Como membros de dinossauros se transformaram em asas

Se até agora você não se convenceu que dinossauros eram os ancestrais diretos das aves, não serei eu quem irá lhe convencer. O problema era explicar como patas se transformaram em asas. Se bem que também era complicado explicar que camisa suja jogada num canto não fabricava ratos.

Uma publicação da Universidade do Chile propõe explicar melhor como se deu essa "transformação" (não, gente. Não foi *PLIM!* uma pata de estegossauro virou asa de beija-flor).

Continuar lendo “Como membros de dinossauros se transformaram em asas”

Suas mitocôndrias testemunham 4 bilhões de anos de história

A vida, na Terra, começou há cerca 3,5 bilhões de anos, salvo se você for tão idiota quanto o Ken Ham, que acha que o Universo tem uns 6000 anos e acredita em cobras falantes. Antes, era uma grande poça de substâncias químicas, e desta poça surgiu o que viria ser as primeiras moléculas auto-replicáveis. Pouco antes disso, tínhamos uma sopa melequenta, cm compostos orgânicos, que é chamada e Sopa Primordial. Dane-se, continuarei chamando de Sopa Melequenta!

Agora, pesquisadores descobriram que parte desta sopa melequenta ainda existe dentro e nossas células (como se o corpo humano por dentro não fosse nojento o bastante!)

Continuar lendo “Suas mitocôndrias testemunham 4 bilhões de anos de história”

Cães tem o mesmo gene de albinismo que o Homem

O albinismo é uma anomalia genética,decorrente de um defeito na produção da melanina. Isso acarreta em menor coloração tanto da pele como dos pelos e dos olhos (este último é chamado albinismo "óculo-cutâneo"). Eu poderia escrever mais, mas eu já tenho um artigo sobre a melanina. Até animais possuem esta anomalia, mas o que não se sabia até agora era se os genes eram diferentes, parecidos ou iguais.

E o que se descobriu foi…

Continuar lendo “Cães tem o mesmo gene de albinismo que o Homem”

Quando e onde os cães se tornaram cães?

A origem dos cães domésticos ainda é incerta.. Sabemos, através de marcadores genéticos, que a separação entre cães e lobos modernos se deu no final do Pleistoceno. Acreditava-se que os primeiros cães viram a luz do dia há cerca de 14 mil anos, na Europa e no Oriente Médio, mas os cães do sudeste asiático só surgiram há cerca de 7.000 anos (ver Agricultura ajudou a fazer cães serem cães), mas isso ainda está sendo debatido, pois não existe verdade suprema em Ciência. Ela sempre está revendo seus conceitos.

Agora, novas pesquisas mostram que a origem dos cães pode não só não ser nesses lugares, como muito tempo antes do que se imaginava.

Continuar lendo “Quando e onde os cães se tornaram cães?”

Pesquisa mostra conflito de biólogos evangélicos

Fé e Ciência. Duas proposições que muitos alegam ser excludentes mutuamente. Pessoas com baixa capacidade cognitiva (aka idiotas) acham que a crença numa religião faz com que tudo o que aprendemos até hoje não passa de mentiras, ainda mais se isso vai de encontro à sua religião. Alguns religiosos, quando ingressam numa faculdade, são apresentados a um mundo novo. Obviamente, estou me referindo a cursos universitários de verdade e não tosqueiras como Teatro, Dança ou Filosofia. assim, quando um religioso presta vestibular pro curso de Biologia, ele vai de encontro ao que sua crença diz. O que acontece então?

Um pesquisa da Universidade Federal Fluminense (UFF) mostra os conflitos vividos por estudantes evangélicos que querem se tornar professores de ciências. A maioria deles duvida da veracidade da teoria da evolução, de Charles Darwin, mas garante que não vai ensinar nas escolas que Deus criou o homem e o mundo. Sinceramente, eu considero isso como hipocrisia. Vejamos: o cara vai ensinar uma coisa que foi provada milhares de vezes, mas ele não acredita. Torna-se professor de algo que ele duvida, mas não consegue (nem nunca conseguirá) provar que é falso, mediante a simples dogmas que ele crê que sejam verdadeiros, mas que a Ciência provou serem falsos). Seria mais honesto alguém assim seguir profissão de pastor, o que é muito mais rentável. Continuar lendo “Pesquisa mostra conflito de biólogos evangélicos”

Fóssil encontrado nos traz mais informações sobre os antepassados dos seres humanos

Bem-vindos a mais um capítulo da história da humanidade. Há muito tempo, há cerca de 4,4 milhões, numa galáxia que trata-se da nossa mesma, um hominídeo caminhava pela Terra, mas não na cidade de Tóquio. Este indivíduo recebeu o nome de Ardipithecus ramidus (retratado artisticamente na ilustração ao lado: clique para ampliar), o qual vivia nas florestas na Etiópia pré-histórica. Quinze anos atrás, o Dr. Tim White, da Universidade de Berkeley, chefiando uma equipe de cientistas etíopes e norte-americanos, publicou o primeiro relato do Ardipithecus, que acabara de descobrir. Mas era apenas um relatório preliminar, e White prometeu mais detalhes mais tarde, uma vez que ele e seus colegas tinham cuidadosamente preparado e analisado todos os fósseis que haviam descoberto. Esse “mais tarde” foram esses 15 anos, mas a Ciência não tem pressa. Continuar lendo “Fóssil encontrado nos traz mais informações sobre os antepassados dos seres humanos”

Máquina molecular mostra como não existe complexidade irredutível

O doce aroma de cafezinho quente está vindo até mim. O dia está ligeiramente frio, uma chuvinha cai e, melhor de tudo, posso ouvir daqui mais um grito de agonia de pobres criaturinhas criaBURRIcionistas em face da verdade. A verdade não está simplesmente lá fora, mas em todo lugar, atendendo pelo nome de (morram em perversa agonia, buaahahahaha) EVOLUÇÃO! (mais um pouco de risada macabra)

Uma equipe internacional de cientistas – incluindo os bioquímicos da Universidade Monash, na Austrália – descobriu provas em nível molecular de apoio a um dos princípios fundamentais da Teoria da Evolução. Por favor, sentem-se a saboreiem comigo o café. Continuar lendo “Máquina molecular mostra como não existe complexidade irredutível”

A incrível eficiência energética dos neurônios

Neurônios são uma das famosas “células nervosas”, mas não são chamados assim porque vivem de TPM. Eles, assim como as células gliais, são responsáveis por todo o nosso sistema nervoso, responsável por detectar estímulos externos e internos, tanto físicos quanto químicos, desencadeando as respostas musculares e glandulares. Assim, é responsável pela integração do organismo com o seu meio ambiente.

Apesar da sua massa ser relativamente uma simples fração do corpo (coisa de cercade 2%), o cérebro humano consome cerca de 20% de toda energia que gastamos diariamente. Isso significa dizer que 1/5 de toda energia que você ingere vai pra sua cabeça, nem que seja para escrever tolices no Orkut ou dar aquela cantada ridícula em alguma garota num baile funk. No entanto, pesquisadores sondaram a dinâmica de um impulso nervoso que percorre um axônio – que é justamente o responsável pela transmissão dos impulsos elétricos, servindo de “mensageiros” até a parte do corpo a ser comandada –, e determinou que o processo de queima através de uma quantidade surpreendentemente pequena de energia, apenas 1,3 vezes o mínimo teórico. Continuar lendo “A incrível eficiência energética dos neurônios”

Pesquisadores determinam variabilidade genética entre dois homens

Eu gosto das reportagens sobre ciência da BBC. O Terra e o G1, também (a bem da verdade, o Terra é mestra em sair kibando todo mundo e o G1 kiba o Terra). Mas jornalistas, salvo raríssimas exceções – e o Sabino não é uma delas – jornalistas entendem tanto de ciência quanto meu hamster entende de combustíveis de foguetes (se bem que meu hamster com síndrome de Down consegue entender mais de ciência que criaBURRIcionistas). Tudo bem, eu aceito que traduzir uma linguagem, de cientistas pouco afeitos a falar com o público leigo é uma tarefa hercúlea; daí temos uma ocorrência inusitada: um cientista que não sabe se expressar para com o público leigo, e o jornalista que sabe, mas não entende do que diabos aquele “louco de jaleco” está falando. Nem todos podem ser Carl Sagan e nem todos podem ser Carl Zimmer. C’est la vie.

O Sábio Senhor do Ceticismo.net responsável pelo setor de Ciência e Assuntos Religiosos (eu, prazer) acha que as notícias sobre ciência devem passar por uma averiguação, checar fontes, postar os links das publicações indexadas e tecer maiores explicações sobre o assunto em questão. Assim, evitamos o caso do Peixe Highlander.

De acordo com notícia da BBC, Um estudo sugere que cada ser humano possui pelo menos 100 mutações genéticas no DNA, fazendo de nós mutantes. O problema é que SOMOS mutantes, mas não é de hoje. Se nosso código genético não tivesse mutações ao longo de nossa história evolutiva, ainda seríamos uma ameba (apesar que muitas pessoas pensem como uma ameba). Continuar lendo “Pesquisadores determinam variabilidade genética entre dois homens”

Mal uso de antibióticos está tornando a tuberculose resistente a remédios

Há um problema sério em se tratar tuberculose de qualquer jeito, como qualquer outra doença: que a doença fique mais forte; isto é, o uso de um antibiótico comum pode causar um problema ao gerar um tipo de tuberculose mais resistente. Fluoroquinolonas são as drogas mais comumente prescritas nos EUA, e são utilizadas para lutar contra uma série de infecções, desde sinusite até pneumonia. Elas também são uma espécie de primeira linha de defesa eficaz contra infecções provenientes da tuberculose que mostram resistência medicamentosa. Entretanto, uma nova pesquisa mostra que o uso generalizado de fluoroquinolonas pode criar uma cepa de bactérias resistentes a estes medicamentos também, e isso é pra lá de preocupante.

A tuberculose é uma das doenças infecciosas mais antigas da Humanidade. É causada pelo Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como “Bacilo de Koch”, em homenagem ao seu descobridor, o médico Heinrich Hermann Robert Koch. Sua contaminação se dá principalmente por via aérea. Dados históricos sobre a tuberculose no Brasil podem ser vistos diretamente no site da Fundação Instituto Oswaldo Cruz – FIOCRUZ. Continuar lendo “Mal uso de antibióticos está tornando a tuberculose resistente a remédios”