Darwin selecionou os seus, inclusive blogs

Eu não sou de ver canais brasileiros no YouTube. Na verdade, há um mínimo que eu ainda assisto, mas mínimo do mínimo. No máximo, o canal da Ned. ainda assim, o Tubo insiste em me mostrar vídeos que eu vivo colocando como NÃO TENHO INTERESSE [NESTA MERDA]. Um deles era sobre como temos que discutir sobre como ganhar dinheiro com o YouTube com constantes mudanças de políticas.

Sim, 2021 e AINDA estão discutindo isso.

Continuar lendo “Darwin selecionou os seus, inclusive blogs”

A Lâmpada que ilumina o coração hipócrita

Havia dois Diógenes. Diógenes Laércio, historiador, filósofo e biógrafo de antigos filósofos gregos. Nascido no ano 180 EC em algum lugar do Império Romano, que não se sabe qual é. Quase nada sabemos sobre ele. Temos Diógenes, o Cínico, nascido em Sínope (por isso, ele é chamado também de Diógenes de Sínope), uma colônia jônica no Mar Negro, em alguma data entre 412 ou 404 AEC. Diógenes Laércio escreveu sobre seu xará de Sínope em sua obra Vidas e Opiniões de Eminentes Filósofos; Plutarco também escreveu sobre o filósofo de Sínope, dizendo que Diógenes, o Cínico morrera em Corinto no mesmo dia que Alexandre da Macedônia, então, foi algo em 323 AEC. Estas datas estão certas? Ninguém sabe.

Diógenes era chamado O Cínico dada a escola filosófica que ele fundou; ou, pelo menos, iniciou: o Cinismo. As palavras mudam de significado com o tempo, e Cinismo era uma escola filosófica em que seus seguidores tinham para si que o objetivo da vida é viver em virtude, de acordo com a natureza. Achavam que seres humanos, como criaturas racionais, podem obter a felicidade treinando rigorosamente e vivendo de uma maneira natural para si mesmas, rejeitando todos os desejos convencionais de riqueza, poder, sexo e fama. Em vez disso, eles deveriam levar uma vida simples, livre de todos os bens. Eu mesmo não estou nesse nível. Não por habilidade, mas por achar, como o tocador de cítara disse, se apertar demais a corda arrebenta; se afrouxar, não se consegue tocar o instrumento.

Continue lendo >>

10 Anos de Ceticismo.net

São 3.986 posts (sem contar este aqui), 169 páginas com matérias especiais, 49.840 comentários e muita informação. uma história de muito, muito tempo, ainda mais em termos de Internet, em que um ano é muita coisa. Fiz amigos, alguns desafetos, gente me xingando, gente me elogiando, gente que buscou a informação que precisava, enfim… Migramos de mídia, participações em alguns podcasts (ok, só um, o SciCast, mas vários episódios), convite para ir no CampusParty (ok, só por causa do SciCast, mesmo), convite para escrever em outros sites (infelizmente, já não existem mais. Serei o culpado?) e hoje estamos no YouTube, no Canal do Ceticismo.net.

No dia 29 de outubro de 2006, foi publicado o primeiro de nossos artigos. Sim, o Ceticismo.net hoje faz dez anos, um dos mais antigos sites de divulgação científica e pensamento crítico da Internet Brasileira, e há muita história, e ela começa antes de 2006.

Continuar lendo “10 Anos de Ceticismo.net”

O que é Ceticismo?

As pessoas não sabem o que é ceticismo. Pensam que é coisa de ateu satanista do Inferno. Outros confundem ceticismo com ignorância. Tem os que acham que religiosos não podem ser céticos, além dos que pregam que todo mundo é cético 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Cético pra lá, cético pra cá. Ceticismo parece que virou cartão de visitas ou ato condenatório. Afinal, o que é ceticismo?

Continuar lendo “O que é Ceticismo?”

Dos pensamentos filosóficos da Valesca

O mundo é esquisito. Quando falamos de Ensino, pensamos que estamos ensinando algo, mas a realidade não é essa. O que se espera do Ensino? A verdade é que ninguém sabe. Ouvi hoje de um professor de Matemática que se não tiver contas não é aula de Matemática. Eu perguntei então se Álgebra deixou de ser matemática. Se Topologia deixou de ser Matemática. Se os trabalhos de Cantor são alguma viagem à base de metanfetamina (usemos essa como exemplo, em tempos de Breaking Bad) e não são Matemática. Matemática é tabuada? Que pena que nem isso os alunos sabem.

Nisso, um professor de Filosofia de um colégio o Distrito Federal jogou um balde de água fria, com gelo e tudo, no que poderíamos ter como conceito de ensinar. E isso porque ele mencionou a Valesca Popozuda como "grande pensadora". Até que ponto ele está errado?

Continuar lendo “Dos pensamentos filosóficos da Valesca”

1º Hangout Cético – Comentários

Bem, se você acompanhou durante a manhã, viu a mim e o Gilmar do E-Farsas num bate-papo sobre ceticismo. Foi uma excelente experiência, ainda mais que eu sabia (mas não tinha certeza da extensão) do quanto eu falo demais. Não, sério! Eu não sou prolixo, eu simplesmente falo pra cacete!

Como experiência foi ótimo e gostaria de compartilhar algumas coisas.

Continuar lendo “1º Hangout Cético – Comentários”

Ceticismo.net (e outros) estão disponíveis para o seu smartphone

Você deve ser daqueles que: (1) Não usa RSS por pensar que isso é coisa de comer e engorda; (2) Desistiu de usar RSS ao saber que o Google Reader vai pro saco (dica: Use o Feedly, que importa todos os seus feeds.) Mas isso não é empecilho para você estar antenado com o melhor site de ceticismo, pensamento crítico, divulgação científica e crítica textual do Universo: nós aqui, é claro. Se ainda assim você lê outros blogs do mesmo tema, que tal arregimenta-los tudo no seu smartphone Android?

Continuar lendo “Ceticismo.net (e outros) estão disponíveis para o seu smartphone”

Teste seu ceticismo

Você é um cético, e se orgulha de seu pensamento crítico desenvolvido. Responda então ao seguinte teste:

testeseuceticismo.gif

Há quatro cartas acima, e cada uma delas possui uma letra em um lado e um número no outro lado. Temos então a alegação nada extraordinária de que “se uma carta tem uma vogal de um lado, então tem um número par do outro lado”. A questão é: quais cartas você precisa virar para descobrir se a alegação é verdadeira ou falsa?

Apenas 5% de 128 estudantes universitários deram a resposta correta. E mesmo em um famoso congresso cético, apenas 26 céticos entre 156 — pouco mais de 15% — resolveram o problema da forma correta, mostrando que mesmo a carteirinha cética não o tornará imune a falhas muito humanas. E você, superará as expectativas e fará juz ao legado crítico? Confira a resposta a seguir. Continuar lendo “Teste seu ceticismo”

O Ceticismo

Por Jean-Paul Dumont

O termo ceticismo terminou por designar atualmente, na linguagem comum, uma atitude negativa do pensamento. O cético é visto, freqüentemente, não somente como um espírito hesitante ou tímido, que não se pronuncia sobre nada, mas como aquele que, sobre qualquer coisa que é avançada, ou sobre qualquer coisa que possa dizer, se refugia na crítica. Da mesma forma, acredita-se ainda que o ceticismo é a escola da recusa e da negação categórica. Leia o restante aqui.