A música para uma deusa, um satélite e uma missão

A NASA pretende voltar à Lua, carregando astronautas consigo. É o Projeto Artemis, a irmã de Apolo, a deusa caçadora, a que vive na Lua. O plano está em levar astronautas (homens, mulheres, mas não javeiros, porque só querem levar gente) na Lua até 2024. Daí, os estagiários se juntaram e celebraram a missão com música. Diferente da FIOCRUZ que faz RAP tosco falando mal de organismo geneticamente modificado, o vídeo ficou legal, inspirado numa música da Ariana Grande. Aumente o som!

Continuar lendo “A música para uma deusa, um satélite e uma missão”

Uma sinfonia impactante da Lua

Aristóteles, grande sábio da Antiguidade, disse que a Lua era maciça, sólida e totalmente perfeita. Ela não tinha nenhum defeito, totalmente lisinha como a bunda de um bebê. Claro, o tosco de Estagira tinha problemas em olhar pra cima e olhar pra Lua, que mesmo a olho nu dá pra ver que ela não é lisinha, mas estamos falando de um sujeito que foi casado duas vezes e achava que mulheres tinham menos dentes que homens. O mundo sopralunar era perfeito, lindo, maravilhoso. Uma pena que Aristóteles fosse tão ignorante ao ponto de escrever um mundaréu de bobagens, enquanto Aristarco de Samos já tinha dito que a Lua tinha crateras e girava ao redor da Terra, assim como a Terra girava ao redor do Sol. Aristarco não tinha o reconhecimento de Aristóteles e seus escritos padeceram ignorados por séculos.

Só com Galileu é que tivemos certeza da imperfeição da Lua, com seus vales, “mares”, montanhas e crateras. Muitas dessas crateras possuem milhões de anos, outras, algumas centenas, mas delas, 111 possuem idade de cerca de 1 bilhão de anos.

Continuar lendo “Uma sinfonia impactante da Lua”

Um estetoscópio no cérebro para saber o que você tem na cabeça

No tempo da TV ao vivo, era um problema sério. Tudo tinha que ser resolvido na hora. Até mesmo as novelas eram ao vivo. Conta a Glória Menezes que ela tinha que dizer a fala dela olhando para a câmera, e a câmera ia se afastando. Era uma novela de época, e a Glória com aquele vestidão de direito. O problema é que o suporte da câmera engatou na armação do vestidão e à medida que a câmera ia recuando, a Glória Menezes teve que andar junto, ou ia cair no chão. E era AO VIVO! Já o finado ator Jaime Barcelos, durante um Tele Teatro (ao vivo, claro), numa cena que ele tinha que cair, o fez de mau jeito caiu e se machucou, quebrando a perna. Tiveram que retirá-lo de lá imediatamente. Então, pegaram um mané, o vestiram de médico, ele entrou, colocou o estetoscópio na cabeça do Jaime e vaticinou: “ele morreu, senhora”, removendo o ator dali e levando-o pro hospital.

Imagine se realmente desse para ouvir o que você tem dentro da cabeça. Sim, é bizarro o pensamento que podermos ouvir o que se passa lá dentro, mas nem é bem isso… quer dizer, até é, mas não no sentido de ouvir o que você anda pensando (nem queremos nos escandalizar tanto). Pesquisadores estão estudando as potencialidades de um estetoscópio cerebral. Ele não é como um estetoscópio per se, mas sim um algoritmo que traduz a atividade elétrica do cérebro em sons. E esses sons são traduzidos em ondas numa tela de comutador e podemos analisá-las. Mas calma, o artigo ainda não acabou!

Continuar lendo “Um estetoscópio no cérebro para saber o que você tem na cabeça”

Stephen Hawking canta Monty Python

Tem muitas coisas sem-noção no mundo. Algumas delas são engraçadas. É um "sem-noção do bem". Nada é mais sem-noção do bem que o Monty Python, o grupo humorístico inglês. Sendo assim, convidaram o Stephen Hawking para gravar uma das suas musicas. Claro, o físico na cadeira mais badass de todos os tempos (estou falando do lugar de Isaac Newton,mas a cadeira de rodas dele também é maneiríssima!) topou na hora. E o vídeo com a música Galaxy Song segue a seguir, seguindo minhas desculpas por um pleonasmo horroroso!

Ouça o seguinte (letra embaixo)

Continuar lendo “Stephen Hawking canta Monty Python”

Ciência, música e a beleza de combiná-las

Há duas coisas fundamentais que nos separam dos outros animais. Produzir ciência e fazer música. Pássaros não fazem música. Estão apenas chamando as fêmeas de "gostosas", enquanto puxam briga com outros pássaros. Aprendemos a criar melodias diversas, aprendemos a usar a Ciência. Aprendemos a misturar as duas coisas, e o resultado é fantástico.

Nigel Stanford achou que seria o máximo usar a Física das ondas mecânicas, intimamente ligada aos sons, para produzir arte, usando música. É um efeito fisiception, no qual ondas sonoras formam ondas mecânicas, gerando esculturas. E como tudo fica melhor com bobinas de Tesla, o que se pode dizer? Veja o vídeo!

Continuar lendo “Ciência, música e a beleza de combiná-las”

Os “milagres” que vemos, mas não vemos

Há muitos milagres que vemos, mas não vemos. As estrelas do céu, os grãos de areia, como a vida é. São coisas fantásticas que têm explicação, e estas explicações são tão bonitas quanto o fato em si. Mas é tão legal ficar sentado numa praia ouvindo o ruído da arrebentação, sob um céu estrelado, com a Lua em foice parada no alto, que a gente não precisa saber do movimento das marés sob o efeito do vento e da atração gravitacional da Lua, com o basso brilho frio das estrelas, que muitas delas sequer existem mais.

O vídeo a seguir nos mostra um pouco dessa fascinação e, claro, vai a letra junto.

Continuar lendo “Os “milagres” que vemos, mas não vemos”

Músicas infantis de ontem examinadas por pedagogos de hoje

Saiba, ó Príncipe, que nos anos que antecederam a subida dos Pedagogos ao Poder, e as águas engoliram o Ensino, houve uma era inimaginada. Neste tempo, mensagens sérias para crianças não seriam levadas como uma estocada ou violência moral. Não havia o ECA e Paulo Freire ainda perambulava pelos rincões, fazendo sua propagandola esquerdista. Era a época dos palhaços de circo, antes dos palhaços da política. E um deles era o Carequinha, nome artístico de George Savalla Gomes.

Mas estamos no mundo do politicamente correto. Como seria um dos maiores sucessos do carequinha, se examinados por uma pedagoga de hoje?

Continuar lendo “Músicas infantis de ontem examinadas por pedagogos de hoje”

Bom Dia, Lua!

Marian Call é uma cantora nascida em 1982, morando no Alaska. Bem, foi o que a Wkipédia me falou, e tudo oque tá na Wikipédia é verdade. Ela tem site, entretanto. Ela gravou um vídeo com a ajuda do pessoal da Alaska Robotics e do Space Expo. É um vídeo bonito, ela canta bem e só tomei conhecimento dele por causa do Phil Plait.

Vejam o vídeo a seguir. Se não se apaixonarem pelas imagens, sempre tem a ruiva. ;)

Continuar lendo “Bom Dia, Lua!”

Happy Darwin Day!

Dia de Darwin (Darwin Day) é uma celebração global da Ciência realizada no dia 12 de fevereiro (hoje!), o aniversário de nascimento do naturalista Charles Darwin. Muitos sites e fundações de pesquisa comemoram o Dia de Tio Darwin.

A data de hoje é uma oportunidade para as pessoas e organizações de todo o mundo para celebrar as nossas semelhanças, em que cada molécula, cada átomo, cada elemento teve origem há muito, muito tempo; e no mesmo lugar.

Continuar lendo “Happy Darwin Day!”

A Tabela Periódica do Rock

Nós, seres perfeitos temos nossos mimos. Qualquer químico que se preze tem mais de uma tabela periódica. A bem da verdade, eu tenho uma grande, pendurada na parede do quarto, a qual eu mesmo fiz quando estava na faculdade. Tudo bem eu permito que vocês sintam inveja. Como também sou admirador de música, não pude me furtar de trazer até vocês uma fantástica tabela periódica. Nela, estão listados os maiores elementos do Rock e do Metal de todos os tempos. Santo Ozzy abençoe a todos nós.

Continuar lendo “A Tabela Periódica do Rock”