Dicas rápidas sobre como (não) ameaçar um descrente

Grandes Nomes da Ciência: Sophie Germain
O Brasil da Divulgação Científica

Um dos principais problemas com os malucos que chegam em áreas de comentários, fóruns de discussão e o recanto da insânia conhecido por Facebook (ou melhor dizendo "a rede que não mencionamos") – YouTube fica de fora. Aquilo não é comunicação direta com o Inferno –, é a forma que querem nos converter, ameaçando-nos com pragas, maldições e previsões de como seu poderoso deus vai nos ferrar. O problema é que esse deus fracote sempre age de forma… como direi?… infantil. Ou pelo menos, é assim que seus seguidores dizem que ele age. Como temer um deus que fica que nem criancinha birrenta?

Por exemplo, alegam que se eu não acreditar em Jesus, que eu irei pro Inferno… Aham, tá. Eu parto do princípio que 1) Não acredito no deus dele; 2) Não acredito na religião dele; 3) Não acredito em nenhuma peculiaridade da doutrina da referida religião; e isso implica em não acreditar em Jesus, Bíblia, anjos, demônios, Céu e, é claro, Inferno. me ameaçar com Inferno é total perda de tempo. Outrossim, e você só vê "outrossim" em comunicação escrita, dizer para eu seguir esta religião para eu ir pro Céu é totalmente disparatado. Eu acabo rindo, e se ofendem mais ainda!

Some-se a isso o fato de dizerem que se eu não acreditar em deus, que minha vida dará errado, que ele se vingará em mim e em todos os meus familiares. Mas esse é exatamente um dos motivos para não seguir este deus: uma criança birrenta que leva a bola embora só porque é perna de pau e não deixamos jogar. Com o agravante que a bola não era dela. Dessa forma, se eu digo "não aceito seguir um deus psicopata que mata barbaramente quem não concorda com ela", a melhor resposta para isso pode estar entre várias opções, mas "se você falar isso, ele vai ter dar um furúnculo do tamanho de uma bola de boliche no meio da bunda" (ou coisa similar) com certezas não será uma delas. Apenas estará reforçando o que eu falei.

Teve um maluco que que achou que era a Samara e me deu 7 dias antes que algo de ruim me acontecesse e à minha família. Deus lento. Ele poderia fazer tudo instantaneamente, mas acho que era para eu ter tempo de pensar e ver os meus erros. Não só não fiz isso como passei uma semana zoando a "mardição malígrina". Acho que Deus, então, é um cara boa praça e gosta de uma boa brincadeira. Não fez nada comigo; ou achou que eu não valia a pena.

O problema dessas maldições é que elas… não acontecem. Estranho. Só acontece com pessoas que acreditam, ou com gente que é fiel e devota. Se procurarmos por ônibus+romeiros+acidente+morte veremos a quantidade de gente devota que faz peregrinações e acabam se envolvendo em acidentes. Então, me resta pensar sobre isso e chegar à algumas conclusões:

1) Não eram devotos de verdade.
2) Deus é míope e não sabe a diferença entre as listas de quem é pra matar e quem é pra cobrir de glória.
3) Deus realmente é um psicopata e prefere sacanear pessoas que o veneram, só para que eles vejam o quanto ele não se importa com ninguém.
4) Merda acontece.

Eu até colocaria "Deus não existe", mas isso talvez acarretasse na ira divina sobre mim. Melhor xingar o Espírito-de-porco Santo.

Ops, acho que blasfemei!

  • Mas eu tenho que seguir esta religião, pois só assim eu poderei ir pro Céu e ficar venerando Deus pelo resto da eternidade, ou esse deus me fará coisas horríveis.
  • Mas eu tenho que pagar ao chefe da milícia por proteção, e ficar dizendo o quanto ele é bom pra mim, ou ele virá atrás de mim, quebrará as minhas pernas e queimará a minha casa.

Se vocês viram alguma diferença em termos de conceito, posso lhes dar vários endereços de hospitais psiquiátricos. O lamentável disso tudo é ver o quanto as pessoas são covardes, por causa de "vai que…"

  • Não passam por perto de gato preto porque vai que isso dê azar.
  • Dão a volta ao ver prato de barro com despacho, porque vai que o guia fique ofendido.
  • Se benzem se mais pessoas o fizerem, pois vai que Jesus fique observando quem não façam sinal da cruz.
  • Contornam uma escada aberta, afinal vai que dê mau agouro.
  • Deixa eu mudar a postagem do meu blog e louvar Jesus, pois vai que o crente retardado que mal sabe escrever direito esteja certo.

Eu sugiro que vocês sejam mais criativos. Dizer que eu vou (ou não vou) para um lugar que já não acredito não é ameaça. É o mesmo que dizer que serei atacado por tamanduás estupradores de 4 metros de altura. That’s not gonna happen. Dizer que esse deus vai agir de forma selvagem comigo e todos os meus familiares, mesmo que esses nunca tenham participado de minhas opiniões, soa como a frase do Mago do Verbo: "Se Deus é como as religiões o descrevem, eu o odiaria".

Chamam isso de "livre arbítrio". Livre arbítrio é ir num restaurante self-service. Você coloca o que quiser no prato e o dono do restaurante não te julga. Ele sorri perante sua decisão, e mesmo que não concorde que você misture sorvete com feijão e coloque purê de abóbora em cima, ele não o punirão. Pesará seu prato igualmente e cobrará o mesmo preço. Ou, quando muito, nem pesará o que você comeu. O valore é o mesmo para todo mundo.

Se isso não é a verdadeira liberdade de escolha, eu sinceramente não sei como definiria.

Grandes Nomes da Ciência: Sophie Germain
O Brasil da Divulgação Científica

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!