6 de junho: O Dia D

d-day.jpg

Eu realmente tenho que me desculpar. Por causa de meu desleixo, eu deixei de fazer menção ao dia de ontem, 6 de junho, dia que no ano de 1944 os Aliados resolveram ser mais bravos que os loucos (ou mais loucos que os bravos) e desembarcaram na Normadia. Foi o chamado Dia D, o dia que as tropas desembarcaram nas praias de Omaha e Utah (se você não sabe o porque destes nomes, é sinal que você não estudou História. Compre um livro), no que chamaram Operação Overlord.

Erwin Rommel, a Raposa do Deserto, avisara ao Estado Maior alemão que os aliados não iriam para Pas-de-Calais e sim para a Normandia, mas os “ixpertus” acharam que só um louco faria isso (graças ao espião duplo com codenome Garbo). Mas de loucos, aqueles homens não tinham nada. Tinham disciplina e coragem de sobra, apesar que a maioria não voltou pra casa. Não morreram em vão, pois aqueles soldados realmente saíram da vida entraram para a História, mesmo sem escrever uma carta estúpida (e falsa).

Algum idiota falará “Blé, imperialistas”. Não, não eram. Eram homens corajosos, assim como os que estavam guarnecendo o local e ambos os lados sofreram perdas terríveis, por causa de políticos, sempre políticos. A ânsia de domínio global, de supremacia, do autoritarismo, do despotismo em honra pessoal e vaidade, pois tudo é vaidade. Mas não são políticos que se armam e vão enfrentar seus oponentes. Essa época passou e comandantes não estão mais à frente de seus comandados, apenas mandam os garotos com uma arma na mão, com ordem de matar o primeiro de farda diferente, sendo que no lado opositor as ordens são as mesmas.

A Wehrmatch fez o seu trabalho e pagou seu preço em carne e sangue. Os Aliados abriram uma ferida funda, mas também perderam seus heróis numa guerra insana, como todas as guerras são… insanas.

Muitos especulam como teria sido o rumo da Segunda Grande Guerra sem o desembarque na Normandia. A História não funciona assim, só nos resta muitas especulações, mas poucas certezas. De certeza só temos que os que lá pereceram foram responsáveis por uma virada no curso da História, mesmo que nunca saibamos os seus nomes, mas sabemos de seus feitos.

Esperemos que nunca mais seja necessário tão movimento de tropas. Esperemos que guerras não sejam sujas, com pessoas se vestindo de pobres coitados. pelo menos, que tenham coragem de usar um uniforme e enfrentar outros soldados, deixando os civis de lado, mas é um tolo romantismo de minha parte pensar que será assim. Os homens de outrora eram mais homens. Os de hoje chamam de “coragem” o ato de mandar e-mail xingando donos de blogs.

14 comentários em “6 de junho: O Dia D

  1. Ótimo texto.
    Não querendo tirar o brilho dos americanos, mas não podemos esquecer dos soviéticos, que empurraram pelo outro lado e foram tão responsáveis quanto os países do Dia D para essa “virada no curso da História”.

    1. Sim, mas não tem nada a ver com o Dia D, apesar que a Batalha de Stalingrado foi outra carnificina (ainda mais com a “brilhante” tática russa de mandar dois soldados, sendo que um deles não tinha arma, era apenas para ficar com o fuzil caso o companheiro fosse abatido).

      1. @André, Apenas citei os soviéticos pelo fato de você ter falado na “virada no curso da História”, pela importância que tiveram, não querendo avaliar seus métodos e suas ideologias.

      2. @André,

        Pior que isso, só mesmo a doutrina ” Nenhum passo para trás” imposta por Stalin nessa batalha, que proibia que seus soldados recuassem, sob pena de fuzilamento. Pelotões inteiros foram fuzilados por isso.

  2. Haaa…Esse texto me lembrou essa [url=http://www.youtube.com/watch?v=RHBSsheTZEUE]música[/url]
    E nunca esqueçam que: “Deus está do lado de quem vai vencer” :wink:

  3. Com certeza o destino da guerra já estava selado com ou sem o dia D,aliás foi até melhor para os alemães pois se a resistência germânica durasse mais é provável que eles fossem as primeiras vítimas da bomba atômica. :!:

    1. Que eu saiba, eles estavam bem próximos em suas pesquisas. lembrando que o programa espacial americano foi o que foi graças a Werner Von Brown.

      1. @André,
        Pois é, milhões morrem nessa pendenga de bem x mal, e no fim os vencedores ficam numa corrida para se apropriar dos cérebros do “mal”…
        Von Braun, os maníacos japoneses da guerra biológica, os projetistas do ME-262, os Sen Toku…
        Um cara teve a idéia de viabilizar bombas voadoras para Londres? Sem problemas, vamos por ele para trabalhar para nós.
        Un doidos resolveram usar a Peste como arma de guerra? Cool, melhor com a gente que com os russos. :roll:

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s