Chazinho contra obesidade e placebo a 80km/h não tem lá muita diferença

Você acha que tudo que é natural não pode te prejudicar, e que a Natureza guarda a cura de tudo, certo? Está aí se enchendo de chazinho da Vovó, crente que está indo de vento em popa no caminho para o emagrecimento, certo? Bem, tenho más notícias: alguns pesquisadores que não ligam pra sua avó e nem pros chazinhos dela resolveram fazer a primeira revisão global de fitoterápicos para perda de peso em 19 anos.

Sim, o resultado é este mesmo que você está pensando.

O dr. Nick Fuller teve uma ideia. Juntar um grupo de pessoas notáveis para lidar com uma das piores ameaças que estamos sendo acometidos: obesidade. Fury, digo, Fuller é líder do programa de pesquisa no Charles Perkins Center da Universidade de Sydney, estudando como desenvolver tratamentos de baixo custo para o tratamento e gerenciamento da obesidade e distúrbios físicos e mentais relacionados.

Fuller e sua equipe analisou dados de 19 anos de um monte de gente se tratando de obesidade com chazinho (nem sempre da lata). Ele partiu da premissa que com as atuais taxas de sobrepeso e obesidade atingindo proporções alarmantes em todo o mundo, muitas pessoas estão recorrendo aos suplementos de ervas chazinhos, comprimidos naturais fitoterápicos e qualquer bagaça que se encontra nos Mundo Verde da vida.

A revisão sistemática analisou as mais recentes pesquisas internacionais, encontrando 54 ensaios clínicos randomizados comparando o efeito de medicamentos fitoterápicos com placebo para perda de peso em mais de 4000 participantes.

O resultado está dando ruim pro pessoal fitonatureba.

A equipe de Fury Fuller descobriu que, apesar de alguns medicamentos fitoterápicos mostrarem perda de peso estatisticamente maior que o placebo, a perda de peso foi menor que 2,5 kg e, portanto, não tem significado clínico. Sim, amiguinho, você foi enganado.

Há quem alegue que a mardita da Big Pharma fatura bilhões de dólares em medicamentos, mas esquecem que todos esses compostinhos fitoterápicos rendem muito mais, com a única diferença de n~´ao terem passado por nenhum teste científico. Quando passam, fica evidenciado que não serve pra muito além de hidratar o corpo, dada a água que o pessoal usa para engolir esses comprimidos ou os chás que fazem. Não que isso seja ruim, hidratação é ótimo; o problema é que ajuda muito pouco (ou nem isso!) no tratamento da obesidade. Então o sujeito acha que tomando estes chazinhos mágicos podem continuar metendo o focinho no mocotó.

Aí, quando estiverem bem péssimos de saúde, correm pros médicos de verdade, mas aí já e tarde. Então, vão vociferar que Medicina também não ajudou em nada. De minha parte? Continuem se enchendo de chazinho se isso os fazem felizes. Até ajuda diminuindo as filas nos hospitais. Mas também não corram pro médico quando o caldo engrossar. Deixem Darwin fazer o seu trabalho.

A pesquisa foi publicada no periódico Diabetes, Obesity and Metabolism

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s