Darwin bombadão leva mané que resolveu injetar silicone no braço

Há casos em que é difícil de determinar o maior culpado quando todo mundo parece estar errado. Num caso que aconteceu em Goiânia, fica evidente o quanto as pessoas são burras, estúpidas, imbecis e totalmente idiotas, enquanto os maravilhosos serviços públicos de saúde mostram a extrema competência que não possuem, aliados ao descaso de "profissionais" que alegarão muita coisa, menos o que são: incompetentes.

Um analista de laboratório quis parecer fortinho e achou que meter silicone no braço era o "Ó", mas como todo mundo diz que odeia Química, o resultado foi Darwin escrevendo mais uma linha em seu bloco.

Marcos Paulo tinha 34 anos e era analista de laboratório. Por sinal, ele devia ser péssimo no que fazia, pois a primeira coisa que se aprende quando se vai trabalhar é não confiar em reagentes, não confiar em substâncias químicas, não confiar em nada. Assim se vive por mais tempo, lição que muitos deveriam aprender com o Marcos.

Marquinhos achou que tinha que ficar mais fortinho pro pessoal ver. Meio bombadão, ele resolveu ampliar o muque. Assim, qual das alternativas ele seguiu?

a) Ficar puxando ferro o dia inteiro.
b) Usar aquelas roupas com enchimento.
c) Injetar silicone industrial no braço.

A primeira opção é discutível, a segunda é imbecil e a terceira só podia dar em merda, e foi isso que aconteceu! Marcos começou a se sentir mal e foi pro HUGO, um acrônimo estúpido para Hospital de Urgências de Goiânia. Lá, Marcos teve um prefeito exemplo de como funciona a saúde pública: deram morfina e mandaram para casa. A dor continuou e mandaram pro HUGO de novo (estou tentando ler essa frase sem rir, pois o assunto é sério), ele foi "medicado" (isto é, deram um doril e mandaram o sujeito ir para casa). Quando da última vez, o cirurgião disse que Marcos tinha que ser operado. Depois de alguns dias, ele não resistiu e morreu.

Isso, por si só, seria trágico, mas vivemos no país dos paninhos quentes, e ao invés de culpar Marcos pela sua própria burrice, preferiram colocar a culpa no sofá, digo, no silicone, já que ele é vendido livremente (tanto o sofá quanto o silicone).

Senão, vejamos. Eu passo por alguns postos de gasolina todos os dias. O fato de eu poder comprar um litro de combustível a qualquer hora, bastando ter uma garrafa PET é suficiente para eu BEBER a porcaria do combustível e a culpa, claro, é do posto! A culpa JAMAIS seria de uma pessoa extremamente burra que acha que silicone cirúrgico é o mesmo que óleo de silicone. É um "analista" de laboratório tão ruim que não sabia que "silicone" não é uma substância e sim uma classe de substâncias. Muito provavelmente, na cabecinha do Marquinhos, vinagre e ácido de bateria são a mesma coisa, já que é tudo ácido. Seria interessante ele querer ficar doidão e ao invés de tomar LSD ele beber ácido sulfúrico.

De acordo com o G1, o material injetado nos braços é normalmente usado na limpeza de carros e na impermeabilização de azulejos, sendo assim, impróprio para o uso em humanos. Familiares disseram à polícia que Marcos já tinha aplicado silicone nas pernas há cerca de dois anos, e Darwin nem deu pela coisa, pois já está acostumado com estas "brilhantes" ideias.

E isso é mais comum do que vocês pensam. Eu cansei de ver travecão (daqueles que trabalham por meio sanduiche) indo comprar óleo de silicone em loja de produtos químicos para colocar numa seringa e injetar nos peitos. Em um dos casos, o balconistas perguntou para mim na frente da mona o que isso poderia causar. Eu respondi que daria danos graves à saúde e poderia causar câncer. A "criatura" sai rebolando aquela bunda esquelética dizendo que ele/a sabia o que estava fazendo.

Então, tá!

17 comentários em “Darwin bombadão leva mané que resolveu injetar silicone no braço

  1. Pessoas podem ser bem arrogantes em sua ignorância.Exemplo parecido é de jovens inalam gás de buzina por causa dos efeitos alucinógenos,sendo que há um aviso de perigo na embalagem do produto…

  2. Acabei de ver essa “presepada” na TV. No noticiário diziam que o sujeito era “químico”. Aí pensei, se o André souber disso, vai cair de rir.
    Para minha surpresa, quando acesso o site, dou de cara com a mesma notícia.
    Lamento a dor que deve afligir os familiares do sujeito, mas tenha dó, o cara é do ramo, ele tinha OBRIGAÇÃO de não vacilar numa dessa.

  3. Não é possível que o cara não soubesse dos riscos. Ele ponderou e achou que o sucesso que faria, as curtidas que ia ter no “feice” valeria a pena, afinal, já tinha injetado na perna e não deu nada, um remedinho pra dor e já era. Tenho um amigo do trabalho que toma uma bomba lascada, já passou mal várias vezes, já tá com o fígado fuzilado, não aguenta beber muito. A gente aconselha e sabe o que ele diz ? As mina pira. Quando eu morrer vai precisar de oito pra carregar o caixão.

  4. Exemplo claro de alienação. A mídia põe o desgraçado bombadão como O fodão, aí os manézinhos franzinos desprovidos de massa muscular ficam tristinhos e apelam pra esses meios nada duvidosos.
    É sempre bom ver Darwin cuidando dessa turma, ao menos serve de exemplo.

      1. @cloverfield,
        Pessoal não lê livros. Se lessem, não morreriam de forma tão tosca como o Zé aí do artigo.
        Em relação ao livro, gostei da sinopse:

        O primeiro livro a focalizar uma crise de saúde que está atingindo homens de todas as idades, três especialistas apresentam uma abordagem franca e explosiva sobre o que os homens realmente pensam e sentem a respeito de seus corpos. Do halterofilismo compulsivo até o uso de esteróides, dos implantes de cabelo até a cirurgia plástica, cada vez maior número de homens está procurando satisfazer as exigências por músculos, pele e cabelos perfeitos, chegando à uma obsessão patológica. Esta nova obsessão com a aparência, conhecida como o Complexo de Adônis, aflige rapazes e homens de todas as idades e com todos os tipos de vida e pode criar uma ameaça à saúde tão insidiosa e mortal quanto os distúrbios da alimentação para mulheres e adolescentes. Mas este livro inovador oferece esperança e ajuda para os homens apanhados no opressivo ciclo da obsessão pelo corpo, revelando os sinais e sintomas muitas vezes ocultos do complexo de Adônis.

        Vou recomendar para uns amigo meu. Valeu!

  5. Darwin ta passando o trator ultimamente… Teve um cara que foi posar com uma arma apontada pra própria cabeça e o resultado vocês já devem presumir. Eu sou franzino e assumo ser ignorante em química, mas nunca teria uma ideia retardada como essa.

  6. Imaginem as análises que ele fazia em exames no laboratório em que trabalhava, penso quantas pessoas não tiveram a saúde prejudicada por essa falta de conhecimento! :shock: ;-)

  7. Sempre quando surgem esses exemplos, eu me lembro desse vídeo.

    PS. Cenas fortes para os de estômago fraco

  8. Eu já me acostumei com a ideia de que quem nasce para lagartixa nunca chega a jacaré.

    Uma coisa interessante que vi na página do magazineluiza recentemente:

    Óxido Nítrico NO2 Dilatex 152 Cápsulas – Power Supplements.
    (suplemento alimentar)

    Pelo que pesquisei, parece que esta é a mesma substância usada naquele famoso remédio para impotência.

    A primeira coisa que pensei é que isso deve ser bem perigoso.

      1. @André, É verdade. Pesquisei melhor agora: embora o óxido nítrico esteja envolvido no processo, ele não está no remédio, ele é produzido pelo próprio corpo.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s