Lagartos mostram Efeito Baldwin no deserto

Aprendemos que Evolução não se dá em indivíduos apenas, mas em populações. Aprendemos também que é um processo lento, mas de vez em quando ela nos prega peças e acontece mais rápido do que poderíamos supor, já que o mundo não é como queremos que seja, e as “leis científicas” são uma aproximação. Ou, como eu costumo dizer, “É regra que toda regra tem exceção”. Outro exemplo poderia ser o Lamarckismo, cujo princípio é a lei do Uso e Desuso. Você sabe, aquele lance das girafas serem pescoçudas para poderem comer as folhas das árvores mais altas por motivo sei lá, já que poderiam comer as folhas mais baixas.

Só que ainda temos um pequeno detalhinho: o Efeito Baldwin.

Continuar lendo “Lagartos mostram Efeito Baldwin no deserto”

Mochila Mágica Harrypoteriana promete arrumar água direto de Nárnia ou algo assim

Eu adoro fórmulas mágicas. Tipo. O Gandalf chegando e dizendo SOU SERVIDOR DO FOGO SECRETO, GUARDIÃO DA CHAMA DE ANOR. YOU SHALL NOT PASS! Daí, a bagaça explode em chamas, a ponte desmorona e o Balrog cai no abismo levando o Gandalf junto, mas faz parte). Já Harry Potter é um latim tosco que a Rowling inventou saindo ABRACADABRA, digo, AVADA KEDAVRA. Ah, sim, tem as magias vagabundas que o pessoal com o poder do Místico Poder Ascencional do 3D Studio é capaz de fazer. Não raro, fazer chover sem ter água.

Sim, mais um apetrecho mágico parar tirar leite de pedra do deserto.

Continuar lendo “Mochila Mágica Harrypoteriana promete arrumar água direto de Nárnia ou algo assim”

Os coletores de água de chuva do Irã

O Irã é um lugar bem quentinho. Aliás, o deserto Dasht-e Lut, o lugar mais quente da Terra fica lá. Há um sério problema de água por aquelas bandas, então, é preciso arrumar um jeito de tirar água de algum lugar e armazená-la; o problema é que o índice pluviométrico médio do Irã é muito, muito pouco. Daí, como resolver o problema da seca, em um lugar com índice pluviométrico de 30 mm ao ano?

Bem, os geniais designers conseguiram de novo! Sua ideia magnífica?Colocando coletores de água de chuva, é claro! Faz muito sentido, certo? Pois é. Sim, temos vídeo sobre isso!

Continuar lendo “Os coletores de água de chuva do Irã”

Escola diz para alunos levarem a própria água e urinar em casa

O problema nem é chegar na idade adulta. É quando adquirirmos a maestria do cinismo. Eu, de minha parte, já desencanei desse negócio de respeitar as pessoas, principalmente o amor próprio e a dignidade delas. Respeitar necessidades básicas é algo que não existe mais no vocabulário das instituições e colégios não estão excluídos, muitíssimo pelo contrário.

Por causa da crise hídrica (aquela que há uns 20 anos avisaram que ia acontecer), uma escola paulistana determinou que alunos tragam sua própria água de casa, e nada de fazer xixi lá. Nº 2, só o numeral, e na aula de Matemática.

Continuar lendo “Escola diz para alunos levarem a própria água e urinar em casa”

O deserto que alimenta nossas florestas

Um dos erros mais comuns é achar que plantas se alimentam de matéria orgânica. Não se alimentam. Ela não "come" húmus e muito menos cocô. Quem deve comer cocô é quem ainda insiste que plantas se alimentam assim. Elas gostam mesmo é de material inorgânico, oriundo da decomposição da matéria orgânica no solo, por agentes decompositores. Se planta gostasse de matéria orgânica, ela ficaria feliz com um copo de plástico.

Já imaginou do que a Floresta Amazônica se alimenta? Por mais bizarro que possa parecer, não é da matéria orgânica em decomposição trazida pelo rio Solimões (também é). Muito da sobrevivência da Floresta Amazônica vem do Saara!

Continuar lendo “O deserto que alimenta nossas florestas”

WarkaWater. Tá mais para WarkaFuck is that?

Não há coisa pior que a vontade de querer acreditar em algo. A vontade de querer que o mundo tenha todos os problemas resolvidos de maneira mágica, sem ter que levantar a bunda do sofá, é tão grande que se aplaude qualquer besteira, por mais insana que possa parecer.

O caso em questão é uma tal de WarkaWater, uma tosqueira sem-noção, que o pessoal acha que vai livrar o mundo das cáries e trazer água para a Etiópia. Pena que o conhecimento científico de nível fundamental demonstra o quanto isto é imbecil. Nem todo mundo teve a graça de ser meu aluno.

Continuar lendo “WarkaWater. Tá mais para WarkaFuck is that?”

ALMA do deserto, Olhos para o céu

Atacama, no Chile, é um lugar desolado. É considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo, onde em algumas partes não chove há centenas de anos e a baixíssima umidade torna-o não só um lugar completamente inóspito, como o paraíso dos astrônomos. Um dos maiores pesadelos para alguém que vasculha o firmamento, em busca de corpos celestes é a umidade, que causa distorções ópticas nas imagens trazidas pelos caríssimos telescópios. Dessa forma, cientistas preferem um lugar onde haja pouca umidade atmosférica e o Atacama é um verdadeiro Nirvana para isso.

O ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) é um telescópio móvel, formado por três antenas que podem ser rearranjadas conforme a necessidade, localizado a 5 mil metros de altitude, na região norte do Chile. Assim, conforme a necessidade, os técnicos fazem os telescópios movimentarem-se, de modo a vasculhar com detalhes uma curta região do espaço (curta em sentido astronômico, obviamente), ou com uma grande abertura, captando imagens de vastas áreas (e quando eu falo “vasto”, é vasto MESMO!). Continuar lendo “ALMA do deserto, Olhos para o céu”