Esporos fofoqueiros contam o que andou rolando na Extinção do Triássico

Há 200 milhões de anos, deu muito ruim no planeta Terra (não que isso seja novidade ou exclusividade. Houve outras extinções em massa. Essa foi apenas mais uma num mundo perfeito, projetado por um desenhista inteligente). A Extinção do Triássico-Jurássico foi uma extinção das mais severas, intensas e das que abalaram geral, quase limando toda a vida na Terra.

Ainda não se tem certeza de como isso aconteceu. Das várias hipóteses, a que mais se aproxima do que ocorreu é a que defende que houve um festival de erupções vulcânicas em escala colossal, já que elas teriam liberado quantidades godzilianas de dióxido de carbono e dióxido de enxofre que teriam feito o favor de causar um aquecimento global sem precedentes. Só que novos dados fornecidos por esporos de samambaia sugerem que pode não ter sido só isso.

Continuar lendo “Esporos fofoqueiros contam o que andou rolando na Extinção do Triássico”

Quando uma planta faz seu lanchinho

<img src="https://ceticismo.net/wp-content/uploads/2019/planta-carnivora.jpg&quot;

Plantas formam um reino tão interessante quanto o reino animalia. Às vezes, eu acho que plantas são muito mais interessantes, pela sua biologia, seu modo de vida e sua complexa bioquímica. Claro, a fotossíntese seria o que mais chama a atenção das pessoas e eu até copncordo, mas a forma como muitas delas lidam com a falta de matéria-prima para sintetizar sua alimentação também é fascinante. Sim, eu estou falando delas: as plantas carnívoras.

Quando falamos de plantas carnívoras, a primeira que nos vem à mente é a chamada “vênus papa-moscas”, da espécie Dionaea muscipula. Ela captura, aprisiona e digere insetos e pequenos aracnídeos). O vídeo a seguir é um timelapse mostrando um pouco de uma vênus papa-moscas.

Continuar lendo “Quando uma planta faz seu lanchinho”

Natureza Ética: Planta carnívora não livra a cara nem de anfíbios

A Natureza é boa e ética. Só esqueceram de falar isso para a Natureza, principalmente as plantas. Plantas têm sua parcela de malvadeza, ainda mais aquelas que acham que vegans são retardados, que seriam quase todas, mas nem toda planta consegue traçar uma bela peça de carne (como salamandras, por exemplo).

Um exemplo são plantas das famílias Nepenthaceae e Sarraceniaceae, que são daquelas plantas carnívoras que riam armadilhas de queda, em que o animal escorrega para um fosso na planta e fica preso lá, sem poder sair, enquanto a plantinha queridinha digere o animal ainda vivo.

Continuar lendo “Natureza Ética: Planta carnívora não livra a cara nem de anfíbios”

Segundo millenials, plantinhas fofas têm os mesmos direitos que pessoas. SOLTA ESTA BATATA FRITA!

Todos os seres vivos são iguais? Um dos meus questionamentos aos vegans (que quando confrontados com isso me xingam ao invés de responder) é por que defendem tanto animaizinhos bonitinhos, mas nos feios pode passar o certo. Alegam, entre xingamentos, que insetão feio causa doença, mas qualquer animal pode causar. Se bem que teve gente louca defendendo mosquitos causadores da dengue. Esses são mais honestos com suas posições, mas não deixam de ser imbecis.

Outra questão é: por que defender animais e não todos os seres vivos, plantas inclusive? Bem, é que um bando de energúmenos da Universidade de Sidney propõe: leis que garantam os mesmos direitos de seres humanos estendidos a animais e plantas.

Continuar lendo “Segundo millenials, plantinhas fofas têm os mesmos direitos que pessoas. SOLTA ESTA BATATA FRITA!”

Sais de nitrato estão detonando com florestas

Eu comecei a ler um artigo sobre poluição de nitrogênio. Achei bem esquisito numa atmosfera em que 70% é nitrogênio e trata-se de um gás inerte. Como assim poluição por nitrogênio? Tão absurdo quanto isso só filme ruim que dizia que tinha um ser vivo que respirava nitrogênio e mataria todo mundo no planeta por asfixia (o fato de pessoas respirarem oxigênio pareceu irrelevante). Ao ler a publicação, soltei um palavrão, pois o que o jornaleiro responsável pelo Press Release do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos estava falando é sobre poluição por nitratos e não nitrogênio.

Morra, jornaleiro maldito!

Continuar lendo “Sais de nitrato estão detonando com florestas”

Descobertos os fósseis mais antigos de flores

Estamos acostumados a ver plantas com flores e sem flores. Normalmente, as pessoas acham que é tudo planta e planta é tudo igual, mas isso está longe da verdade. A diferença entre uma planta sem flores e uma planta com flores são vários milhões de anos de evolução biológica. Flores e frutos foram tão importantes que criou-se uma denominação exclusiva para essas plantas: angiospermas. Até agora, achava-se que plantas com flores só apareceram há coisa de 130 milhões de anos, no período Cretáceo, mas um fóssil encontrado mostra que já existiam flores muito antes disso.

Continuar lendo “Descobertos os fósseis mais antigos de flores”

Animais se amarram numa fruta colorida


Tem uma fruta vermelha nesta foto

Plantas passam por processo de Evoução por Seleção Natural também. Todo mundo sabe disso (exceto os que acham que isso é absurdo, apesar de acreditarem em cobras falantes). Como todo ser vivo, plantas têm mecanismos para continuar a se alastrar pelo planeta. Para tanto, precisa dispersar sementes. As mais bem sucedidas arrumaram um modo bem eficiente: alguém comer suas sementes e “descomê-las” pelo caminho. Mas como comer essas sementes? As mais bem sucedidas entre as mais bem sucedidas arrumaram um embrulho todo especial: frutos. E qualquer embaladgem precisa ser atrativa aos seus consumidores. Por isso que as de cores mais fortes conseguem atrair mais animais frugívoros.

Essa ideia é bem amarrada e explica muita coisa. Mas ela só se sustentaria se os outros animais enxergassem da mesma maneira que nós, o que sabemos não ser o caso. Então, por que diabos os frutos são tão coloridos do jeito que são?

Continuar lendo “Animais se amarram numa fruta colorida”

Pesquisa brasileira mostra como melhorar eficiência no cultivo de soja

Por muito tempo, o Brasil liderou a produção e exportação mundial de soja, mas nossa incompetência endêmica nos fez perder o posto de maior exportador de soja do mundo para os Estados Unidos. Da produção mundial de pouco mais de 351 milhões de toneladas de soja, com uma área cultivada e aproximadamente 121 milhões de hectares, os EUA produzem 117,2 milhões de toneladas do referido grão em uma área de 33,48 milhões de hectares. Já o Brasil produz 113,92 milhões de toneladas de soja em uma área de 33,89 milhões de hectares, tendo uma eficiência de plantio inferior ao dos EUA, que não parece muito, mas quando jogamos na tabela em termos de milhares de hectares (1 hectare é um hectômetro quadrado ou 10 mil m2). Fonte

A soja é importantíssima e estratégica, já que é um alimento rico em proteínas, podendo ser usada para consumo humano e de animais. O problema é proteínas são moléculas que precisam de boas quantidades de nitrogênio para que sejam estabelecidas ligações peptídicas; isso acarreta que seu cultivo demanda alta concentração de nitrogênio no solo. Como podemos melhorar a eficiência no cultivo? Ora, tendo mais nitrogênio no solo, é claro. Fácil, não? Como fixaremos mais nitrogênio?

Continuar lendo “Pesquisa brasileira mostra como melhorar eficiência no cultivo de soja”

Sistemas fotossintetizantes são mais velhos do que se imaginava

Você lê Ceticismo.net. Você é informado e sabe sobre como o oxigênio surgiu. Se passou a acompanhar hoje, vou dar uma dica: fui há muito, muito tempo, com o que se tornaria mais tarde as algas azuis, ou cianofíceas. Não, nada de plantas ainda. Elas só apareceriam muito milhões de anos depois. De qualquer forma, sabia-se mais ou menos quando começou a haver fotossíntese, mas isso precisará ser reescrito em breve, já que uma nova pesquisa aponta que já havia organismos fotossintetizantes há 3,6 bilhões de anos, mais ou menos um bilhão de anos antes do que se acreditava até agora.

Continuar lendo “Sistemas fotossintetizantes são mais velhos do que se imaginava”

Aroeira é ótima contra bactérias malvadonas

A aroeira é uma árvore bem conhecida no Brasil, sendo algumas espécies conhecidas como aroeira-pimenteira ou Pimenteira do Peru (o país), mas tem muito pouco a ver com as pimentas que colocamos no acarajé bem quente e que ferra com a vida dos desavisados. Ela é rica em tanino, empregada nos curtumes, além de ser usada como forragem, fermentação para se fazer vinagre e bebidas alcoólicas e usada para a limpeza de pele, além de possuir ação bactericida.

Aliás, é exatamente esse o motivo da pesquisa que vou contar pra vocês. Senta aí que titio vai falar de uma espécie invasora.

Continuar lendo “Aroeira é ótima contra bactérias malvadonas”