Neandertais também sabiam fazer fogo e curtiam braseiro

Todo mundo sabe que numa disputa pela sobrevivência, quem detém as melhores habilidades ganha; a isso soma-se a tecnologia, não só em feitura, como manuseio. Quem é senhor da melhor tecnologia, tem larga vantagem. Costumam alegar que os neandertais perderam a competição pros Homo sapiens pelo fato desses últimos dominarem o fogo, enquanto os neandertais eram broncos e não eram capazes de produzir, manter e dominar o fogo. Sim, faz total sentido pensar isso, só que recentes descobertas mostram que pode não ser bem assim, e neandertais sabiam se virar muito bem com o fogão. Mesmo porque, ainda não havia micro-ondas e nem… AIRFRYER!

Continuar lendo “Neandertais também sabiam fazer fogo e curtiam braseiro”

Presente de Grego: Caveira humana é o fóssil de Homo sapiens mais antigo fora da África

Neandertais se mostram muitas vezes mais interessantes que Homo sapiens. O fato de eles terem perdido na corrida evolutiva não tira a curiosidade sobre um dos últimos hominídeos a conviverem diretamente com seres humanos. Em 1978, em uma caverna chamada Apidima, no extremo sul da Grécia, um grupo de antropólogos encontrou um par de crânios parecidos com humanos. Um tinha um rosto, mas estava muito distorcido; o outro era apenas a metade esquerda de uma caixa craniana. Os pesquisadores acharam que eram neandertais, ou algum outro hominídeo perambulando por lá. Estavam quase certos!

O caveirão conhecido Apidima 2, o do crânio completo, era um neandertal de 170 mil anos. Você pensa que só porque ele estava inteiro (ou quase) ele era mais importante, certo? Errou, miserárver! O importante era o outro. Sempre foi. Aquele conhecido como Apidima 1, sabe-se agora, era um ser humano moderno de 210.000 anos. É o fóssil mais antigo de um Homo sapiens encontrado fora da África.

Continuar lendo “Presente de Grego: Caveira humana é o fóssil de Homo sapiens mais antigo fora da África”

Homo erectus foi pra vala por ser preguiçoso, disse pesquisador (palavras dele)

Homo erectus não era um homossexual que estava sempre pronto para a cópula. Ele formava um grupo de hominídeos que viveu há cerca de 1,8 milhões de anos e 300 000 anos atrás. Seu nome significa literalmente “o homem que andava ereto ou em pé”. Esses hominídeos eram que nem brasileiros: onde menos se esperava tinha um lá. A maior parte ficou, entretanto, na África, mesmo. Agora, pesquisas recentes mostram que seu tatatatatatataravó Homo erectus foi mandado pra vala evolutiva porque era preguiçoso. Deve ser por isso que você é o que é, já que quem puxa aos seus não degenera.

Continuar lendo “Homo erectus foi pra vala por ser preguiçoso, disse pesquisador (palavras dele)”

Sobrancelha grande põe medo, mas bom mesmo é poder movê-la

Crânios de hominídeos fossilizados sempre chamam a atenção pela protuberância na região das sobrancelhas. Aquela marquise imensa até poderia ser rótulo de hominídeo pouco evoluído, mas elas eram mais que um crachá de Homo toscos. Especula-se que aquilo era sinal de domínio, pois quem tivesse maior protuberância, era o rei da bagaça. Aí as testonas passaram a ser mais achatadas, e as sobrancelhas acabaram se tornando móveis. Uma pesquisa aponta que estas sobrancelhas moveis fizeram uma grande diferença, e podem ter sido uma forma para expressar uma ampla gama de emoções sutis, desempenhando um papel crucial na sobrevivência humana.

Continuar lendo “Sobrancelha grande põe medo, mas bom mesmo é poder movê-la”

Encontradas as mais antigas pegadas no Canadá, e não era Caribou Lou

Seres humanos nunca gostamos de ficar parados muito tempo num canto qualquer. Sempre adoramos perambular por aí e foi isso que acarretou pessoal sair da África para o mundo inteiro, dominando o planeta. Claro, as motivações variam de pessoa para pessoa, mesmo antes de serem o que podemos chamar hoje de “pessoas”. Mesmo em tempos d’antanho já tinha gente que adorava sair batendo perna por aí. Muito passam incólumes por eras e eras, mas tem sempre um que deixa o registro de suas viagens, como o que passou pelo Canadá há mais de 13 mil anos.

Continuar lendo “Encontradas as mais antigas pegadas no Canadá, e não era Caribou Lou”

Pesquisadores estudam dentes de neandertais e descobrem muito do seu estilo de vida

Neandertais são nossos primos mais famosos, que tivemos o prazer de contribuir em mandar para a vala evolutiva. A importância deles é que são uma espécie de onde nós não evoluímos e estaria junto conosco hoje se Evil Darwin tivesse deixado. Bem, merda acontece e ela já limou 99% de todas as espécies que já viveram, o que em nada limita nossa curiosidade sobre saber sobre cada uma delas.

No caso dos neandertais nos interessa saber por serem uma outra espécie de hominídeos. Quem eram eles e o que comiam. Hoje, sabemos mais ainda sobre seus hábitos, como uma recente pesquisa publicada demonstrou.

Continuar lendo “Pesquisadores estudam dentes de neandertais e descobrem muito do seu estilo de vida”

Quais as diferenças entre pés de humanos e de macacos

Ser humano não é fácil! E já não era fácil antes de nos tornarmos humanos. Nossos antepassados passaram por uma longa viagem evolutiva, e a cada dia descobrimos mais alguns passos dessa viagem. Aliás, falando em passos, uma coisa que sempre interessou pesquisadores foi a origem de um de nossos membros mais importantes. Quer dizer, só a extremidade desse membro: os pés.

Uma pesquisa estuda a evolução da caminhada humana através de nossos primos mais próximos, os chimpanzés; e mesmo assim, nossos pés são os mais distintos de todos os primatas.

Continuar lendo “Quais as diferenças entre pés de humanos e de macacos”

Crateras de dinossauros ajudam a saber sobre a história de nossos avós

Existe criacionista retardado (desculpem o pleonasmo) que realmente acha que homens e dinossauros conviveram. Tem até imagenzinha lindinha de homens cavalgando dinos, como esta aqui ao lado (não é que seja Jesus, não é. Mas bem que parece. Até tem a cara de quem nunca tomou banho). Ainda assim, dinossauros podem nos ajudar em muita coisa; como encontrar vestígios de hominídeos, mesmo estes tendo aparecido muito tempo depois.

Mas as crateras… ah, as crateras ainda estão lá…

Continuar lendo “Crateras de dinossauros ajudam a saber sobre a história de nossos avós”

Homo habilis não era hipster mas já era destro antes de ser moda

Convenhamos, canhoto é algo sinistro. Tipo, se isso fosse normal, não seria minoria. É como ter japonês no Rio de Janeiro. Não, péra. População de japoneses no Rio é ainda menor, já que canhotos somam 10% da população mundial. Mas a questão que fica é… De onde esses canhotos vieram? Aliens?

Pesquisas paleontológicas e escavações mostraram quando pode ter começado o uso primordial da mão direita. E começou há muito, muito tempo. Mais tempo do que você pode imaginar.

Continuar lendo “Homo habilis não era hipster mas já era destro antes de ser moda”

O mais velho dos cânceres já descoberto

Desde que surgiu os primeiros processos de autorreplicação, sempre houve a chance de algo dar muito errado… ou muito certo. Nos casos em que a mutação não virava uma sinuca evolutiva, impedindo o ser vivo de continuar vivo, 99% das vezes deu certo e aquela proteína esquisita virou a Zooey Deschanel. O problema é aquele 1% safadão que nos deu cânceres

Câncer é algo tão velho quanto a humanidade. Não… corrijo: câncer é algo mais velho que a própria humanidade. Enquanto nós, toscos Homo sapiens estamos perambulando por aí por alguns milhares de anos, a mais antiga evidência de um caso de câncer data de mais de um milhão de anos.

Continuar lendo “O mais velho dos cânceres já descoberto”