente.

Brasil continua sendo a incompetência administrativa, burocrática, política e diplomática de sempre. É um mito achar que sempre tivemos a melhor diplomacia do mundo. Sempre éramos o garotinho chato que as mães mandavam os irmãos maiores levar pro jogo de futebol e era deixado no canto, brincando com uma bola murcha.

Agora, está um monte de gente com cara de Pikachu surpreso por haver gente furando fila na vacinação de COVID. Pelamordedeus, né? Pessoal fura fila em lotérica, supermercado, para entrar no ônibus; acharam que seria diferente? Já basta quilombola (favelados hipsters) indo na frente porque… sei lá por quê. Se eles foram vacinados na frente, o pessoal da Rocinha não pode por quê?

O brasileiro é por definição um ser abjeto que quer direitos, direitos e direitos, mas nunca deveres. Quer tudo de graça e a tempo, imediatamente e só atendendo ele e seus familiares primeiro, nunca outros. O brasileiro é aquele que se vir alguém passar mal na rua e cair no chão, vai lá e rouba a carteira e os sapatos. Não é o país da esperteza, é o país dos espertinhos. O país que pessoal pega filho do vizinho emprestado para ir no supermercado e entrar na fila do caixa especial para quem está com criança no colo.

Só as mentes jovens, toscas, burras, ingênuas e absurdamente idiotas estão impressionadas com o que está acontecendo hoje como se fosse alguma novidade.


PS. Jovem é uma merda.

PS2. Quero voltar pra Matrix

13 comentários em “O mesmo papo de sempre

  1. A única novidade útil do Brasil (ainda) é o Pix, apesar dos revezes…
    (Que tal essa opção para quem quer doar direto do débito?)

  2. Uma pergunta sincera:
    Como se define um “quilombola”?

    Lembrando que estamos em 2021 e a escravidão se tornou ilegal a 132 anos.
    Tem algum capitão-do-mato tentando encontrar essas pessoas pra acorrentar e levar pra senzala?

    Se depois de um fucking SÉCULO alguém ainda não conseguiu se recuperar de “o que quer que tenha acontecido com seu tataravô”, eu diria que esse alguém está meio acomodado, não?

    Sobre vacinas os indígenas primeiro…. Eu tenho opiniões conflitantes… depende da definição de “O que é um índío?”
    Eu entendo que quando os europeus chegaram, a 500 anos, eles não tinham anticorpos e isso foi catastrófico.
    Entendo que lá no cú da Amazônia ainda existem tribos isoladas e que ainda estão sujeitas a esse fenômeno.
    Mas, se é esse o caso, não seria mais inteligente MANTER ELES ISOLADOS? Acho que última coisa que você iria querer fazer com alguém que não tem anticorpos é dar uma injeção de qualquer coisa.
    Tô falando de índio que anda pelado no mato, não sabe falar português, faz parto no rio e quando fica doente vai no pajé pra tomar um chá de mato e “benzer”.

    Agora, tem uns caras aqui no ES, que moram em um “bairro” (com asfalto, água encanada…) que eles chamam de aldeia. São “índios” que tem iPhone, assistem série na Netflix, carro na garagem, e os filhos nascem na mesma maternidade que os meus filhos.

    Esses caras tem os mesmos anticorpos que eu. Não?

    1. Na verdade esse bagulho de “dívida histórica” não tem a ver só com cor de descendência/etnia.
      Tipo assim, quando a escravidão acabou no papel, tinha uma porrada de leis fdp que fodiam os negros. Leis racistas que privilegiavam os brancos ricos que pagavam impostos, e os “pobres” eram discriminados.
      Essas leis persistiram por décadas, ainda no século XX.
      Então mesmo em uma sociedade “livre”, havia discriminação racial.

      Se vc já viu um video lá do Atila, do tabuleiro de Galton, consegue entender como alguém que começa com privilégios, mesmo que faça tudo errado, acaba com mais vantagens de alguém que começa sem privilégios e faz tudo certo.
      É aí que entra o conceito de “dívida histórica”, pra qualquer grupo que sofreu grave discriminação no passado…Negros, mulheres, homossexuais, índios, pobres.

      Hoje em 2021, nem eu que sou “branco” nem meu colega e vizinho que é “negro” e estamos na mesma aula do mesmo curso temos diferença, mas 20 anos atrás quando a gente nasceu ainda havia alguma diferença, e uns 45 anos atrás quando nossos pais nasceram havia muito mais.

      E quanto a índios isolados (não os descendentes deles), não existe isso. Sempre tem algum fdp passando pelas terras deles. Esse pessoal do agronegócio, madeireiras e mineradoras tão sempre sondando as terras indígenas, esperando brechas pra extrair os recursos. Se puderam matar os nativos com um vírus, pode ter certeza que vão mandar algum grileiro ranhento lá na tribo “negociar tralha” pra infectar todo mundo.
      Bioterrorismo só é considerado terrorismo se vem de algum extremista islâmico, né não? Vir infectado dentro de um avião ou ônibus não……

      1. Se vc já viu um video lá do Atila,

        Aquele Átila que disse que só rico ia ter problemas com o coronga e que pobre podia sair de boas pro carnaval, já que tinha problemas piores, como homofobia? (nada mais homofóbico que carnaval, né?)

      2. Por isso eu disse que tenho opiniões conflitantes sobre os indígenas
        .
        Confesso que não tenho a menor ideia de como lidar com aquelas tribos da Amazônia.
        A única certeza que eu tenho é que o povo que vive em “psedo-aldeia” aqui no ES não é nem mais nem menos índio do que qualquer um de nós.
        Sobre quilombolas e dívida histórica…. eu sou mais da opinião do “vai trabalhar vagabundo”.
        Com muita relutância eu aceitaria algum tipo de quota social, baseada na situação de pobreza do indivíduo. Quota baseada em cor de pele: NEM FUDENDO.

        1. Esse “vai trabalhar vagabundo” é interessante porque pobre favelado não pode pagar por ensino superior, por isso tem cotas. Como tem muito pobre, não tem emprego suficiente, tirando, sei lá, camelô. Pedreiro precisa de obra, faxineira de domicílios, etc… Uns não podem pagar pelo trabalho dos outros, então precisam de mais classe média empregando eles.
          Mas a dívida histórica não é pra pobre, é pra negros mesmo. Eles foram sequestrados e depois que a escravidão acabou, não tinham nada, moradia, seguro desemprego, bolsa família, cê tá ligado né?
          Como eu disse, 20 anos atrás talvez não tinha muita diferença, mas 45 sim, 70 muito mais. A família do negro hoje sofreu um monte, logo ali na geração anterior. Saca o racismo que tinha nos anos 60 e 50? Né…
          E quanto aos índios, eu não acho que o terreno dos imóvel que tua família possivelmente é dona foi adquirido legalmente. Quantos anos tem tua cidade? A família real já tinha exterminado/escravizado as tribos aí no local e se declarado dona de todo território?
          Você sabe o nome da tribo que vivia exatamente aí onde vc mora hoje?
          Mas láááá no meio da Amazônia era tããão longe que as leis de preservação conseguiram ser criadas antes que algum explorador fosse lá com capangas degolar geral. Alguém se importa com eles.

          1. Esse “vai trabalhar vagabundo” é interessante porque pobre favelado não pode pagar por ensino superior, por isso tem cotas</I.

            Não. Cotas existem para político oportunista ganhar votos.

            Como tem muito pobre, não tem emprego suficiente, tirando, sei lá, camelô.

            Engano seu. Toda hora estão pedindo programadores em C, Java, Cocoa, Android Studio etc. Guess what. Ninguém quer qufaculdade. quer que o cara saiba programar.

            Pedreiro precisa de obra

            Médico precisa de paciente e é mais fácil pedreiro ter serviço que médico ter paciente.

            faxineira de domicílios, etc…

            O que não falta é casa suja pra limpar.

            Uns não podem pagar pelo trabalho dos outros, então precisam de mais classe média empregando eles.

            Péra. Mas aí o pobre precisa ter emprego de classe média. Então, não haverá pobre de serviços como doméstica se todo mundo tiver faculdade. Ou teremos faxineira com diploma de pedagogia (e existem!)

            Mas a dívida histórica não é pra pobre, é pra negros mesmo

            Vale pra negros ricos?

            Eles foram sequestrados e depois que a escravidão acabou, não tinham nada, moradia, seguro desemprego, bolsa família, cê tá ligado né?

            Eles não foram sequestrados. Foram vendidos por reis africanos, que por sinal eram negros também. Funcionava assim: as tribos estavam sempre em guerra. Quem ganhava vendia o perdedor como escravo. Quando começaram os movimentos abolicionistas, os reis africanos perderam uma ENORME fonte de renda e foi isso que detonou com os reinados africanos.

            Como eu disse, 20 anos atrás talvez não tinha muita diferença, mas 45 sim, 70 muito mais. A família do negro hoje sofreu um monte, logo ali na geração anterior. Saca o racismo que tinha nos anos 60 e 50? Né…

            Vc está confundindo a história do Brasil com a dos EUA. O que não falta na década de 50/60 ídolos negros em esportes. O braço direito do Getúlio era negro. Vai estudar. Só está falando merda.

            E quanto aos índios, eu não acho que o terreno dos imóvel que tua família possivelmente é dona foi adquirido legalmente

            Funcionava assim: quando os portugueses chegaram aqui, os tupis estavam em guerra contra os tamoiosd. Os tupis se aliaram aos portugueses e os tamoios se aliaram os franceses. E não havia um índio por metro quadradio no Brasil, filho. De novo, vai estudar e pára de falar merda.

            Quantos anos tem tua cidade? A família real já tinha exterminado/escravizado as tribos aí no local e se declarado dona de todo território?

            Índios não foram escravizados. E a fam´pilia real chegou aqui quando já tinha uma porrada de homens brancos. Mas tu é burro, hein?

            Você sabe o nome da tribo que vivia exatamente aí onde vc mora hoje?

            Onde EXATAMENTE moro, ninguém. Mas se vc está com tanta dó, dá a sua casa para uma família de índios morar e vai pra onde sua família saiu, ué.

            Mas láááá no meio da Amazônia era tããão longe que as leis de preservação conseguiram ser criadas antes que algum explorador fosse lá com capangas degolar geral. Alguém se importa com eles.

            De novo, vc é burro. Amazônia é tão longe quanto qualquer lugar do Brasil. E não tem nada a ver com leis de preservação ambiental, que nego caga e anda.

          2. É risível/trágico/cômico/triste saber que minha região só é conhecida por causa de índios e por causa de sofativistas que fingem ajudar alguém, incluindo indígenas.

            E favelados não podem pagar por ensino superior mas muitos deles conseguem fuzis. Será que deus manda do céu?

  3. “Só as mentes jovens, toscas, burras, ingênuas e absurdamente idiotas estão impressionadas com o que está acontecendo hoje como se fosse alguma novidade.”

    Adolescentes que acabaram de entrar pro ensino médio e só conhecem bozonaro.

Deixe uma resposta para abnerwilliandasilvaluna Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s