Industria aumentou nicotina para aumentar dependência, diz estudo

Estudantes brasileiros criam robô 'emotivo'
The Pirate Bay quer comprar seu próprio país

Segundo um estudo publicado nesta semana pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a indústria tabagista aumentou deliberadamente os níveis de nicotina nestes últimos anos para aumentar a dependência dos fumantes.

O documento explica que “as empresas usaram progressivamente um tabaco cada vez mais rico em nicotina, além de alterar o formato do cigarro, dando ao fumante a possibilidade de aumentar as tragadas”.

Segundo a agência de notícias Ansa, a estudo de Harvard, baseado em dados fornecidos pelos próprios produtores, aprofunda um primeiro documento do departamento da Saúde Pública do Massachusetts, segundo o qual a quantidade de nicotina aumentou em média 10% entre 1998 e 2004.

O líder americano do setor, a Philip Morris, afirma que o estudo de Harvard é equivocado, mas reconhece que os níveis de nicotina se alteraram no tempo, só que nas duas direções. O nível de 1997 e de 2006 (anos não considerados no estudo), em particular, seria idêntico.

Outros dois grandes produtores, como a Lorillard e a Reynolds, se recusaram a responder às perguntas do jornal Boston Globe, que divulgou o estudo.

Estudantes brasileiros criam robô 'emotivo'
The Pirate Bay quer comprar seu próprio país

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!