Químicos expõem efeitos colaterais de remédio anti-malária

É que eu não queria um título muito grande, ou teria completado “De nada”. Eu sei que todo mundo odeia Química e o Chris, mas se não fosse por nós, você ainda estaria com expectativa de vida de 20 anos, sendo que aos 12 já estava pedindo pra morrer. Você odeia química, mas adora uma cervejinha, passa perfume, lava esse seu cabelo imundo com shampoo, coloca sal na batata frita, bebe água limpa, usa capinha protetora pro seu celular… aliás, USA celular, escova os dentes, veste camisa de poliéster, dorme tranquilo com seu ar-condicionado, adora pizza, toma remedinho contra dor de cabeça e sal de fruta quando está com ressaca. Continue odiando química e vá morar na savana africana. Lá você pegará malária e vai se ferrar.

Como? Um pouquinho de remedinho e se livrou da malária? Não digo que não, mas lembre-se que muito dificilmente um remédio não tem efeitos colaterais. O que não se sabia, é se se alguns remédios contra malária, como a cloroquina, possuíam efeitos colaterais; e não foi o pessoal de Humanas quem descobriu a verdade.

Continuar lendo “Químicos expõem efeitos colaterais de remédio anti-malária”

Problemas na concentração de bicarbonato pode levar à morte em idosos saudáveis

Se você estudou num colégio que presta, você sabe o que é pH, certo? Bem, muito provavelmente, você decorou que pH mede acidez, mas não é bem assim. O pH mede o potencial hidrogeniônico, a concentração de íons H+ numa determinada solução. Claro, a quantidade de hidrogênios ionizáveis nos informa o quanto uma solução é mais ácida que outra, se formos pegar a definição de Arrhenius. Quando mais hidrogênios ionizáveis, maior o caráter ácido. Ou seja, se eu pegar um copo de água (pH = 7) e ir adicionando gotas de ácido clorídrico, por exemplo, mais ácida essa solução acabará ficando.

Então, se levarmos em conta o que comemos e bebemos, muitas substâncias ácidas seriam ingeridas, indo parar no sangue. Então, é correto pensar que o pH do sangue estaria variando constantemente, certo? Sim, se não fosse uma coisa chamada “solução-tampão”, que no caso do sangue, mantém um pH em torno de 7,4. Essa solução-tampão é à base de bicarbonato, e pesquisas recentes que baixa concentração de bicarbonato, como qualquer outra coisa necessária, pode acarretar problema de saúde, levando, inclusive à morte.

Continuar lendo “Problemas na concentração de bicarbonato pode levar à morte em idosos saudáveis”

Células que produzem insulina são feitas a partir de células epiteliais

Eu fico tão feliz quando temos Ciência fazendo milagres, melhorando nossa qualidade de vida e revolucionando o mundo! Seja gente pelada se masturbando em praça pública, ou na macaquinhos performance, ou ainda latindo (pelados, claro) nos corredores das universidades. Infelizmente, tem uns desocupados que gastam verbas e mais verbas com coisas de menor importância. Um perfeito exemplo disso são os desocupados que resolveram que diabéticos têm uma vida muito sofrida, como se isso fosse desculpa para não dar atenção aos nossos camaradas do Tibet.

Em uma recente pesquisa, cientistas conseguiram pouca coisa, meh! Simplesmente conseguiram transformar células epiteliais humanas em células pancreáticas que fabricam insulina. Que diferença isso fará ao mundo, hein? Hein? Hein?

Continuar lendo “Células que produzem insulina são feitas a partir de células epiteliais”

Patch de Quimioterapia para combater o câncer

A quimioterapia é uma bosta. Ataca o paciente, o debilita e ferra com ele. Mas funciona, diferente de comprimidos azuizinhos (não é esse) que dizem funcionar. Bem, pode ser que funcionem. Quando forem testados em humanos (daqui a uns dez anos) saberemos. A quimio, apesar de todos os seus problemas, funciona e garante um imenso número de pessoas que sobreviveram ao câncer, e isso sem vídeo do YouTube, mas quem se importa com Ciência?

Agora, pesquisadores testam uma nova forma de atacar o câncer, sem que ataque a pessoa junto. E isso feito com testes sérios, e não apelos em vídeo de forma apaixonada e mimizenta.

Continuar lendo “Patch de Quimioterapia para combater o câncer”

Pesquisadores “esculpem” cartilagens

A osteoartrite é uma doença que afeta as articulações. Basicamente, é caracterizada por uma degeneração das cartilagens, acompanhada de alterações das estruturas ósseas vizinhas. Em outras palavras, o tecido ósseo e cartilaginoso vão pro saco. Ela está associada com o envelhecimento e estresse contínuo em áreas como joelhos, quadris, dedos e região parte inferior da coluna.

Se algo não está funcionando bem, pretende-se curá-lo, e se curar está difícil, que tal substituí-lo por um novinho em folha. Como? Com uma impressora 3D, ué. 3D é que nem bluetooth: tudo fica melhor com ele, ainda mais quando você imprime suas próprias cartilagens.

Continuar lendo “Pesquisadores “esculpem” cartilagens”

Pesquisa australiana diz o que todo mundo já sabe: homeopatia é engodo

A Austrália já tem muitos problemas. Um deles é SER a Austrália, o lugar onde 95% dos seres vivos tentam ferozmente matar de forma bárbara os outros 5%. Só isso já é um bom motivo para se afastar de lá, mas quem agora tomou uma na ideia foram os defensores do tratamento água-com-açúcar, também conhecido como "Homeopatia". De acordo com o Australian National Health and Medical Research Council (NHMRC), tratamentos com remedinhos homeopáticos são pura bobagem, charlatanice, falta de vergonha e totalmente inúteis. Claro, não esperamos decisão semelhante por aqui, a terra da Pseudociência.

Continuar lendo “Pesquisa australiana diz o que todo mundo já sabe: homeopatia é engodo”

O que está escondido na medicina tradicional chinesa?

Há a onda de muita gente ter mania de ser natureba e odiar química, numa frase que, em si, não faz o menor sentido. Uma das piores coisas que tem é dor. Eu odeio sentir dor. Não que eu seja molenga, até que suporto bem dores, mas por que ficar sentindo dor desnecessariamente, só porque a "indústria farmacêutica ganha trilhões de dólares todos os anos por causa do sofrimento alheio blábláblá". Ganham? Ótimo! Assim, têm verba de pesquisa para pesquisar outros medicamentos.

Agora, médicos se perguntam o que podem aproveitar da chamada "medicina tradicional chinesa". E isso leva a um pensamento errôneo.

Continuar lendo “O que está escondido na medicina tradicional chinesa?”

Ameaças e Defesas numa Pandemia

cienciaO progresso científico-tecnológico trouxe inúmeros desafios à humanidade. No segmento da saúde, descobertas fundamentais foram feitas após a Revolução Industrial, particularmente com o início da era pasteuriana, em fins do século XIX, e permitiram expectativa média de vida, ao menos em países socialmente desenvolvidos, em torno de 80 anos atualmente.

Entre algumas conquistas básicas, na saúde, estão para disponibilidade ampla de água potável, tratamento dos esgotos, coleta regular de lixo e, entre outras medidas de higiene, vacinas, técnicas desenvolvidas para o diagnóstico de doenças e seu tratamento, especialmente com antibióticos, no caso de doenças infecciosas.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Ameaças e Defesas numa Pandemia

O progresso científico-tecnológico trouxe inúmeros desafios à humanidade. No segmento da saúde, descobertas fundamentais foram feitas após a Revolução Industrial, particularmente com o início da era pasteuriana, em fins do século XIX, e permitiram expectativa média de vida, ao menos em países socialmente desenvolvidos, em torno de 80 anos atualmente.

Entre algumas conquistas básicas, na saúde, estão para disponibilidade ampla de água potável, tratamento dos esgotos, coleta regular de lixo e, entre outras medidas de higiene, vacinas, técnicas desenvolvidas para o diagnóstico de doenças e seu tratamento, especialmente com antibióticos, no caso de doenças infecciosas. Continuar lendo “Ameaças e Defesas numa Pandemia”

Os mistérios do “efeito placebo”

placeboO fenômeno pelo qual uma substância inerte (por exemplo, um torrão de açúcar) parece ter propriedades curativas quando é administrada como um medicamento se denomina “efeito placebo”. Não precisa ser um comprimido inerte, também pode ser uma operação na qual não se remova nada, ou uma injeção de soro salino. Por que algo que não tem princípio ativo pode ter efeito? A explicação desse fenômeno é cada vez mais conhecida. O que se sabe derruba algumas ideias preconcebidas.

Talvez a cena lhe pareça familiar. Sente uma terrível dor de cabeça, toma um analgésico e alguns minutos depois a dor parece ter evaporado. O alívio não pode ser atribuído ao medicamento, porque literalmente não teve tempo de chegar ao sangue e produzir um efeito. O que aconteceu deve ser atribuído ao famoso efeito placebo: a psicologia a serviço da cura.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »