Sim, sua língua pode cheirar os outros, mas não recomendo

Chegue perto de um espelho. Tá vendo esta nareba aí? Pois é, você sabe que esse seu narigão só serve pra cheirar, não é mesmo, vovozinha? Não só isso, é para respirar também, mas o segundo acarreta o primeiro, já que, ao inspirar, substâncias químicas adentram pelas narinas e receptores de aromas captam e mandam a informação para o cérebro. Achou maneiro? Pois e se eu lhe disser que você tem receptores olfativos funcionais também presentes nas células gustativas na sua língua? Sim, isso mesmo! Você pode sentir cheiro com a língua!

O dr. Mehmet Hakan Ozdener – além de ter o nome de mago negro do castelo perdido nas escarpadas montanhas amaldiçoadas próximas a Mordor – é pesquisador sênior do Centro de Sensores Químicos Monell, especializado em Biologia Celular. Ele está bem interessado no que tem dentro de você. Bem dentro!

Sua pesquisa procura explicar como as moléculas de odor modulam a percepção do paladar. Para qe ele iria querer saber disso, você me perguntará, para levar ao desenvolvimento de modificadores de sabor baseados em odor que podem ajudar a combater o excesso de ingestão de sal, açúcar e gordura associado a doenças relacionadas à dieta, como obesidade e diabetes, responderei eu.

Os sistemas olfativos e de sabor periféricos nos em mamíferos são sistemas sensoriais separados e independentes. No atual modelo de quimiossensibilização, os receptores gustativos e olfativos são famílias geneticamente divergentes expressas em locais anatomicamente distintos que projetam disparar alvos a jusante. Embora as informações dos dois sistemas sensoriais se fundam para formar a percepção do sabor, pensa-se que a primeira conversa cruzada ocorra centralmente, no córtex insular.

VIRGEM MÃE DE DEUS!!

Pelo que se sabia até agora, captar aromas e sentir sabor vinha de dois processos independentes e não-relacionados, tendo sua ação por meio de reações químicas. A substância excita (ÔPA!) o captador de cheiros e manda a indormação pro seu cérebro. Show! As papilas gustatvas, captam o sabor e mandam pro seu cérebro também, e ele que se vire associando uma coisa à outra.

Aliás, um adendo:esse negócio de diferentes regiões da língua especializados por captar diferentes dsabores é mito, ok?

A pequisa do Mago Negro d oCastelo blábláblá diz que sim e não. Foram encontradas estruturas de captação de aromas na lígua. Tecnicamente, você poderia sentir cheiros com ela, oque não seria nenhum absurdo, pois é assim que cobras sentem cheiros e, por isso, ela fica colocando o linguão pra fora.

Na pesquisa do dr. Ozdener, foi relatado quais os receptores olfativos são funcionalmente expressos em papilas gustativas, além de descrever a expressão de receptores olfativos nas papilas gustativas de camundongos transgênicos expressando proteína verde fluorescente e, usando imunocitoquímica e experimentos de reação em cadeia da polimerase quantitativa em tempo real

Não, péra. Deixe eu explicar!

Ozdener e seu pessoal descobriram que as células do paladar humano contêm muitas moléculas-chave conhecidas por estarem presentes em receptores olfativos. Eles ainda empregaram um método conhecido como imagem de cálcio para mostrar que as células gustativas cultivadas respondem às moléculas de odor de uma maneira similar às células receptoras olfativas. O Mago Negro mostrou, dessa forma, como esses receptores eram ativados por sistemas químicos, e para ter certeza disso engenheirou uns camundonguinhos para que apresentassem uma proteína que brilha no escuro e esta iluminasse a região onde há receptores de aromas. A língua do bicho ficou lá brilhando mais do que quando você deu glitter pro seu priminho bebere e ele ficou com a lçíngua brilhosa enquanto você apanha merecidamente pela traquinagem, rindo feito um condenado, pois valeu a pena.

Se você nunca deu glitter para seu priminho beber, bem, não é que eu recomende, mas seria

Por enquanto é só isso, mas, claro, a pesquisa continua. Agora, alguns estudos estão explorando como as moléculas de odor modificam as respostas das células gustativas e, em última análise, a percepção do gosto humano. Você irá se lembrar disso quando não quiser beber aquele remédio ruim que lhe derem e institivamente tampar o nariz. Pode até funcionar, mas agora você sabe que a língua também sente cheiro. Legal, né?

Mas não va sair lambendo os outros alegando que é só para saber o quanto estão perfumados.

A pesquisa foi publicada no periódico Chemical Senses

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s