Simpatias, conjurações e feitiços populares

O bom de seguir algumas pessoas é o material que proporcionam. Tem muito material para ser usado em postagens, só que minha preguiça atrapalha. De qualquer forma, ao ver isso eu TINHA que escrever. Ainda mais que irei sair daqui a pouco, e muito provavelmente irei esquecer de postar, ou a preguiça vencerá de novo.

Anyway, eu vi uma postagem da Bajoriana no Twitter e pensei “hummm, é mesmo”. E tem a ver com simpatias.

Continuar lendo “Simpatias, conjurações e feitiços populares”

O mistério do Quadrado Sator numa caveira

Nós temos uma relação um tanto quanto estranha com os nossos próprios destinos. Sabemos que vamos morrer um dia, mas esperamos retardar este momento. Há os que se cansam e encurtam o tempo de vida. Olhando para o horizonte, me pergunto quando começamos com isso. Muitos animais, como elefantes, têm ciência da própria mortalidade. Muitos animais têm rituais fúnebres, se afastam quando do seu momento final, se reúnem e mostram luto.

Alguns mantém um memento mori, uma lembrança de nossa mortalidade, com alguma inscrição de proteção, como um quadrado mágico. Continuar lendo “O mistério do Quadrado Sator numa caveira”

Cidade indiana resolve buraqueira nas ruas por meio de feitiçaria

Todo grande país tem problemas com as vias. Asfaltar não é o suficiente, já que fatalmente ele vai criar (meio que por mágica, saca?) alguns buracos. Deve ser algum feitiço, sei lá. A gente não vê isso nas Autobahns alemãs. Motivo? O santo deles deve ser muito forte. A Índia também sofre com esses problemas, mas os santos lá são meio indolentes e precisam receber uma forcinha. E que forcinha melhor a não ser macumba hindu?

Continuar lendo “Cidade indiana resolve buraqueira nas ruas por meio de feitiçaria”

No Congo, mulheres são mortas com acusação de bruxaria, mas por sorte não é o Brasil

A República Democrática do Congo é um lugar legal, principalmente quando você está a milhares de quilômetros de lá. Eu já parto do ponto que um país que tem “Democrático” e/ou “Popular” no nome não é nem uma coisa nem outra.

O Congo só não é pior que o Brasil, notadamente o pior lugar para ser mulher. O fato de um bando de retardados conguianos serem tão atrasados ao ponto de matar mulheres sob acusação de bruxaria é irrelevante.

Continuar lendo “No Congo, mulheres são mortas com acusação de bruxaria, mas por sorte não é o Brasil”

Pesquisadores puros de coração acham que chifres de rinoceronte sintéticos acabarão com a caça desses animais

Existem ideias burras com má intenção, como invadir a Rússia no Inverno ou tentar assaltar um colégio em que uma das mães é policial militar de operações especiais, e existem as ideias burras com boa intenção, como responder com sinceridade quando a esposa pergunta se ela está gorda. Foi nisso que eu pensei quando vi uma pesquisa. Esta pesquisa se baseia no fato da imensa demanda por chifres de rinoceronte para fazer pajelança para resolver problemas de impotência. Dica: não resolve e ainda leva à caça furtiva de rinocerontes, causando sua extinção.

Então, qual o problema da pesquisa? Bem, pesquisadores descobriram um meio de fazer chifre de rinoceronte falso, de forma a inundar o mercado com o produto e, por conseguinte, diminuir o preço. Tem horas que pesquisadores deveriam dar um rolé de vez em quando no mundo real, fora do laboratório, para ter ciênciapun intented das coisas.

Dando chifrada em ideias idiotas, esta é a sua SEXTA INSANA!

Continuar lendo “Pesquisadores puros de coração acham que chifres de rinoceronte sintéticos acabarão com a caça desses animais”

Zé Mané gasta uma grana preta com macumba para ganhar dinheiro algum dia

A trapaça começou no mundo quando dois caras cismaram que iam se dar bem, mas só um deles conseguiu. Deram um upgrade e a sentença virou “quando o primeiro esperto encontrou o primeiro otário, nasceu a primeira religião”. Quem deve estar sendo lembrado disso a todo instante é um Zé Ruela de Maringá, no Paraná. Mesmo sendo um comerciante, ele achou que estava fazendo um bom negócio ao contratar uma mãe de santo para fazer ele ficar rico, ter prosperidade etc etc

Sim, aconteceu exatamente isso que você está pensando.

Continuar lendo “Zé Mané gasta uma grana preta com macumba para ganhar dinheiro algum dia”

Nigeriano entra na porrada por transformar amiguinho numa cabra

Eu adoro a África (mentira. Eu não quero ir pra lá, e você também não. Você quer é ir pra Nova York que eu sei!). A África é um continente todo zuado; uma espécie de Brasil em níveis continentais (até o formatinho é parecido!). Lá ainda temos tribos vivendo como no tempo das cavernas (não muito diferente de nossos índios daqui), em que alguns chefes governam com mão de ferro e bem gostam das maravilhas e tecnologia ocidentais (como nossos índios daqui), vivendo muito bem, obrigado, e a grande maioria da população tribal ainda vive como seus antepassados viviam há milênios (como nossos índios daqui), ainda mantendo crenças tolas e rudes, como… adivinhe!

Enquanto na Gâmbia o governo persegue bruxas, na Nigéria um zé ruela foi pego de porrada porque transformou um outro sujeito em uma cabra. Dá gosto de morar num lugar civilizado assim!

Continuar lendo “Nigeriano entra na porrada por transformar amiguinho numa cabra”

Gâmbia descobre a cura da AIDS mas a máfia de branco se recusa a aceitar (ou não)

República da Gâmbia é um pseudopaís localizado na região leste da África. Esta tristeza tem pouco mais de 2 milhões de habitantes, mais ou menos a população do bairro de Jacarepaguá no Rio de Janeiro, com uma densidade populacional de 140 hab/km² o que não é tão ruim assim, pois o pessoal meio que fica longe de você. Seu PIB é de ridículos 1,3 bilhão de dólares e lá na rabeira do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Aquela porqueira não produz nada que preste a não ser ditadores, como acontece em 99% da África e se você nem tem o direito de achar ruim, pois sequer sabe localizar num mapa mudo e muito menos o nome da capital (é Banjul, mas eu tive que consultar).

Em 1765, a Gâmbia tornou-se colônia britânica, só se tornando independente do Reino Unido em 1965, tendo 3 “presidentes”. Um governou por 20 anos, o segundo foi eleito para em seguida ser derrubado num golpe de Estado por Yahya Jammeh, que também ficou no cargo por 20 anos, tendo saído ano passado. Jammeh fez muitas coisas dignas de nota, e nenhuma delas pode ser considerada legalzinha, como obrigar milhares de pessoas portadoras do HIV a se submeterem a tratamentos com uma mistura de ervas que ele mesmo inventou.

Continuar lendo “Gâmbia descobre a cura da AIDS mas a máfia de branco se recusa a aceitar (ou não)”

As Simpatias de Ano Novo

Você espera que o ano que chega seja melhor que o ano que passou. Isso TODOS OS ANOS. Toda vez a reclamação generalizada mimimi esse ano foi uma bvosta´, ficando eu me perguntando como assim a vida dessa gente nunca melhora? Bem, o que se faz, então? Já que a coisa não anda, não custa contar com os poderes do oculto, magias simples que as pessoas fingem que não é que seja magia, são apenas simpatias. Você conhece várias. Todo mundo conhece. Que tal falarmos sobre elas?

Continuar lendo “As Simpatias de Ano Novo”

Menina é torturada por acusação de bruxaria

Papua Nova Guiné é um paiseco da Oceania, tendo cerca de 10 vezes o tamanho do estado do Reio de Janeiro, com uma população inferior ao da cidade do Rio. Claro, acabou com a maior parte de gente tosca. Pelo menos, no Rio, pessoal não sai matando os outros por causa de rituais tribais. Saem matando os outros por outros motivos.

O lugar é tão tosco e atrasado, tipo a Tanzânia, que existe uma ONG chamada Fundação Tribal de Papua Nova Guiné que ajuda povos indígenas, principalmente mulheres e crianças acusadas de feitiçaria. Continuar lendo “Menina é torturada por acusação de bruxaria”