Olho cósmico: Do micro ao macro

O astrofísico Danail Obreschkow ficou conhecido por uma animação em que a câmera azia uma viagem do micro ao macro. Tomando do ponto de partida uma moça deixada no chão, a viagem vai para as mais longínquas distâncias no universo, conhecendo o quão vasto é o Universo. De repente, a câmera pára e volta, volta tudo. Chega até a moça e penetra (ops) no mundo das células, proteínas, DNA, moléculas, átomos e suas partículas. Uma viagem do muito, muito maior ao muito, muito menor.

Continuar lendo “Olho cósmico: Do micro ao macro”

Pesquisadores revivem um cérebro de porco sem reviver o cérebro de porco. Quero meu zumbi bacon!

Imagine que seu parente muito o do ricaço estivesse para morrer. No seu suspiro final, ele ergue a mão para você e diz “e… para você… vou dizer… onde está… meu… meu… tesouro secr….” +_+. Como num filme de comédia de humor negro, você iria querer um jeito de reavivar o defunto para que ele lhe desse a localização de sua maior fortuna. Bem, isso ainda não é possível e daria em muita coisa péssima: zumbis e um filme ruim. Mas uma pesquisa estuda como restaurar a atividade biológica de células de um cérebro. Infelizmente (ou felizmente), não de cérebros humanos, mas de porcos.

Continuar lendo “Pesquisadores revivem um cérebro de porco sem reviver o cérebro de porco. Quero meu zumbi bacon!”

Células artificiais exterminam bactérias

Bactérias são como parentes. Algumas ajudam, outras atrapalham. Existe bactéria-cunhado que chega junto, ajuda na digestão, produz vitaminas, sem elas você não vive. E existe a bactéria-cunhado que ferra com a sua vida, vive às suas custas, e se bobear te manda um monte de contas (do hospital). Você não quer esta segunda bactéria-cunhado, e, para isso, foram desenvolvidos antibióticos para dar cabo dessas sem-vergonhas. O problema é que a Seleção Natural, essa danadinha, tem feito o que melhor sabe fazer: selecionar quem está apto a viver, e isso nos deu as superbactérias.

Mas e se pudéssemos criar artificialmente células caçadoras de bactérias?

Continuar lendo “Células artificiais exterminam bactérias”

Doutoranda cria substituto para a retina? Não é bem assim

A retinite pigmentosa, também chamada de retinose pigmentar é um conjunto de doenças hereditárias que causam a degeneração da retina. Não existe “A” retinite pigmentar, mas doenças similares que atacam de forma diferente a sua retina, parte do olho onde as imagens captadas são formadas, em que uma parte está conectada ao nervo óptico, que levará a informação até o cérebro.

A retinose pigmentar é causada por problemas genéticos, que acabam fazendo besteira e não codificando as proteínas que deveriam. Isso leva à morte as células cones e bastonetes, levando à cegueira. Seria possível alguém ajudar a evitar isso. Haverá algum profissional que tenha alguma boa ideia? Acontecerá de quem vir nos salvar?

Continuar lendo “Doutoranda cria substituto para a retina? Não é bem assim”

Este vídeo de mitose não é CGI

Se você fugiu do colégio, não sabe, mas explicarei: mitose é divisão celular de células somáticas. As divisões de células germinativas são chamadas “meiose”. Eu acho que você aprendeu alguma coisa, como por exemplo que assim que o óvulo é fecundado, ele começa a se dividir exponencialmente, até que aquela linda celulinha virou alguém como você. Que tal ver como é isso num time lapse muito legal?

Continuar lendo “Este vídeo de mitose não é CGI”

Pesquisadores enfrentam o câncer com uma substância (não é essa)

Pesquisadores de verdade pesquisam uma substância química que é encontrada em tumores que pode ajudar a parar o crescimento de células cancerígenas. Você ouviu isso antes? Até ouviu, mas em vlog do YouTube, sem publicações científicas. Eu não posto pseudociência, salvo para cr4iticá-las. Esta pesquisa sim, tem publicação indexada. Mas ela é sobre o que?

Continuar lendo “Pesquisadores enfrentam o câncer com uma substância (não é essa)”

Defeito em células tumorais ajuda pesquisadores a dar cabo dessas desgraçadas

Tumor no cérebro é uma coisa muito, muito feia, mesmo que elas tenham um propósito maior já que foi tudo divinamente planejado por um desenhista inteligente pra cacete! Será possível que numa coisa tão defeituosa como o corpo humano, o defeito tenha um defeito que possa ajudar a mandar o defeito pra vala?

Sim. Um estudo mostra que foi descoberto um defeito genético que impede que células tumorais do cérebro reparem o DNA danificado cocozento dele. Melhor ainda? Tem medicamento para isso. Mas como é isso?

Continuar lendo “Defeito em células tumorais ajuda pesquisadores a dar cabo dessas desgraçadas”

A Ética dos órgãos feitos em laboratório

O mundo não é como antigamente. Tudo está cada vez mais complicado. As preocupações de outrora já são muito “meh”, e hoje temos que nos preocupar com outras coisas. Nosso conceito de ética muda com o tempo, e isso é um fato, pois, não existe Ética absoluta. Seria temeroso se houvesse. Antes era normal ter escravos, praticamente um direito dado pelo Senhor Jesus. Alguns decidiram que isso não era lá muito legal e argumentaram sobre.

Pensem o problema da ética nos transplantes. Primeiro, achava-se errado, já que você estava desmantelando o corpo perfeito que Deus criou (aquela perfeição que deu um tumor incurável). Depois, sobre a ética de doadores vivos. Hoje, podemos cltivar órgãos em laboratório. O que a Ética teria a dizer?

Continuar lendo “A Ética dos órgãos feitos em laboratório”

Oxigênio detona geral e não perdoa nem células-tronco

Células-tronco é a chave da felicidade futura em termos de ciência médica. Com elas pode-se abrir margens para novas técnicas, com amplos usos. Mas a Natureza tem suas artimanhas, e ela, que de mãe não tem nada, fará de tudo para te ferrar.

Brincadeira. A Natureza está pouco se lixando para você, seu macaco pelado. O problema mesmo é que não importa a ideia que você tenha. Estará sempre sujeito às leis da Química, e aí entra ele, o maior vilão da Química, mas qual mulher de malandro, não podemos viver sem ele: o oxigênio.

Continuar lendo “Oxigênio detona geral e não perdoa nem células-tronco”

Pesquisa mostra sistema predador-presa em protocélulas

Você deve achar o ser-humano um pulha por ser um predador sádico, que caça suas presas de forma louca e descontrolada. Pensando assim, no mínimo, você nunca saiu de casa e só vê Disney Channel. Predadores e presas existem desde que o mundo é mundo e a primeira molécula começou a competir por recursos.

Interações predador-presa são estudadas até em sistemas celulares, e pesquisadores olham para quando as primeiras protocélulas começaram a apresentar comportamento predatório.

Continuar lendo “Pesquisa mostra sistema predador-presa em protocélulas”