Sexta com vento pela janela

Estamos na sexta-feira. Era para eu ter posto algum artigo. Eu ia, mas não achei nada que valesse muito a pena nos 5 minutos de pesquisa preguiçosa que eu fiz. Estou me espreguiçando e não vai ter sextação hoje. A não ser que sextar seja também curtir um fim de noite quente, mas não muito, com uma brisa agradável vinda pela janela.

Continuar lendo “Sexta com vento pela janela”

Nada como um bom recesso…

Ah, hello! Sim, dois dias sem postar. Motivo? Não quis, estava com preguiça. Isso aliado que estou com um recesso de duas semanas e resolvi descansar. Depois de perceber que Google anda sacaneando as respostas quando eu entro com trechos inteiros de artigos do meu blog ou mesmo título, muitas vezes colocando “ceticismo.net” depois ou mesmo “site:ceticismo.net”,  que tem bombardeado minhas visitações, ah, um tempinho pra gente é muito bom, não?

Continuar lendo “Nada como um bom recesso…”

Artigos da semana 49

Nada como mais uma semana. esta é uma frase óptima, que na verdade não significa nada, mas é um bom início de postagem. bem, eu acho que é, e não viu abrir mão dela.  Na relação de postagens da semana tem artigo falando sobre sondas em Marte, reportagens importantes, blogs que iam dominar o mundo entre outras coisas. Mete o louco aí e divirta-se!

Continuar lendo “Artigos da semana 49”

Darwin selecionou os seus, inclusive blogs

Eu não sou de ver canais brasileiros no YouTube. Na verdade, há um mínimo que eu ainda assisto, mas mínimo do mínimo. No máximo, o canal da Ned. ainda assim, o Tubo insiste em me mostrar vídeos que eu vivo colocando como NÃO TENHO INTERESSE [NESTA MERDA]. Um deles era sobre como temos que discutir sobre como ganhar dinheiro com o YouTube com constantes mudanças de políticas.

Sim, 2021 e AINDA estão discutindo isso.

Continuar lendo “Darwin selecionou os seus, inclusive blogs”

Cadê os blogrolls?

Eu não tenho blogrolls. Onde estão meus blogrolls? Se você lê blog há um tempinho já sabe do que estou falando. Se não sabe, eu explico: Todos os blogs (descansem em paz) costumavam ter uma listinha de blogs que recomendavam, normalmente, com temas afins ao seu próprio blog. Os blogs morreram embora alguns tenham resistido. Continuar lendo “Cadê os blogrolls?”

Pela volta dos blogs!

Sério, eu me cansei disso. Não tenho mais nada pra ler na Internet. Os blogs morreram graças à sua usura de só quererem ganhar, ganhar e ganhar. Nada de errado com isso, mas o resultado foi a preocupação com o ad-sense e não conteúdo. O que vai ofender o google? O que não vai ofender? Ain, não posso perder a monetização. Socorro, perdi a monetização.

Desistiram dos blogs, mas quem desistiu foram os blogueiros, não os leitores.

Continuar lendo “Pela volta dos blogs!”

Reflexões sabadinas sobre os ex-filósofos da Rede

Eu estava procurando uma informação ontem que eu sabia estar num texto antigo. Acabei esbarrando num outro texto nada a ver, o que me chamou a atenção e eu fiquei lendo, acabando por pular de link em link. Antigamente, chamávamos isso de “navegar pela internet”, começando a ler sobre a Guerra na Bósnia e indo parar em receita de salada de feijão fradinho. Atualmente, na era dos apps, você entra no que quer e não vai pra mais lugar nenhum. O que prometia ser dinâmico virou apenas um lugar-comum com viés de confirmação. Quando não se gosta de um conteúdo, para por ali, ao invés de saber mais. Vídeos no YouTube e podcasts cimentaram isso, já que ninguém lê as descrições, o que por sinal são difíceis de serem vistas se for consumir o conteúdo pelo celular, mas o que eu quero abordar não é isso.

Continuar lendo “Reflexões sabadinas sobre os ex-filósofos da Rede”

E o que ia acontecer aconteceu

Hoje é um dia importante na minha vida. Não sei se é tanto para vocês, mas pra mim é. É um dia que em meu coração ficou como um marco, um divisor de águas. Quando antes era tudo trevas, a iluminação chegou e vimos que nossas vidas, apesar de tantas mazelas, tantas desgraças, tantas desavenças, tanto disse-me-disse, tanto governo que mal se importa com o que é realmente importante, no dia de hoje ficou marcado como um ponto que a linha temporal mudou e tudo se tornou mais claro, mas lindo, mas perfeito.

De tudo e por tudo, com tantos xingamentos e ameaças, com tanta gente vindo me xingar pelo modo como me posiciono (ameaças sérias; de morte, inclusive!), não há mais como voltar. É isso aí, é definitivo. Só tenho que dizer que as crônicas estavam erradas e o inexorável aconteceu.

Continuar lendo “E o que ia acontecer aconteceu”