Seu santo tem pés de barro e você tem pedras na cabeça

Tá um arranca-rabo danado pelo que está acontecendo na edição deste ano no Big Brother. Globo colocou um monte de gente antenada, woke e com discurso anti-violência e anti-racismo. O resultado não poderia deixar de ser outro senão vermos o pior das pessoas. Sabem o que isso significa? Continuar lendo “Seu santo tem pés de barro e você tem pedras na cabeça”

Analisando séries e filmes de super-heróis XI

CW: A EBAL televisiva

Eu já falei que cresci lendo os gibis da EBAL. Uma época de ver gente com cueca por cima das calças combatendo o crime, lutando contra ETs malignos e qualquer coisa maléfica. Sem grandes elucubrações filosóficas. Ver gente com roupa coloridona ao estilo Jack Kirby. Uma coisa que a Marvel nunca conseguiu entregar foi uma série decente, ainda mais depois do o Feige chegou no comando. Feige ODEIA TV e muito a contragosto viu o sucesso de Agents of SHIELD. A série da Agente Carter foi excelente, mas foi cancelada. As pessoas não queriam vê-la, queriam o Capitão Pinguim, mas ele tinha entrado numa fria. Sim, é uma piada merda, mas é a MINHA piada merda, e é melhor do que qualquer uma que você faça. Continuar lendo “Analisando séries e filmes de super-heróis XI”

As idiotas programações de TV com um objetivo verdadeiro

Eu pus artigo sobre jornaleiros idiotas chamando leigos para dar palpites sobre coronavírus, pandemias, quarentenas etc. quando chamam especialistas, é apenas para seguir a máxima “tragédia vende”, sendo que informação fica em último lugar. Mas quem disse que veículos de informação servem para dar informação? Sim, eu sei que é chocante, mas veículos de informação não existem para informar, mas para vender seus produtos. Mas eu queria salientar outras coisas, que até caberiam no artigo anterior, mas eu tive um bom motivo*.

Continuar lendo “As idiotas programações de TV com um objetivo verdadeiro”

Laugh Track – A Ciência da Trilha de Risada

O riso é uma expressão praticamente humana. Nos faz nos sentir bem e demonstramos com isso que estamos apreciando determinada situação. Por isso foram criadas as piadas, peças de comédia e isso evoluiu para programas de rádio e TV. O problema é que nem sempre as pessoas achavam engraçado, o que era ruim para programas ao vivo. Com isso foi inventado o laugh track ou trilha de risada. Aquele disco chato de gente rindo, de forma a lhe convencer que um esquete de algum programa de humor sem graça é engraçado. Pior que realmente ajuda a fazer você achar engraçado.

Mas como a laugh track começou? Por que começou? Bem, vamos ao vídeo, pois tem ciência e tecnologia por detrás disso.

Continuar lendo “Laugh Track – A Ciência da Trilha de Risada”

O mundo da TV sem TV e a modernidade voltando a antigamente

No artigo que eu falei sobre como o Google age fazendo do YouTube uma terrinha em que ele dita as regras, faz você concordar, muda quando você não sabe, muda de novo e todas as desventuras que isso causa. Mencionei meio de passagem como as pessoas começaram a ver o YouTube de uma forma um tanto anárquica e, hoje, transformaram o YT num canal de TV a mais, mas não me aprofundei nisso.

Continuar lendo “O mundo da TV sem TV e a modernidade voltando a antigamente”

Coisas que aprendi com a TV

A televisão mudou muito nossa forma de entretenimento e cultura. O rádio é legal, mas a TV traz imagens, cores e aventura. Nem sempre foi assim, é verdade, mas hoje podemos ver imagens ao vivo de tudo o que está acontecendo ao redor do planeta, e em outros planetas também, levando em conta, é claro, que Einstein não deixa ser tão ao vivo assim ao se sair da Terra. De qualquer forma, aprendemos muitas coisas com a televisão, e eu compartilharei aqui tudo o que aprendi assistindo TV.

Continuar lendo “Coisas que aprendi com a TV”

Cientistas, gente esperta e o ódio que sofremos

Eu vi a postagem do Cardoso no Meio Bit sobre a série Scorpion. Ok, vá lá ler, depois você volta. Voltou? Ótimo! Não voltou? Como você está lendo isso aqui, então?

Essas séries, a bem da verdade, me incomodam um pouco. Não que eu seja criança e ache que estão retratando a realidade. Não estão, nunca irão. Mas algumas coisas me chamam muito a atenção, e é a forma estereotipada com exagero de certos personagens, e isso não é só esta série. Qualquer série em que disponha de alguém mais… espertinho.

Continuar lendo “Cientistas, gente esperta e o ódio que sofremos”